Artigo Anterior

NYX inaugura pop-up store de Natal

Próximo Artigo

YSL Beauty Club regressa a Lisboa

Agenda 14. 11. 2018

8 razões pelas quais tem de provar o Menu de Trufa Branca do Ritz

by Irina Chitas

 

Aqui contamos a demanda de uma jornalista que muito depressa encarnou o papel de Inspetora Truffaut para desvendar o mistério do fungo mais decadente de todos. O pretexto? Menu Trufa Branca, para jantar no Varanda.

A Trufa Branca, culpada de todos os pecados do mundo.

1. O Hotel Ritz Four Seasons. Tudo na vida são razões para ir ao Ritz. Aconselhamos a ir mais cedo, beber um copo no bar ou simplesmente sentar nos sofás de veludo a ouvir os suaves dedos de piano que saem das colunas enquanto se inspira profundamente o cheiro a flores e aprecia, com tempo, com calma, as tapeçarias Almada Negreiros. É o nosso tipo de meditação.

2. O crime. É verdade, há um crime nesta história. Dois, para sermos mais exatos. Daí isto ser um caso para a Inspetora Truffaut. Por duas vezes, o primeiro carregamento de Trufa Branca encomendado pelo Ritz foi roubado durante o transporte. Talvez seja porque na caixa estava escrito “Diamante da Cozinha”, talvez porque alguém durante o transporte ficou tão deliciado pelo cheiro que emanava por de dentro da madeira que não houve como resistir. Compreendemos, respeitamos, não conseguimos julgar. Seria um crime ainda maior que à terceira vez a Trufa Branca continuasse sem chegar porque não estaríamos aqui a discorrer sobre o odor tão seu, sobre o sabor cheio mas subtil, indescritível, elegante, perfeito.

3. Estas Trufas Brancas, que o chef Pascal Meynard dispõe orgulhosamente no centro da mesa, vieram de Alba e, como todas as trufas, são afrodisíacas. Pelo bem da taxa de natalidade do país, que continua em declínio, não podemos deixar de recomendar esta refeição que em cada prato, em cada pedaço de céu tem uma raspa de trufa. Ou várias - que, ainda assim, nunca são suficientes.

4. Alguém que tem como profissão apanhar estes pecados chama-se Caçador de Trufas. Não é bem uma razão, mas é amoroso. Quase como Caçador de Sonhos. Quase não, é mesmo.

Vieiras Snacké, Texturas de Couve-Flor, Óleo de Avelã e Trufa Branca.

5. As vieiras. O Menu da Trufa Branca começa com Vieiras Snacké, Texturas de Couve-Flor, Óleo de Avelã e, adivinharam Trufa Branca. As vieiras são grandes, suculentas, um portento da espécie, e desfazem-se no molho (de vieiras e Martini) de veludo, leve, ácido aqui e ali. Neste inverno confuso, é um porto de abrigo.

Taglioni fresco, Emulsão de Parmesão e Trufa Branca. 

6. A estrela da companhia: Taglioni fresco, Emulsão de Parmesão e Trufa Branca. Ali vem ele, em forma de ninho, como se dali fosse nascer o prazer. Sentimos a trufa atrás de nós, a anunciar-se pelo olfato muito antes do que pela visão. Chega pelo nosso lado direito, nada discreta, e rala-se para cima da massa fresca sem vergonha nem pudor, flocos e flocos que caem como se fossem pétalas de rosa e a massa se tornasse na Mena Suvari de Beleza Americana.

 Peixe Galo, Legumes de Inverno, Cogumelos Chanterelles e Trompette des Morts e Trufa Branca.

7. A escolha do prato principal. Na verdade, esta devia ser uma razão para não ir, porque não é, de todo fácil. Entre o Peixe Galo, Legumes de Inverno, Cogumelos Chanterelles e Trompette des Morts e - claro - Trufa Branca, ou Filet Mignon de Vitela de Leite, Espargos Verdes, Emulsão de Pecorino e - tcharã - Trufa Branca, venha o diabo e escolha. Não, a sério, por favor, venha o diabo e escolha por nós porque continuamos indecisos.

Trufa com Gelado de Fava Tonka e Caramelo com Flor-de-sal. 

8. A sobremesa. Porque as trufas também têm lugar na sobremesa para mostrar que se podem infiltrar em todos os pratos da nossa vida. O próprio prato é em forma de trufa, cada um diferente - como só as trufas são -, polvilhado de cacau para simular a frescura da terra. Ouro em pó envolve o prato e o gelado de fava tonka namora feliz com o caramelo com flor-de-sal e o torrão de amêndoa e ali ficamos, sem saber bem o que nos aconteceu, mas com a plena consciência de que o nosso lugar na vida passa muito por momentos destes.

O Menu Trufa Branca do Restaurante Varanda, do Ritz Four Seasons, é € 160 por pessoa, sem bebidas. Durará enquanto durar a estação da Trufa Branca (prevê-se que seja até meio de dezembro) e as reservas estão abertas no número (+351) 21 381 1400.

Artigos Relacionados

Roteiro 17. 9. 2018

Um jantar muito doce

O restaurante Cave 23, do Torel Palace, organiza uma jantar pop up dedicado inteiramente à parte mais doce de um menu: a sobremesa.

Ler mais

Roteiro 25. 7. 2018

Os 10 hotéis mais instagramáveis de sempre

São um refúgio no meio da natureza ou um esconderijo na trama cosmopolita. São altivos, imponentes e se há coisa que não sabem é passar despercebidos. Mas são, acima de tudo, o cenário perfeito para as melhores fotografias de Instagram.

Ler mais

Roteiro 5. 6. 2018

Água na boca

"The Art of Flavours" é o primeiro festival gastronómico do Belmond Reid's Palace, no Funchal, que contará com a participação de oito Chefs Michelin de vários pontos da Europa.

Ler mais

Roteiro 25. 5. 2018

Uma experiência insólita

O menu do The Insólito está renovado, uma criação do Chef António Sousa, que manteve a essência da cozinha portuguesa e acrescentou uma pitada de irreverência. A Vogue Portugal subiu até ao emblemático terraço para experimentar estas novidades.

Ler mais

Roteiro 20. 4. 2018

Mesa para dois

Depois de Banguecoque, Moscovo e Dubai chegou a vez de Portugal acolher o primeiro Vogue Café.

Ler mais

Agenda 19. 2. 2018

Um jantar (muito) exclusivo no Ritz

O mais emblemático dos quartos do Ritz Four Seasons Hotel Lisboa vai receber, ao longo do ano de 2018, o Sangue na Guelra para promover uma série de jantares exclusivos.

Ler mais

Agenda 7. 2. 2018

Pela boca ama o peixe

Ama o dia de S. Valentim? Vá jantar ao Ritz. Odeia o dia de S. Valentim? Vá jantar ao Ritz.

Ler mais

Este website utiliza cookies. Saiba mais sobre a nossa política de cookies.   OK