Artigo Anterior

22 pares de botas de cano alto para um outono/inverno mais confortável

Próximo Artigo

Deixem o amor-próprio em paz

Compras 19. 11. 2019

Dois de copas: um workshop sobre o sutiã ideal

by Vogue Portugal

 

Seios, peito, maminhas, as “meninas”… quando se trata de falar das gémeas mais icónicas do corpo feminino, os vocábulos – uns mais fofinhos, outros menos – multiplicam-se, mas muitas vezes o apoio não. Quando se procura o suporte certo, não é num call center que vai obter resposta para todas as suas dúvidas sobre como evitar um #freethenipple inusitado. Escolher o sutiã certo é na amiga do peito do costume: a Vogue.

Emma, em renda, € 19,90, e Emma, em seda, € 29,90, dois modelos 1 2 3 triangulares de copa simples, ambos Intimissimi. © Ilustração de Nuno da Costa

Fala-se muito em VPL (visible panty line), mas pouco na VBL (visible booby line). Ao que parece, temos grandes problemas em que se note que estamos a usar cuecas por baixo das calças – mon dieu, o horror –, mas somos mais flexíveis quando o nosso fiel brasier nos “corta” o peito em quatro. Sabia que a maioria das mulheres ainda não sabe regras simples sobre que género de sutiã escolher para o seu tipo de peito? Isto prende-se, muitas vezes, com o facto de escolhermos peças no tamanho que achamos (ou gostaríamos de) usar em vez do número e copa corretos. O ideal, sempre que se sentir perdida, é pedir ajuda a uma das assistentes numa loja especializada. Mas, para não ir às cegas, a Vogue fez isso por si e falou com a Intimissimi sobre regras básicas na escolha do apoio certo para as nossas meninas.

Primeiro que tudo, vamos trocar por miúdas o que é isso de haver algarismos e letras num tamanho. “Quando falamos em número, está relacionado com a medida das costas, a letra é a medida da copa”, começa, a marca, por explicar. “Por isso, para sabermos as medidas, é necessário, primeiro, com uma fita métrica, medir o perímetro do tórax abaixo dos seios (esta medida será o número do tamanho do sutiã); em seguida, medir o perímetro do seio. E encontramos a copa se fizermos a seguinte medida: perímetro de costas - perímetro de seio. Por exemplo 85 cm-75 cm = 10 cm = copa B. A copa é a proporção entre costas e seio”, esclarece. Afinal, desabafam de alívio milhares de mulheres em todo o mundo neste momento, não precisava de melhor nota em métodos quantitativos para aplicar estas fórmulas.

Simona Push Up, em microfibra, € 25,90, modelo ideal para evidenciar peitos pequenos, com graduação central e lateral, Intimissimi.

Mas as contas não são tudo, principalmente num mercado – e a cadeia de lojas Intimissimi é pródiga nisso – que oferece tantos formatos de sutiã. Com aros e sem aros, bralette, tipo top, cai-cai, com renda, em licra… dá para encomendar em neopreno? Acho que, até ver, ainda não, mas tudo o resto parece ser exequível num arraial de materiais e formatos tão variados quanto os seios são diferentes. Também aqui, embora com alguma flexibilidade, há alguma atenção a ter na escolha, principalmente consoante o propósito, mais do que o tamanho ou tipo de peito: “a escolha de um sutiã deve ter sempre como base o efeito pretendido”, explica a referência em lingerie, como o “suporte, valorização de decote, invisibilidade, efeito natural ou push up, até porque hoje em dia na Intimissimi há opções para todos os tipos de mulheres. Não há nenhum faux pas, deve escolher aquilo que mais gosta. O suporte consegue-se, sobretudo, através de aros em formato de U e baleias laterais. Na Intimissimi, encontramos modelos faixa com aros em U e baleias laterais e assim conseguimos garantir suporte a todos os tamanhos. Hoje em dia, o efeito natural é o mais procurado no mercado e consegue-se com copas simples e formatos triangulares.”

E os tecidos também influenciam o suporte? – questionamos. Afinal, falamos não de ter um pássaro na mão e dois a voar, mas sim de apoiar uma dupla dinâmica que muitas vezes não é de todo um peso-pluma. “Há, de facto, tecidos que dão ligeiramente mais suporte, como renda elástica ou microfibra, ambas muitos confortáveis”, confirma. “A microfibra é fresca e suave e a renda Intimissimi é plana, precisamente para não se sentir os cortes da geometria encontrados no padrão. É cada vez mais uma questão de gosto, porque os materiais têm capacidade técnicas para responder a estas necessidades das clientes”, assegura.

Tiziana, em renda, € 25,90, modelo perfeito para usar de uma forma visível, Intimissimi.

Portanto, afastada a questão do tamanho, as restantes diretrizes prendem-se tanto com o gosto como com as exigências, porque a evolução do sutiã tem trazido alguma democratização no que ao formato versus tipo de peito diz respeito. Mas, falando em necessidades específicas, o que aconselhar a quem quer “aumentar” o peito e a quem quer “diminuí-lo”? De que forma é que um sutiã pode ajudar a conseguir este trompe l’oeil? “Para um seio pequeno que queira ser evidenciado, o sutiã tem de ter graduação central e lateral, como, por exemplo, o modelo Simona, que tem duas graduações oferecendo um efeito super push up. Para que o seio pareça mais pequeno, aconselhamos copas elásticas e decotes mais altos que ajudam a disfarçar o volume, características dos sutiãs da nova linha Vera.” E se for outra questão, como a dos “seios laterais”, aquele extra que sobra dos lados e não na frente, como se adquire um sutiã (não confundir com side boob, claro, que é diferente)? “Para os seios laterais, aconselhamos sempre dois modelos: para um efeito volume, copas com graduação lateral que vão juntar os seios e evidenciar; para um efeito natural, aconselhamos triângulos com aros em C que juntam também os seios sem aumentar, mas valorizando o decote”, sugere a Intimissimi. 

Depois de ultrapassadas as questões de necessidade, surgem as vontades. “Depois da revolução dos triângulos, cada vez mais sentimos que a idade já não tem influência na escolha do sutiã”, diz a marca, desmistificando que há formatos consoante a faixa etária. “Tanto mulheres mais maduras como mais jovens procuram um sutiã pelo estilo e efeito desejado. A Intimissimi, hoje em dia, consegue atingir uma faixa etária mais jovem devido à grande variedade de triângulos e modelos de algodão, como por exemplo o modelo Tiziana.” É por isso que, inevitavelmente, esta peça saiu do guarda-roupa interior para passar para o exterior: “cada vez mais o sutiã ganha protagonismo como acessório que complementa o look de uma mulher, seja apenas através dos detalhes nas alças, copas mais largas com rendas para fazer contraste por baixo de uma camisa, etc. (…)”, remata a Intimissimi.

Até porque o sutiã serve para dar apoio, e não esconderijo. E, nisso, ter uma boa peça ao peito é como ter um ás de copas na mão.

Boustier Iris, da linha Vera, em renda, ideal para peitos grandes que precisam de mais suporte, € 59,90, Intimissimi.

Artigos Relacionados

Editorial 5. 11. 2019

Editorial novembro 2019 | Twin Souls

"Talvez alma gémea não seja quem nos faz sentir mais feliz... mas sim quem nos faz, apenas, sentir."

Ler mais

Notícias 19. 9. 2019

Intimissimi lança Bra Twist, uma campanha para todas as mulheres

Sarah Jessica Parker está de regresso para protagonizar a nova campanha da marca de lingerie italiana, Bra Twist, que se foca nas necessidades da mulher real.

Ler mais

Tendências 30. 7. 2019

Sou teu amigo, sim

Quem é que define se um amigo é, ou não, de carne e osso?

Ler mais

Pessoas 15. 5. 2019

De Marilyn Monroe a Rihanna, estes são os momentos mais sexy da Moda

Antes de Justin Timberlake cantar aos sete ventos que estava a trazer o sexy de volta, já a Moda tinha reinventado o conceito centenas de vezes. Como? Com fatos que acentuam a anatomia feminina, com corpetes e cones que são tudo menos submissão, com vestidos que põem a mulher no comando.

Ler mais

Este website utiliza cookies. Saiba mais sobre a nossa política de cookies.   OK