Moda   Notícias  

Haute Couture goes digital

03 Jul 2020
By Rui Matos

É na Alta-Costura que os sonhos se tornam realidade. Não há impossíveis e o limite é o céu. Pela primeira vez na história da Alta-Costura, a mais cobiçada e exclusiva fashion week vai decorrer de forma digital e este é o guia Vogue a ter debaixo de olho, que é como quem diz: guardado nos favoritos.

É na Alta-Costura que os sonhos se tornam realidade. Não há impossíveis e o limite é o céu. Pela primeira vez na história da Alta-Costura, a mais cobiçada e exclusiva fashion week vai decorrer de forma digital e este é o guia Vogue a ter debaixo de olho, que é como quem diz: guardado nos favoritos.

Do trabalho exímio de Martin Margiela e das suas máscaras que cobriam por completo o rosto com joias aos cenários excêntricos de Karl Lagerfeld para a Chanel, sem esquecer os tecidos que Iris Van Herper elege ou as criações arrebatadoras da dupla Viktor & Rolf, nas passerelles da Semana de Moda de Alta-Costura já vimos de tudo, bem, quase tudo - há sempre espaço para manobras mirabolantes que nos deixam de queixo caído. É assim a magia da Alta-Costura. 

A Chambre Syndicale convida, desde 1945, algumas das Maisons mais prestigiadas da indústria para apresentarem as suas coleções de Alta-Costura. Chanel, Christian Dior e Schiaparelli fazem parte do leque de Casas que cumprem os requisitos para poderem usar esta insígnia. Para uma peça ser considerada de Alta-Costura tem que ser produzida à mão e por medida, num atelier com o mínimo de 20 funcionários e por uma marca ou designer que apresente as suas coleções (daytime e eveningwear) duas vezes por ano, em Paris. É a mais antiga e a mais cara das Semanas de Moda, um vestido pode chegar muito facilmente aos seis dígitos. É uma indústria que tem clientes que não conhecem limites. 

Neste mês de julho, infelizmente, não vamos viajar até Paris, não vamos tomar o pequeno almoço com o Sena como pano de fundo, nem tão pouco pisar o Jardim do Trocadéro para tirarmos aquela fotografia para a posteridade. O que vai acontecer é que vamos ficar em casa, com a roupa mais confortável que tivermos no armário e vamos assistir, na front row digital, aos sonhos que os membros deste clube têm para apresentar. 

A Fédération de la Haute Couture et de la Mode vai apresentar as coleções de outono/inverno 2020 online através de fashion films, experiências virtuais e preview de alguns coordenados. A Valentino, por exemplo, está a colaborar com Nick Knight (a mente por detrás do filme Jesus Is King, apresentado em IMAX, de Kanye West) numa experiência imersiva para a nova coleção da marca, a ser apresentada no palco do Cinecittà, em Roma, no dia 21 de julho, mas no próximo dia 8 vamos ter um preview. De fora deste calendário ficou a estreia de Chitose Abe para Jean Paul Gautlier, o regresso da Balenciaga e a Givenchy, que anunciaram há pouco mais de uma semana o novo diretor criativo, Matthew Williams.  

Mesmo sendo esta uma Semana de Moda digital, o calendário recria a loucura que é uma fashion week na vida real. Os desfiles podem ser visto no site da Fédération de la Haute Couture et de la Mode, em Hautecouture.fhcm.paris, de 6 a 8 de julho.

Rui Matos By Rui Matos

Relacionados


Moda  

Open Call | Hide and Seek

21 Jun 2024

Atualidade   Curiosidades  

Junho, o mês do orgulho

21 Jun 2024

Moda   Compras   Tendências  

Trend Alert | Deep V

20 Jun 2024

Eventos   Atualidade  

Tudo o que precisa de saber sobre o Vogue World: Paris

20 Jun 2024