Artigo Anterior

Editorial dezembro 2019 | Family Affairs

Editorial 7. 1. 2020

Editorial Janeiro 2020

by Sofia Lucas

 

If people respect you, respect them back.
If they disrespect you, respect them back.
They represent their ideology, you represent yours.

Vogue Values RESPECT and DIVERSITY

Somos todos iguais no facto de sermos todos diferentes. Somos todos iguais no facto de nunca sermos os mesmos. Estamos unidos pela realidade de que todas as cores e culturas são distintas e individuais. Pela realidade em que todos somos mantidos nesta Terra pela mesma gravidade e compartilhamos o ar que nos mantém vivos. 

Quando tinha 10 anos, e comecei a questionar a minha educação católica, perguntei a um padre o porquê de tantas igrejas e religiões diferentes. E ele respondeu-me: "Se Deus quisesse que todos o adorássemos só numa igreja e da mesma forma, ele não teria feito tantos tipos diferentes de pessoas". Eu gostei disso, e sinto o mesmo da vida como um todo. Essa é a glória da vida, que parece sempre tender à diversidade. Parece ser uma das suas caracterí­sticas mais básicas. E, nesse sentido, eu diria que a evolução tem uma tendência. E se a evolução, que tem uma Teoria, nos diz que descemos das árvores não há assim tanto tempo, estamos ainda muito próximos dos macacos… e, no fundo, é surpreendente como até evoluímos tanto. Tendo em conta que podemos escrever equações diferenciais e conseguir resolvê-las, dividir um átomo ou viajar até à lua parece quase um milagre. Por isso, o facto de ainda não conseguirmos “ver tudo”, nem ter encontrado respostas para as perguntas que ainda nem nos lembrámos de fazer, também tem de ser uma realidade. Se existir futuro suficiente para a Humanidade, é lá que estaremos a interrogarmo-nos e a imaginar o que agora nem conseguimos imaginar. Porque acredito que existe ainda um longo caminho evolutivo, mais do que a nível racional, nas emoções e na forma como nos relacionamos. 

Existe uma experiência conhecida, com cinco macacos fechados numa jaula e uma banana pendurada numa corda, num ponto elevado, no centro da jaula. Por baixo dessa corda, há uma escada de acesso. Sempre que um dos macacos tentava subir e agarrar a banana, todos os macacos eram molhados com água gelada. Após algumas tentativas, todos os macacos aprenderam a associar o subir da escada para alcançar a banana com o castigo coletivo do grupo. Quando deixou de haver necessidade de água, porque já nenhum macaco tentava subir a escada, um dos cinco macacos foi substituído por um novo, que não conhecendo o tratamento de água gelada, começou a subir a escada, mas rapidamente foi puxado para baixo e espancado pelos restantes macacos. Depois, um por um, os macacos que haviam experimentado o tratamento original da água gelada foram substituídos por um novo macaco. Com a introdução de cada novo macaco, os outros macacos atacavam até que ele parasse de tentar chegar à banana. Apesar dos novos macacos não saberem da água, continuavam a repetir o mesmo comportamento que os outros. Um comportamento comum em sociedade, onde culturas, hábitos e leis são frequentemente aceites como norma, sem serem questionadas. Fazemos coisas para nos encaixarmos, pertencer e ser aceites. Como os macacos, muitas vezes nem nos apercebemos do que estamos a fazer, estamos apenas a repetir um padrão, a seguir uma multidão. 

Tomando as tendências na Moda como exemplo, podemos usar a Moda como uma forma de expressão individual e pessoal, bem como uma maneira de ser aceite e impressionar os outros - ou para mostrar status ou simplesmente como uma maneira de obter aprovação. E todos fazemos isso, de alguma forma, porque faz parte do lado (menos evoluído) da nossa natureza. Mas no séc. XXI, eleva-se este comportamento a um novo nível. A Internet, as redes sociais, trouxeram uma massificação da liberdade de expressão, nunca antes vivida. E com a liberdade também os comportamentos extremistas e da falta de respeito generalizada, e assistimos a polaridades que tomam caminhos de violência, crueldade e ignorância. Mas o respeito será sempre um caminho com dois sentidos e, se queremos recebê-lo, há que aprender a dá-lo antes de mais.

Tal como o Estilo, a Atitude também é uma escolha. A Mudança é uma escolha. O Otimismo é uma escolha. A Generosidade é uma escolha. A Inclusão é uma escolha. O Respeito é uma escolha.

E no fim do dia, a verdade é só uma: somos o que escolhemos ser. 

Artigos Relacionados

Editorial 6. 12. 2019

Editorial dezembro 2019 | Family Affairs

Nascemos e aprendemos - ou desaprendemos - a amar através dos nossos padrões formativos de apego, modelados e cultivados na família, padrões que imprimem a nossa identidade emocional e moldam os ideais segundo os quais nos ligamos, sejam eles na dor ou na felicidade.

Ler mais

Editorial 5. 11. 2019

Editorial novembro 2019 | Twin Souls

"Talvez alma gémea não seja quem nos faz sentir mais feliz... mas sim quem nos faz, apenas, sentir."

Ler mais

Editorial 7. 10. 2019

Editorial outubro 2019 | Addicted to Vogue

"Sempre vi a Vogue como uma porta de entrada para um mundo novo. E a Moda, o pretexto e a chave de entrada nesse mundo, como um cocktail explosivo de pragmatismo e sonho, sem limites para a criatividade."

Ler mais

Editorial 3. 9. 2019

Editorial Setembro 2019

"Duas coisas são infinitas: o universo e a estupidez humana. Mas, em relação ao universo, ainda não tenho a certeza absoluta." - Albert Einstein

Ler mais

Editorial 5. 8. 2019

Agosto 2019 | A Matter of Taste

A nossa noção de gosto é tão central nas nossas vidas diárias que raramente paramos para pensar nisso e perceber que o nosso gosto não é, nem tem de ser, o gosto dos outros.

Ler mais

Editorial 6. 7. 2019

Editorial Julho 2019

"E tudo se resume a isso: todas as vidas estão inter-relacionadas. Estamos todos presos numa incontornável rede de mutualidade. O que quer que afete um destino, afeta todos indiretamente."

Ler mais

Editorial 31. 5. 2019

Editorial Junho 2019

Com a chegada da edição de junho de 2019 da Vogue às bancas, tem a palavra Sofia Lucas, diretora.

Ler mais

Editorial 3. 5. 2019

Editorial Maio 2019

Com a chegada da edição de maio de 2019 da Vogue às bancas, tem a palavra Sofia Lucas, diretora.

Ler mais

Este website utiliza cookies. Saiba mais sobre a nossa política de cookies.   OK