Artigo Anterior

Vozes de Agora: Teresinha Landeiro

Próximo Artigo

Vozes de Agora: Teresinha Landeiro

Entrevistas 12. 6. 2018

Vozes de Agora: Beatriz Pessoa

by Tiago Neto

 

Dançam as vozes num inquieto molde de palavras e a pele floresce-nos a toda a largura do corpo. São jazz, são fado, são hip-hop e são nove. Nove razões para (re)descobrir que o presente e o futuro se escrevem no feminino. Fotografia de Branislav Simoncík. Realização de Cláudia Barros.

Vestido em crepe-georgette, Dolce & Gabbana na Stivali. Brincos em PVC, Ás de Espadas.

Começou a cantar cedo, ingressou numa escola de música e fez um curso de verão no CCB onde conviveu de perto com o jazz. Seguiu-se a passagem pelo Hot Club, em Lisboa. De Erasmus em Paris, começa a compor as primeiras músicas que acaba por trazer para Lisboa, no regresso, e assim inicia o projeto de música original. 

Influências? Gosto de muita coisa, do jazz ao pop, indie, música clássica. Bjork, Lauren Mvula, Lianne La Havas, Beyoncé, Satie. 

Primeira paixão musical? Chico Buarque. 

As palavras são um espelho da vida? Sim. As palavras e a música.

O que é que sente a cantar que não sente em nenhuma outra altura? Sinto que falo melhor, que fico com as ideias mais claras, mais poderosa. 

Autorretrato em três palavras? Genuína, teimosa, feliz. 

Passado ou futuro? Futuro.

 

Shiva, Beatriz Pessoa, Mynda GuevaraSara CorreiaKaterina L’DokovaElisa RodriguesTeresinha LandeiroRussa e Diana Vilarinho são uma paisagem de sangue novo num panorama profundamente normativo. A música portuguesa tem hoje uma existência saudável e coberta de talento mas é também do crepúsculo da folhagem que a indústria respira. E esta, é a mais bonita de todas as suas constelações. Para o presente ou para o futuro. 

Artigo adaptado da edição de março 2018 da Vogue Portugal.

Artigos Relacionados

Entrevistas 12. 6. 2018

Vozes de Agora: Diana Vilarinho

São jazz, são fado, são hip-hop e são nove. Nove razões para (re)descobrir que o presente e o futuro se escrevem no feminino.

Ler mais

Entrevistas 12. 6. 2018

Vozes de Agora: Katerina L’Dokova

São jazz, são fado, são hip-hop e são nove. Nove razões para (re)descobrir que o presente e o futuro se escrevem no feminino.

Ler mais

Entrevistas 12. 6. 2018

Vozes de Agora: Elisa Rodrigues

São jazz, são fado, são hip-hop e são nove. Nove razões para (re)descobrir que o presente e o futuro se escrevem no feminino.

Ler mais

Vídeos 2. 3. 2018

As vozes de Agora

São nove vozes de hoje. Nove vozes do jazz, do hip-hop, do fado. Nove vozes nossas.

Ler mais

Este website utiliza cookies. Saiba mais sobre a nossa política de cookies.   OK