Artigo Anterior

As figuras, os momentos e os 856 anos da história de Notre-Dame

Próximo Artigo

Entrámos no guarda-roupa da última temporada de Game of Thrones

Curiosidades 23. 4. 2019

As tradições de casamento pelo mundo

by Ellen Burney

 

Dos banhos com açafrão na Índia ao "something old, something new, something borrowed, something blue" no Reino Unido, a Vogue reuniu as tradições e rituais de casamento de vários pontos do mundo que se praticam ainda hoje. 

 ©Jose Villa

O caminho para encontrar o amor verdadeiro é tudo menos calmo, e as tradições de casamento que se celebram em vários pontos do globo - dos raptos da noiva encenados na Rússia ao som de tiros para acordar as noivas austríacas no grande dia - são uma forma de selar esse mesmo destino. Mas preservar as tradições de casamento ainda é um costume enraizado em muitas culturas pelo mundo fora. Dos robes ancestrais em África às bênçãos das noivas no Brasil, reunimos alguns dos costumes e rituais de casamento que se celebram em vários pontos do globo. 

Brasil

No Brasil, a tradição dita que as noivas devem escrever o nome das suas amigas solteiras na bainha do seu vestido de casamento - um costume partilhado pelas mulheres gregas no dia do seu casamento, que escrevem os nomes nas solas dos seus sapatos. Este ritual é praticado pelas noivas como uma forma de abençoar as suas amigas, trazendo-lhes não apenas boa sorte, mas também um casamento futuro. Para além desta tradição, as noivas brasileiras usam ainda sapatos dourados que, durante o momento de dança no copo d'água do casamento, são colocados na pista de dança para que os convidados possam deixar um presente em dinheiro dentro dos mesmos. 

Nigéria

Na Nigéria, as noivas realizam diversas trocas de roupa como costume de casamento, vestindo diversos robes ancestrais para diversas cerimónias. Os conjuntos são feitos de Aso Oke, um tecido composto à mão que simboliza a tribo da família da noiva, a tribo do seu marido, ou ambas. A coerência de materiais e cores é um elemento essencial, visto que os noivos definem um dress-code condizente, um Aso Ebi (uma espécie de "uniforme" que simboliza cooperação e solidariedade em épocas festivas) para os seus convidados. 

Áustria

Os casamentos austríacos começam, de uma forma muito literal, com um bang. Nas regiões de Salzkammergut, Tirol e Estíria, é comum dispararem-se tiros ou lançarem-se foguetes para acordar a noiva no dia do casamento, enquanto os seus vizinhos e amigos criam alguma confusão no exterior da casa para afastar os espíritos malignos. 

Japão

O San San Kudo (em português, "três três nove vezes") é uma das mais antigas tradições de casamento do Japão, remontando a 1600. Ao invés de trocarem votos entre si, a noiva e o noivo - acompanhados pelos seus pais - bebem sake, três vezes cada, de três copos de tamanhos distintos. Os primeiros goles são uma forma de confirmar a ligação entre as famílias, enquanto os segundos três representam o ódio, a paixão e a ignorância. Por fim, os três últimos goles desta cerimónia simbolizam uma libertação desses três defeitos. O três é visto como um número da sorte e, por isso, nove goles simbolizam o triplo da sorte. 

Tunísia 

Olhando para as tradições de casamento antigas, a henna, que se acredita trazer boa sorte, é um elemento muito especial nos casamentos realizados na Tunísia, onde a ligação dos noivos é celebrada seis dias antes da cerimónia. Na cerimónia inicial da henna, a pasta é utilizada para desenhar motivos florais e borboletas nas mãos e pés da noiva, pintados por um membro feminino da sua família. A cerimónia do harkous é realizada no dia seguinte, onde a henna volta a ser aplicada enquanto músicas femininas tocam canções tradicionais da Tunísia. 

Itália

Um povo muito supersticioso no que diz respeito ao casamento, os italianos evitam casar-se à terça-feira (um dia dedicado ao Deus da Guerra) ou à sexta-feira, porque acreditam que esse foi o dia da semana em que os espíritos malignos foram criados. Os meses de maio e agosto também estão riscados do calendário, à semelhança do Advento e da Quaresma. Numa nota mais leve, as tradições de casamento em Itália incluem surpreender a noiva com uma serenata, planeada pelo noivo e cantada debaixo da janela da noiva na noite antes do seu casamento. 

Rússia

Os russos optam por uma abordagem cómica ao dote pago pela noiva noutras partes do mundo com uma tradição de casamento que consiste na encenação de um "rapto", onde a noiva é levada pelos seus pais antes da cerimónia do casamento. No seguimento disso, o noivo declara a sua intenção de vykup novesty ("pagar o resgate"), onde os futuros sogros criam uma série de desafios para que o noivo consiga provar o seu amor - mas que, no fundo, servem como forma de envergonhar o noivo. Se o desafio não for concretizado, o noivo paga às damas de honor com flores, chocolates ou dinheiro. 

México 

No México, os casamentos modernizados são uma mistura entre tradições antigas e novos costumes, mas o el lazo (o laço de casamento) continua a ser um ritual frequente. Um símbolo de amor e união, esta "corrente" de flores ou contas de terço é colocada à volta dos ombros dos noivos pelos seus padrinhos, seguindo-se a troca dos votos de casamento. Tradicionalmente, os padrinhos são escolhidos pela experiência e força das suas próprias relações, sendo que é considerado um mau presságio escolher uma mulher solteira para colocar o laço à volta dos noivos. 

China 

Para o povo de Tujia, na China, é o coro choroso que faz as honras do casamento. "Chorar pelo noivo" é uma tradição de casamento onde a noiva chora para simbolizar a dor de abandonar o seu lar, ao mesmo tempo que demonstra gratidão aos seus pais. O costume dita que a noiva deve começar a chorar um mês antes do seu casamento, e é frequente que mãe, avós, irmãs e tias se juntem à noiva nesta cerimónia. 

Reino Unido 

O folclore britânico dita que a noiva que usar "something old, something new, something borrowed, something blue and a silver sixpence in her shoe" (em português, "algo antigo, algo novo, algo emprestado, algo azul e uma moeda no seu sapato") irá trazer sorte ao casamento. A tradição, que se espalhou também pelos Estados Unidos da América, diz que o "algo antigo" é uma forma de abençoar o futuro bebé da noiva, que o "algo emprestado" de uma noiva feliz traz boa sorte, que o "algo novo" representa um futuro brilhante, que o "algo azul" é um símbolo de fertilidade e que a moeda é uma forma de atrair a prosperidade. 

Índia 

Alguns dias antes das cerimónias de casamento, as noivas do estado indiano de Bengala Ocidental e do vizinho Bangladesh participam no ritial de Gaye Holud, cuja tradução literal significa "curcuma no corpo". Tradicionalmente, o evento é realizado na casa da noiva e reúne as mulheres casadas da sua família, responsáveis por criar, recorrendo a um amofariz, uma pasta de curcuma para aplicar no rosto e corpo da noiva. Conhecida pelas suas propriedades anti-inflamatórias e antienvelhecimento, a curcuma é utilizada para deixar a tez da noiva mais radiante antes do grande dia.  

Artigos Relacionados

Pessoas 2. 9. 2019

Os vestidos de casamento das celebridades

A Vogue viajou pelo tempo e reuniu os vestidos de casamento que ficaram para a história, das noivas da realeza às personalidades da Moda ou do Cinema.

Ler mais

Tendências 16. 4. 2019

Os melhores vestidos de noiva da Bridal Fashion Week 2020

Das propostas mais tradicionais às mais avant-garde, reunimos as melhores propostas das linhas bridal para a primavera/verão 2020.

Ler mais

Pessoas 3. 4. 2019

11 vezes em que Jennifer Lawrence se vestiu de branco e foi inspiração para todas as noivas

Com uma coletânea de vestidos que vai de Calvin Klein a Dior, Jennifer Lawrence raramente erra na passadeira vermelha. Mas há uma escolha que sempre a distinguiu: o amor pelo branco.

Ler mais

Tendências 1. 4. 2019

38 vestidos de noiva diretamente da passerelle de Alta-Costura

Das propostas mais clássicas às ultra-modernas, fomos aos desfiles de Alta-Costura, da primavera/verão 2019, e reunimos os vestidos que podem muito bem ser aquele que está - há meses - à procura.

Ler mais

Este website utiliza cookies. Saiba mais sobre a nossa política de cookies.   OK