Artigo Anterior

18 celebridades que quebraram as regras da passadeira vermelha

Próximo Artigo

De 1929 a 2019: 58 looks das vencedoras do Óscar de Melhor Atriz

Pessoas 22. 2. 2019

O mundo de Karl Lagerfeld, de acordo com os seus amigos e colaboradores

by Liam Freeman & Radhika Seth

 

Claudia Schiffer, Kris Jenner e Diane Kruger, entre outros, recordam o designer alemão e alguns dos momentos mais memoráveis que viveram a seu lado.

Chanel, outono/inverno 2016 © Getty Images

O dia 19 de fevereiro de 2019, vai, para sempre, ser lembrado como o dia em que o mundo perdeu um dos melhores designers do século XX e XXI. Karl Lagerfeld nunca olhou para si como um ser humano que pertencesse inteiramente a este mundo. “Não quero ser real na vida das outras pessoas,” afirmou no documentário Lagerfeld Confidential (2007). “Quero ser uma aparição, que aparece e desaparece.” E, na verdade, a arte de se ajustar na perfeição a Casas de Moda tão emblemáticas - empurrando-as para um novo capítulo e transformando-as em sucessos - exigia seguramente habilidades semelhantes à de uma aparição. 

Durante a sua, não tão conhecida, passagem pela Chloé, Lagerfeld cimentou a estética boémia pela qual a marca é hoje conhecida. Na Fendi, onde foi diretor criativo durante 50 anos, transformou uma casa de pelo numa marca de pronto-a-vestir de luxo - desenhando o agora indissociável F duplo. Contudo, vai ser para sempre o homem que voltou a injetar modernidade e atitude na Chanel, características que se haviam dissipado nos 12 anos entre a morte da sua fundadora, Coco Chanel, em 1971, e o início do mandato de Lagerfeld na Maison francesa, em 1983. 

Quatro vezes por ano, as portas do Grand Palais tornaram-se portais para outros universoso mundo de Lagerfeld, composto pelos desfiles de Alta-Costura e pronto-a-vestir da Chanel. O outono/inverno 2017 culminou com um foguetão de tamanho real a descolar; para o inverno de 2010 idealizou uma paisagem polar com um iceberg importado da Escandinávia e, em janeiro de 2019, para a apresentação da Alta-Costura da primavera/verão de 2019, os convidados foram levados até um jardim do século XVIII. A banda sonora que acompanhava as modelos era curada por Michel Gaubert, que colaborava há muito com Lagerfeld, e desde 2015, ano em que foi nomeada diretora global de maquilhagem e de cor da Chanel, os rostos das modelos eram um trabalho de arte de Lucia Pica. Lagerfeld conectou os pontos entre a cultura intelectual e popular, escolhendo (e fotografando) uma ampla variedade de personalidades, desde Stella Tennant - neta da 11ª Duquesa de Devonshire - a Kendall Jenner, estrela de reality shows transformada em modelo. 

Lendário, visionário, icónico, prolífico… Não há palavras nos quatro idiomas que Lagerfeld falava (inglês, francês, alemão e italiano) que possam descrever a sua passagem pelo mundo da Moda. Por isso, a Vogue conversou com alguns dos seus amigos e colaboradores mais próximos e pediu-lhes que partilhassem a sua melhor história.  

Karlie Kloss

Modelo norte-americana, empreendedora e fundadora da Kode With Klossy, já desfilou para a Chanel e Fendi e foi fotografada em inúmeras ocasiões por Karl Lagerfeld.  

 
 
 
Ver esta publicação no Instagram

Uma publicação partilhada por Karlie Kloss (@karliekloss) a

 

“A coisa mais inspiradora, além da visão, do talento e criatividade do Karl, é o coração. Foi um dos primeiros designers com quem trabalhei em Paris e essa primeira colaboração - e todas as vezes que trabalhámos juntos desde então - moldou a minha perspetiva sobre a indústria da Moda. Ensinou-me que a Moda é muito mais do que aquilo que os olhos vêem. A Moda é a expressão da arte e da criatividade, do trabalho árduo e da paixão. O Karl tinha o espírito mais irreverente que alguma vez conheci, era sempre o primeiro a abraçar o futuro. Lembro-me de quando o primeiro iPhone foi lançado ele foi a primeira pessoa, que eu conhecia, a tê-lo. A sua ética de trabalho, incomparável, a paixão, dedicação e amor pelo seu ofício é uma lição de vida. O Karl era uma lenda - um verdadeiro artista e, embora a sua perda seja profunda, o trabalho dele também era profundo e, por isso, podemos todos estar gratos.”

Kris Jenner

Personalidade televisiva, autora e momager do clã Kardashian, Jenner era presença assídua na primeira fila dos desfiles do Kaiser, especialmente quando a filha, Kendall Jenner, desfilava. 

© Instagram.com/krisjenner 

“A primeira vez que conheci o Karl foi quando a minha filha Kim foi fotografada por ele, em Paris. Quando vi a call sheet para a sessão fotográfica fiquei para lá de entusiasmada. O Karl ia fotografar e o Riccardo Tisci ia fazer a direção de arte. Eu disse à Kim, ‘Viste? Isto é a loucura!’ e fui imediatamente refazer a minha mala para levar tudo o que tivesse Chanel vintage. Quando lá chegámos, ficámos no apartamento do Kanye. Vesti-me para a sessão fotográfica, mas a Kim disse que estava envergonhada por eu estar vestida dos pés à cabeça em Chanel dos anos 80. Quando chegámos ao set, o Karl estava encantado. Disse-me o quanto adorava o que eu estava a vestir. Mas, de seguida, disse ’espera’ e foi a outra sala. Quando voltou trazia uma carteira Lego, preta e branca, acabadinha de sair da passerelle. ‘É isto que precisas para completar o teu look’. A Kim ficou meio grumpy - não estava à espera que ele aprovasse aquilo que eu estava a vestir. O Karl ainda me disse que o tamanho das minhas luvas não era o certo e acrescentou: ‘Querida, eu faço-te alguns pares.’ E fez mesmo, fez-me um par de luvas, sem dedos, em todas as cores. Anos mais tarde, quando a Kendall estava a desfilar para ele, o Karl dizia-lhe: ‘Entrega isto à tua mãe,’ e enviava-me presentes. Sempre apoiou a Kendall e lembrava-se sempre de mim. Era o homem mais amoroso e generoso.”

Joan Smalls

A modelo norte-americana protaggonizou campanha para a coleção Cruise 2015 da Chanel e desfilou várias vezes com as criações de Lagerfeld.  

 
 
 
Ver esta publicação no Instagram

Uma publicação partilhada por Joan Smalls (@joansmalls) a

“Mostrou-nos o que é dedicação e amor pelo trabalho. O sentido de humor dele sempre me fascinou e, das poucas vezes que tirava os óculos de sol, podias ver a alma gentil que tinha e que redefiniu aquilo que a indústria da Moda devia ter. Com a sua imensa criatividade, que viverá para sempre, desafiou a norma. Sinto-me honrada por ter tido a oportunidade de trabalhar com um génio que me deu a oportunidade de fazer parte de uma coisa muito maior."

Diane Kruger

Musa e amiga de longa data de Largerfeld, a atriz vestiu por inúmeras vezes as suas criações e era presença assídua na primeira fila dos desfiles de Alta-Costura. 

© Getty Images

“Uma vez viajei com ele no seu jato privado, de Paris a Hong Kong. Todos adormecerem, mas eu e ele ficámos as 13 horas a conversar sobre a sua infância e educação. Reparei que estava agarrado a uma almofada bordada muito antiga. Tinha sido um presente da mãe e nunca viajava sem sem ela. Falávamos sempre alemão um com o outro, por isso mesmo quando a sua comitiva acordou de manhã, horas antes de aterrarmos, estávamos no nosso mundo. Lembro-me que quando se levantou para ir à casa de banho, reparei que o pó branco que usava para o cabelo tinha deixado uma marca no lugar onde estava sentado. Não sei porquê, mas lembro-me sempre disso. Onde quer que fosse deixava uma marca. Era maior do que a vida.”

Claudia Schiffer

Uma das musas originais de Lagerfeld, a supermodelo alemã encerrou vários desfiles para a Chanel na década de 90 e foi sempre uma das suas maiores apoiantes.  

© Getty Images

“A personificação da criatividade. O apoio do Karl transformou-me numa supermodelo. Por mais intuitivo e inovador que fosse, os seus conselhos e a sua energia inesgotável eram contagiantes e inspiradores na mesma medida. Foi o meu mentor, um homem profundamente culto, simpático e carismático, com uma mente e visão extraordinárias. Vou sentir muito a falta dele.” 

Suzy Menkes

“A Moda é sobre mudanças e eu gosto de mudanças,” disse Lagerfeld à editora internacional da Vogue na Condé Nast International, numa entrevista em 2018. Os dois eram amigos há muito.  

 
 
 
Ver esta publicação no Instagram

Uma publicação partilhada por Suzy Menkes (@suzymenkesvogue) a

“A minha memória favorita do Karl é de quando deu uma festa na sua casa, em Paris, no início dos anos 90, para honrar Gianni Versace, que era o novo menino querido da indústria da Moda. Foi a maneira perversa de Karl afogar a concorrência com bondade e a cada taça de champanhe, a cada prato de caviar, a cada chegada de um outro fashion guru, o flamboyant Gianni contraía-se. Como um gato - apesar de Karl, à época, não ser louco por gatos. O Gianni afastou-se e rodeou-se do seu grupo de amigos italianos, enquanto o Karl estava no topo das escadas a cumprimentar as pessoas. A isto chama-se ‘roubar a cena’.” 

Soo Joo Park

Nascida na Coreia do Sul e criada na Califórnia, a modelo e DJ afirma que Lagerfeld foi um dos seus maiores apoiantes na indústria da Moda. Joo Park foi protagonista de várias campanhas Chanel, desfilou para Maison e ainda participou no podcast da marca, o 3.55. 

© Getty Images 

“O Karl encorajou-me a ser expressiva e criativa. Nunca me vou esquecer que, depois de lhe mandar pela primeira vez os meus desenhos, isto há seis anos, meses depois, durante uma sessão fotográfica, ele tirou-os de um caderno, onde sempre os guardou. Disse-me que era talentosa - o que vindo dele, é o melhor elogio de sempre - e incentivou-me a fazer mais. A cada estação, eu desenhava para ele, como um gesto de gratidão e amor. O que mais podia dar a um homem que tem tudo? Fiquei espantada pelo facto de ele ter dado uma oportunidade a uma rapariga como eu. A sua energia, o carisma e inteligência eram inigualáveis, do início ao fim. Ele e a Chanel mudaram a minha vida e por isso estou-lhe eternamente grata. Vou sentir muito a falta dele. Vou adorá-lo, respeitá-lo e lembrá-lo para sempre.” 

Natalia Vodianova

A supermodelo russa trabalhou com o criador diversas vezes e a mais memorável foi durante uma sessão fotográfica, intitulada Alice in Wonderland para a edição norte-americana da Vogue, fotografada por Annie Leibovitz, com styling de Grace Coddington. 

 
 
 
Ver esta publicação no Instagram

Uma publicação partilhada por Natalia Vodianova (@natasupernova) a

“O Karl foi uma das pessoas que me ensinou a confiar nos meus instintos. Ele disse-me ‘não duvides dos teus instintos, são os teus únicos conselheiros imparciais’. Fotografar Alice in Wonderland foi uma experiência muito empolgante. A Grace queria que o Karl fosse a Duquesa, mas ele não queria. Ele queria ser ele próprio e não uma personagem. No final, a Grace disse-lhe que seria apenas o Karl, mas colocou um porco-bebé no meu colo. Tenho a certeza que o Karl sabia o que estava ali acontecer, porque ele seguramente já tinha lido Alice no País das Maravilhas. Ele só queria ser levado a sério, mas a Grace e eu sentimo-nos como duas miúdas. O Karl era maior do que a vida, mas um gigante delicado. Karl, foste uma força silenciosa de amor e um apoio para muitos de nós, eu incluída. Estou muito grata por tudo aquilo que fizeste por mim.”

Milla Jovovich

A atriz, modelo e cantora foi o rosto de campanhas para a Chanel e desfilou para a Fendi - resultado da sua longa amizada com o designer. 

© Instagram.com/millajovovich

Esta história começa quando Milla Jovovich desfilou para a Fendi. Durante os ensaios, os organizadores deixaram bem claro que as modelos estavam ali para desfilar – não estavam ali para dançar, rodopiar, fazer poses ou cumprimentar a audiência. Quando chegou a hora de pisar a passerelle, a modelo estava tudo menos entusiasmada: e Karl Lagerfeld reparou. Quando Jovovich desabafou as suas preocupações com o Kaiser, a resposta foi “Milla, minha querida. As regras não se aplicam a ti.” E assim foi. Milla dançou, rodopiou, fez poses, cumprimentou a audiência e levou o melhor que podia levar dali – uma amizade duradoura com Lagerfeld.  “Daí em diante, trabalhei com o Karl em muitas outras campanhas e projetos, naquilo que se tornou uma amizade de 20 anos. O Karl adorava pessoas imprevisíveis e incontroláveis. Ele adorava pessoas criativas e apaixonadas. Ele adorava especialmente pessoas que não seguiam as regras - até porque ele próprio era assim.”

Lara Stone

A modelo holandesa foi, desde 2006, presença assídua nos desfiles da Chanel.  

 
 
 
Ver esta publicação no Instagram

Uma publicação partilhada por Lara Stone (@lara_stone) a

“A primeira vez que trabalhei com o Karl foi num desfile e caí. Estava tão envergonhada e, assim que me levantei, lembro-me de pensar que era o meu fim e que ele nunca mais iria querer trabalhar comigo. Felizmente, o Karl era mais indulgente e tive a sorte de poder trabalhar com ele em vários projetos, ao longo dos anos. Dou valor a todos esses momentos e vou sentir muito a falta dele.”

Karen Elson

No início da carreira, Elson encontrou em Lagerfeld um amigo que a escolheu para rosto da Chanel e a apelidou de beleza do novo milénio. 

© Getty Images

“Ao longo do anos, fotografei com o Karl diversas vezes para várias campanhas Chanel. Podíamos passar anos sem nos vermos e enquanto a Moda vai e vem, assim que nos encontrávamos, sentávamo-nos e conversávamos como se o tempo não tivesse passado e é disso que vou sentir mais falta. Esses momentos de ternura, não das suas declarações escandalosas, ou do mito que criaram à volta dele. Vou sentir saudades do homem que simplesmente queria falar sobre aquilo que o inspirava, como a cultura popular. Vou sentir falta da sua gentileza e generosidade, vou sentir falta do legada de elegância e do atrevimento que trouxe para a indústria da Moda.”  

Baz Luhrmann

O realizador trabalhou com o designer numa campanha icónica. 

 
 
 
Ver esta publicação no Instagram

Uma publicação partilhada por Gisele Bündchen Forever ?➕ (@gisele_bundchen_forever) a

Há mais de 15 anos atrás, o realizador de Romeo + Juliet, Moulin Rouge! e The Great Gatsby colaborou com Karl Lagerfeld na reimaginação da campanha visual do icónico Chanel N°5, com a atriz Nicole Kidman. Lado a lado com a sua mulher e designer de figurinos Catherine Martin, Baz Luhrmann apresentou diversos hipóteses ao diretor criativo da Chanel, incluindo a ideia de um vestido couture em tons de rosa. Trabalhar com o Karl era simples – mas conseguir que Karl entregasse os seus esboços para o guarda-roupa da campanha, particularmente aqueles do vestido rosa, era outra história. O realizador seguiu o Kaiser durante meses, até ao momento em que se sentaram no Mercer Hotel em Nova Iorque. Preocupado, Luhrmann disse a Lagerfeld que precisavam dos esboços – e foi aí que o criativo pegou num guardanapo e desenhou, de uma forma tão natural quanto perfeita, o vestido. “O Karl era assim, um eterno improvisador: naquele momento, as sinapses dele vivas, divertidas, sempre nos bastidores a pensar, a planear, a conspirar. Sinto-me muito feliz por dizer que, depois de gravarmos a campanha, o Karl desenhou um guache lindíssimo no famoso estilo de ilustração dele, e ofereceu uma cópia à Nicole, e outra a mim. Vamos ter tantas saudades dele.”

Artigos Relacionados

Notícias 19. 2. 2019

Quem é Virginie Viard?

Esteve ao lado de Karl Lagerfeld durante 32 anos e é, a partir de hoje, a nova responsável pela criação das coleções Chanel.

Ler mais

Pessoas 19. 2. 2019

Karl Lagerfeld: uma retrospetiva em imagens

A Vogue presta tributo à ilustre carreira do designer e faz uma retrospetiva da vida de Karl Lagerfeld em imagens.

Ler mais

Notícias 19. 2. 2019

Karl Lagerfeld morreu hoje, em Paris, aos 85 anos

Até sempre, Karl.

Ler mais

Agenda 15. 2. 2019

10 documentários de Moda para ver na Netflix

Para que possa fazer uma viagem pelo mundo encantado, frenético e alucinante da indústria da Moda.

Ler mais

Este website utiliza cookies. Saiba mais sobre a nossa política de cookies.   OK