Artigo Anterior

Alexander Wang: Collection 2

Coleções 5. 12. 2018

Chanel Métiers d’Art 2019

by Rui Matos

 

Com toda a mestria e savoir-faire que a Maison francesa já acostumou os seus seguidores, a Chanel voou até Nova Iorque e, no Museu Metropolitano da cidade, apresentou mais uma coleção Métiers d’Art.

A primeira vez que Coco Chanel viajou até Nova Iorque foi a 26 de fevereiro de 1931. Embarcou num cruzeiro de seis semanas e com ela levou uma amiga, Misia Sert, duas assistentes, três empregados, duas modelos e cerca de 35 malas. Foi assim que o Chicago Daily Tribune reportou a chegada da criadora à ilha de Manhattan em abril desse mesmo ano. Oitenta e sete anos depois e a Maison francesa continua a viajar com a mesma pompa e circunstância - deixando para trás as intermináveis semanas de viagem. E se dúvidas houvesse, a apresentação anual da linha Métiers d’Art confirma-o e mostra aquilo de que a Chanel é capaz: surpreender a cada novo desfile. 

Nos últimos 16 anos, em dezembro, Karl Lagerfeld viajou para Tóquio, Monte Carlo, Londres, Moscovo, Xangai, Dallas, Edimburgo e Hamburgo para apresentar as novas propostas da linha mais artesanal da Casa, a Métiers d’Art. Aqui, os 26 ateliers Chanel são convocados para criar todos os coordenados que são apresentados na passerelle - o que inclui também o universo dos acessórios. Estes looks combinam a emoção com a criatividade, o artesanato, a modernidade e a excelência técnica. Uma coleção muito próxima à Alta-Costura, mas sem a exclusividade de confeção que a linha premium da Casa exige. 

A location de cada uma destas apresentações serve também de inspiração para as silhuetas e, em 2018, a cidade de Nova Iorque, a primeira visita de Coco Chanel à Big Apple e o Antigo Egipto foram os três moods para a conceção criativa desta coleção. “A civilização egípcia sempre me fascinou. Sou inspirado por ideias, que mais tarde as transformo em realidade,” avança Lagerfeld, em comunicado. 

Linhas claras e simples, silhuetas puras, geométricas e nítidas: uma imagem bem presente no ADN da etiqueta. Os coordenados vibram por si e ao mesmo tempo desenham linhas, quase cinematográficas, que vão revelando coordenados fortes, sumptuosos e ultra-femininos. 

“Tudo é feito de uma maneira muito artesanal, no melhor sentido da palavra, porque aqui há arte. A arte do fazer bem. Uma arte que é aplicado. E isso é realmente surpreendente,” começa por descrever o Kaiser. “A imagem desta coleção, para mim, está muito ligada ao requinte que deve ser visto de perto para entender como é que cada peça é realmente feita e para entender também a beleza desse trabalho.”

O tweed, estrela-mor da Chanel, não poderia deixar de marcar presença. Já os skirt suits receberam um tratamento contemporâneo, os vestidos gritam uma saída à noite com as amigas e os apontamentos em pele, que foram surgindo, são uma estreia. Na segunda-feira, 3 de dezembro, chegou às redações um email que dizia que a Chanel iria deixar de produzir e vender os seus produtos com peles e pelos exóticos. Sendo assim, tudo aquilo que se viu na passerelle foram versões sintéticas de pele de crocodilo e píton - dois dos materiais que a Maison tem usado nos últimos anos. 

A primeira fila contou com Cindy Crawford, que olhou com atenção para os passos de Kaia Gerber num look total de ganga, Julianne Moore, Diane Kruger, Marion Cotillard, Lily-Rose Depp e Penélope Cruz - o mais recente rosto da Casa. Já a passerelle contou com um convidado especial, Pharrel Williams: o rapper norte-americano desfilou ao lado dos nomes habituais da Chanel.

Bruno Pavlovsky, presidente do departamento de Moda da Chanel, confessou ao The Guardian: “Só o Karl consegue fazer isto. Estamos muito contentes por ter o melhor designer de sempre.”

Artigos Relacionados

Tendências 2. 10. 2018

22 dos melhores cenários da francesa Chanel

Extravagantes, mágicos e sempre épicos, ninguém cria cenários para os desfiles como Karl Lagerfeld.

Ler mais

Coleções 2. 10. 2018

Chanel: primavera/verão 2019

O Grand Palais, situado numa das principais artérias da cidade, transformou-se numa praia para receber mais um desfile icónico da Maison Chanel.

Ler mais

Tendências 19. 9. 2018

O tão aguardado regresso dos skirt suits

Os skirt suits estão de volta e melhores do que nunca - mesmo a tempo da nova estação.

Ler mais

Curiosidades 10. 9. 2018

As musas de Karl Lagerfeld

Da beleza francesa de Vanessa Paradis ao cool girl americano de Kristan Stewart, revisitamos as musas favoritas de Karl Lagerfeld.

Ler mais

Entrevistas 19. 7. 2018

Tomara que Kaia

As supermodelos já não exist...

Ler mais

Coleções 3. 7. 2018

Chanel: Alta-Costura, outono/inverno 2018

Tradicional na forma e excelente no trabalho confecionado em estúdio, o criador alemão mostrou, uma vez mais, que imaginação não lhe falta, seja na arte de criar coordenados, seja nos cenários.

Ler mais

Coleções 4. 5. 2018

Chanel: Cruise 2018

A maré esteve calma, os ventos sopraram a favor e o grande navio da Casa francesa ancorou no Grand Palais, onde a etiqueta de luxo tem apresentado as suas coleções.

Ler mais

Eventos 26. 4. 2018

À mesa com a Chanel

Decorreu em Manhattan, Nova Iorque, o jantar anual organizado pela francesa Chanel dedicado aos artistas da última edição do Tribeca Film Festival.

Ler mais

Este website utiliza cookies. Saiba mais sobre a nossa política de cookies.   OK