Artigo Anterior

Podia ser de um filme de Wes Anderson

Próximo Artigo

Post Scriptum

Tendências 19. 4. 2018

As mulheres de Almodóvar

by Rui Matos

 

Com mais de três décadas de trabalho, vinte filmes no currículo e uma lista de musas invejável, o realizador espanhol tem o dom de nos transportar para uma realidade paralela onde o preconceito fica à porta.

“Existem duas coisas no cinema que têm um valor diferente dependendo se é um homem ou uma mulher que as faz: os nus frontais e o ato de chorar,” esta frase é de Almodóvar, o homem que tem exportado o talento espanhol além-fronteiras, e que hoje homenageamos através das mulheres que o inspiram.

Um nome de peso na indústria cinematográfica, o seu percurso pela sétima arte não foi o mais convencional. Antes de arriscar uma carreira no cinema, trabalhou numa companhia telefónica, fez banda desenhada, foi ator numa companhia de teatro e cantor numa banda de rock. Só nos anos 70 é que se aventurou na indústria cinematográfica, começando pelas curtas-metragens, e uma década depois estreou a sua primeira longa: Pepi, Luci, Bom e Outras Tipas do Grupo, em 1980. 

Questões de género, orientação sexual ou as relações amorosas e familiares são alguns dos temas mais recorrentes nas tramas do realizador castelhano, cujo trabalho reflete sempre uma perspetiva assente na inclusividade. 

No currículo conta já com dois Óscares: um de Melhor Filme Estrangeiro para Tudo Sobre a Minha Mãe (1999) e outro de Melhor Realizador com Fala com Ela (2002). Igualmente reconhecíveis são as suas musas: Marisa Paredes, Penélope Cruz, Carmen Maura, Elena Anaya ou Rossy de Palma são algumas das atrizes que, ao longo dos anos, emprestaram o seu talento às histórias de Almodóvar. 

Dolor y Gloriao nome da próxima grande produção do cineasta, foi anunciado no dia 17 de abril de 2018 através de El Deseo, a produtora que fundou com o irmão, Agustín Almodóvar. Antonio Banderas, Penélope Cruz e Asier Etxeandía são três dos nomes confirmados para o elenco do filme, que tem estreia marcada para o próximo dia 22 de março, nas salas de cinema espanholas. 

Sobre o argumento daquela que será a sua 21ª longa-metragem, o realizador revelou, em entrevista, ao diário espanhol El Pais, que: “Dolor y Gloria narra uma série de reencontros -  alguns físicos e outros recordados depois de décadas - de um realizador de cinema em declínio. Os primeiros amores, os segundos amores, a mãe, a mortalidade, um ator com quem o realizador trabalhou nos anos 60, 70, 80. Fala da criação, cinematográfica e teatral, e da dificuldade de separar a criação da própria vida". 

Artigos Relacionados

Tendências 31. 1. 2018

Para Penélope, com amor

A atriz espanhola vai receber o prémio de carreira na 43º gala dos César, em Paris, a 2 de março. Em jeito de celebração recordamos 10 dos seus filmes mais icónicos.

Ler mais

Notícias 17. 1. 2018

Tudo o que deve saber sobre a série "O Assassinato de Versace"

Penelope Cruz será Donatella Versace, a irmã do designer italiano.

Ler mais

Notícias 7. 9. 2017

O primeiro vídeo de The Assassination of Gianni Versace: American Crime Story

Chega aos ecrãs em 2018 e tem Penélope Cruz como Donatella Versace, este novo capítulo de American Crime Story é o mais desejado da temporada.

Ler mais

Este website utiliza cookies. Saiba mais sobre a nossa política de cookies.   OK