Artigo Anterior

Há festa (virtual) no Lux

Próximo Artigo

Rolex dá vida à música com a iniciativa “Perpetual Music”

Agenda 27. 7. 2020

O cinema e as relações humanas em destaque no FEST

by Mathilde Misciagna

 

Em tempos incertos como os que vivemos, a arte é provavelmente a única certeza que temos e é fulcral que contribuamos para a sua preservação.

Babyteeth, de Shannon Murph

Num ano que ficará marcado pelo distanciamento social, a sétima arte pode bem ser o elo de ligação entre todos nós. Um escape para mundos alternativos, que nos confortam, desafiam, fazem rir, levam-nos em aventuras inesperadas, que por enquanto não poderemos experienciar in loco, mas fá-lo-emos através das personagens. O cinema é uma porta aberta, onde todos somos convidados e temos um lugar sentado para usufruir da viagem. E é por isso que festivais de cinema como o FEST são tão importantes, especialmente agora. Desde a sua fundação em 2004, que o FEST - Festival Novos Realizadores | Novo Cinema rapidamente se tornou numa das mais proeminentes mostras do cinema inovador e de cineastas emergentes; bem como numa plataforma para profissionais de cinema, nacionais e internacionais, em ascensão ou já estabelecidos, se encontrarem e desenvolverem novos projetos e procurarem sinergias. Ainda que distanciados, é importante apoiarmos e darmos voz à arte, que é e sempre será o remédio para as maleitas dos povos. 

Realizando-se na cidade costeira de Espinho, no Norte de Portugal, o FEST apresenta uma seleção de longas e curtas-metragens e um extensivo programa de indústria que inclui masterclasses, workshops, debates, roundtables, casos de estudo e um evento focado em pitching e co-produções. Para além de apresentar os mais promissores talentos cinematográficos dos quatro cantos do mundo, também junta alguns dos maiores nomes do cinema, influenciadores, decisores e peritos da indústria. O ponto de encontro perfeito para os aficionados. 

Maternal, de Maura Delpero

Sob o tema, As Close as Far Away Can Be, a programação de longas-metragens da competição internacional do FEST traz histórias de amor e de luta, de guerra e de descoberta, de libertação e de morte, numa seleção de dez filmes que se estreiam, de 2 a 9 de agosto, nas salas de cinema portuguesas. A competição internacional, que este ano integra 10 obras de cineastas emergentes, vai decorrer, em simultâneo, em Espinho (Auditório da Junta de Freguesia de Espinho), no Porto (Cinema Trindade e Casa Comum/Reitoria da Universidade do Porto) e em Lisboa (Cinema Ideal). Em 2020, o FEST traz pela primeira vez à cidade de Espinho uma sala de Cinema Drive-In, com sessões bi-diárias. As sessões ao início da noite focam-se no cinema de comédia, e as Midnight Screenings contam com filmes de terror e fantasia, para os mais aventureiros. Não sabemos quanto a si, mas a ideia de cinema no conforto do carro a ingerir uma quantidade obscena de pipocas e especialmente sem ouvir os sussurros dos demais espetadores, parece-nos uma ideia extremamente convidativa e diferente - qualquer novidade nos dias que correm será muito bem recebida.

Lovemobil de Elke Lehrenkrauss

No quadro da programação, que incluirá ciclos de cinema documental, de humor, terror e fantástico, destacam-se as interpretações no feminino, com uma seleção de histórias que tocam temas como maternidade (Maternal, de Maura Delpero), a vida na favela (Pacificado, de Paxton Winters), o conflito na Ucrânia (Earth is blue as an orange da cineasta Iryna Tsilyk), saúde mental (Babyteeth, de Shannon Murph com interpretações de Ben Mendelsohn e do Youtuber Toby Wallace, que cria um retrato enternecedor e provocador sobre as diferentes formas de lidar com a doença), prostituição na Alemanha contemporânea (Lovemobil, de Elke Lehrenkrauss) ou luta contra a opressão das mulheres (Papicha, de Mounia Meddour).

Pacificado, de Paxton Winters

Programação 

Babyteeth, Shanon Murphy, Australia, 2019
Jumbo, Zoé Wittock, França, Bélgica, Luxemburgo, 2020
Lovemobil, Elke Margarete Lehrenkrauss, Alemanha, 2019
Maternal, Maura Delpero, Itália, Argentina, 2019,
Meanwhile On Earth, Carl Olsson, Suécia, Dinamarca, Estónia, 2020
Pacificado, Paxton Winters, Brasil, fic., 2019
Papicha, Mounia Meddour, Algéria, França, Bégica, Qatar, 2019
Patrick, Tim Mielants, Bélgica, 2019
The Earth Is Blue as an Orange, Iryna Tsilyk, Ucrânia, Lituânia, 2020
Wildland, Jeanette Nordahl, Dinamarca, 2020,

Consulte a restante programação em FEST.

Artigos Relacionados

Entrevistas 19. 6. 2020

Angelina Jolie fala sobre a crise global de refugiados e maternidade

Ler mais

Pessoas 15. 5. 2020

Cannes: uma retrospetiva em 30 looks emblemáticos na red carpet

Se 2020 fosse um ano normal, a riviera francesa era agora palco do glamour que o Festival Internacional de Cinema de Cannes assim exige. Esta pandemia, trocou-nos as voltas e este ano não há Cannes, mas há momentos de red carpet que merecem ser recordados.

Ler mais

Roteiro 16. 4. 2020

Enjoy the ride: os 10 filmes que nos levam a viajar

A precisar de uma escapadinha? A Vogue fez as malas e partiu à descoberta dos filmes que nos fazem viajar por este mundo fora.

Ler mais