Artigo Anterior

Um sonho em tons de bege

Próximo Artigo

Oito marcas com vestidos de noiva sustentáveis

Tendências 27. 5. 2019

A evolução dos óculos de sol

by Jessica Bumpus

 

Das máscaras de ski na Gucci aos formatos tipo inseto na Prada e às lentes refletoras na Dior, os óculos de sol têm marcado uma posição clara nos principais desfiles. A Vogue explora a história deste acessório, que evoluiu de um papel secundário a personagem principal no mundo da Moda.

©Getty Images; Movie Still; D.R.; ImaxTree

Karl Lagerfeld usava-os em preto, Jackie Kennedy não dispensava um modelo oversized, Audrey Hepburn era fiel aos ManhattansElton John permanece um adepto dos estilos mais excêntricos e extravagantes, e Tom Hiddleston e Tilda Swinton não largaram os seus Wayfarers no filme de 2013, Only Lovers Left Alive. Moral da história? Quando o tema é óculos de sol, cada um de nós tem uma forma particular de os usar – e o acessório nascido nos anos 20 é tão sinónimo de celebridades e Cinema como de raios de sol. Nos últimos tempos, contudo, os óculos de sol têm vindo a experienciar uma renovação no seu design, com uma presença forte nos principais desfiles de primavera/verão 2019, e o seu papel passou de secundário a principal.

Das passerelles aos retalho

Nos desfiles de Gucci e Loewe, os óculos de sol disfarçaram-se de máscaras de ski, enquanto a passerelle de Courrèges ofereceu uma interpretação mais fina, com uma estrutura ousada; Prada apostou em óculos que lembravam os olhos de um inseto, Balenciaga experimentou com estilos mais divertidos e oversized, e Dior foi pelo caminho das lentes refletoras. E na estreia da nova Celine, quase todos os looks foram acompanhados por um par de óculos de sol para sublinhar o crescente fator cool.

“O design evoluiu de ofertas tradicionais como os clássicos aviadores em metal e os modelos em acetato para peças statement que expressam individualidade”, diz Gary Bott, diretor da Gentle Monster. Desde o seu lançamento em 2011, a marca coreana tem vindo a ganhar terreno graças ao seu espírito experimental com coleções de assinatura, como a bestselling Flatba, onde as lentes são colocadas por cima da armação, e não no interior, para criar uma estética plana e simples.

“Nós experimentamos não só com o design do produto, mas também com o design de interiores”, explica Bott, fazendo referência à propensão da marca para criar conceitos de retalho únicos. O que, por sua vez, pode ajudar a explicar o porquê dos óculos de sol terem um design cada vez mais detalhado e marcarem, mais do que nunca, uma posição.

Basta olharmos para as coleções de outono/inverno para percebermos que esta tendência não tem qualquer intenção de abrandar: se, por um lado, os óculos de sol estão a transformar-se em viseiras na Gucci, por outro, também estão a assumir formatos mais finos e retangulares, com um espírito retro, na Louis Vuitton – aliás, na coleção Cruise 2020 da marca, as lentes foram reimaginadas com tons de pedras preciosas e formatos que lembram aqueles dos óculos de segurança usados pelos aviadores, conjugados com uma touca estilo capacete.

O acessório do momento

A beleza de tudo isto está, claro, no facto dos óculos de sol conseguirem transformar, rápida e completamente, a nossa aparência. O fascínio está no styling – algo que, em 2019, parece fazer todo o sentido, tendo em conta que a nossa atenção está focada naquilo que usamos e no aspeto que aparentamos ter em ecrãs digitais, com o fator aspiracional das redes sociais a superar o de Hollywood.

Posto isto, não é surpreendente que os óculos de sol sejam o terceiro acessório mais pesquisado no Net-A-Porter, com Balenciaga e a sua estética super-designed a liderarem o caminho, e a nova marca Anna-Karin Karlsson, com os seus formatos altamente estilizados com cristais, a alcançar um patamar igualmente positivo. A plataforma tem planos para satisfazer ainda mais a obsessão ótica dos seus consumidores, com o lançamento de Kaleos, uma marca instagramável com sede em Barcelona – pense em formas pronunciadas, que não vão passar despercebidas -, e a apresentação da primeira linha de óculos de sol da Zimmermann, uma marca maioritariamente conhecida pela sua oferta de swimwear.

A origem

Historicamente, a existência dos óculos de sol data ao tempo da Roma Antiga onde, supostamente, o Imperador Nero assistia aos desportos praticados pelos gladiadores através de uma esmeralda, de forma a proteger os seus olhos da luz. Acredita-se também que os Inuítes usavam óculos para a neve, construídos com pedaços de madeira ou ossos, com uma pequena ranhura à frente, para os proteger contra a cegueira causada pela reflexão da luz na neve. Apesar destas possíveis origens, o primeiro par de óculos com lentes escuras foi produzido em 1885, enquanto a produção em massa data a 1929, cortesia de Sam Foster, o fundador da marca norte-americana Foster Grant. Alguns anos depois, mais precisamente em 1936, Edwin H. Land introduziu uma versão polarizada.

O agora

Desde então, cada década teve o seu estilo de assinatura, dos cat-eye nos anos 50 aos formatos divertidos dos anos 80. O cunho dos 2010, cujo fim se aproxima? Óculos de sol que mostram a evolução, ou antes a revolução, dos formatos existentes até à data. Óculos de proteção, viseiras e máscaras estão entre os estilos mais retrospetivos e avant-garde, enquanto o espetro oposto oferece interpretações de dimensões pequeníssimas, sci-fi e futuristas. Nos dias que correm, os óculos de sol deixaram de ser um acessório prático e cool, transformando-se numa tomada de posição plena de individualidade e intenção.

Artigos Relacionados

Compras 21. 6. 2019

14 pares de óculos de sol para ver o lado positivo da vida

Porque às vezes só precisamos de uma ajuda. E essa ajuda também pode vir na forma de uns óculos de sol, especialmente se forem em forma de corações ou nuvens.

Ler mais

Tendências 26. 3. 2019

Os cinco acessórios para a primavera/verão 2019

Para esta estação, no mundo encantado dos acessórios, há óculos de sol que são escudos, carteiras XXL, versões mais sofisticadas das fanny packs e muito mais.

Ler mais

Tendências 23. 10. 2018

Os acessórios para o outono/inverno de 2018

Das luvas aos óculos de sol, sem esquecer as carteiras, os cintos e os lenços, este é o guia com os melhores acessórios das passerelles para a estação fria de 2018.

Ler mais

Tendências 31. 7. 2018

No shade

Sejam cat eye, redondos ou quadrados, o único mote que os óculos de sol da estação quente seguem é quanto mais pequeno, melhor.

Ler mais

Este website utiliza cookies. Saiba mais sobre a nossa política de cookies.   OK