Atualidade   Curiosidades  

A história de uma Panthère imortal

09 Mar 2020
By Rui Matos

A coleção Panthère de Cartier é o epitome da feminilidade, da sensualidade e da liberdade. Valores que permanecem desde o ano de 1914, que assinala a primeira aparição deste felino numa criação da marca francesa.

A coleção Panthère de Cartier é o epitome da feminilidade, da sensualidade e da liberdade. Valores que permanecem desde o ano de 1914, que assinala a primeira aparição deste felino numa criação da marca.

“Esmeraldas, onyx, diamantes, um alfinete!” Reza a lenda que estas foram as palavras que Jeanne Toussaint gritou quando viu uma pantera durante um safari que estava a fazer com Louis-François Cartier. À época , já Toussaint era diretora do departamento de joias de luxo da Cartier, posição que assumiu em 1933, três décadas depois de ter integrado a Maison francesa, em 1913 como diretora de carteiras, acessórios e objetos. 

Apesar de Toussaint ser conhecida como “the Panthère”, nickname que Louis Cartier lhe deu, a primeira vez que uma pantera foi introduzida nas coleções Cartier foi em 1914, num relógio de pulso feminino em onyx e diamantes com o padrão do felino. Nesse mesmo ano, a Cartier pediu a George Barbier uma ilustração de uma mulher acompanhada por uma pantera que serviria como convite para uma exposição de joias. Mas as ambições de Jeanne Toussaint - uma das primeiras mulheres a assumir as rédeas de uma marca de joias nos anos 30 - ao utilizar a imagem deste felino iam muito além de ilustrações e padrões. 

A primeira pantera em três dimensões foi introduzida em 1948, através de uma encomenda feita por Eduardo VIII, Duque de Windsor, para a sua mulher Wallis, Duquesa de Windsor. A peça foi criada a partir de uma esmeralda de 116.74 quilates que Eduardo VIII guardava na sua coleção pessoal. Este alfinete tinha uma pantera em ouro e onyx sentada em cima de uma esmeralda enorme. Um ano mais tarde, e seguindo o lema “ano novo, pantera nova”, o casal voltou a encomendar outro alfinete à casa francesa, desta vez em safira. Os membros da família real britânica não foram os únicos a renderem-se aos encantos deste felino, personalidades como Daisy Fellowes, Nina Aga Khan, Barbara Hutton, Elizabeth Taylor, María Félix e Monica Bellucci são algumas das personalidades que incorporam o espírito feminino e audaz que estas joias transmitem a quem as usa.  

“Jean Toussaint era uma mulher muito vanguardista, quer na sua vida privada, quer na sua profissão. Definitivamente, Toussaint apoiava o empoderamento feminino através das suas criações fortes, mas também muito flexíveis e maleáveis, com o objetivo de permitir às mulheres uma facilidade no movimento e de as incentivar a ter uma nova liberdade e atitude,” confessou o departamento de herança da Cartier, numa entrevista à Vogue Austrália. A criadora francesa foi uma figura importante para abrir o caminho a uma nova geração de mulheres na indústria da joalharia, sem esquecer que pensou no design das joias de uma maneira que estas peças enaltecessem a beleza e personalidade de quem as usava. 

Dos alfinetes às pulseiras, dos colares aos relógios, dos brincos aos anéis, dos perfumes às carteiras, a pantera está presente na Cartier há 106 anos e é, sem qualquer dúvida, um símbolo da Maison francesa e do legado de Jeanne Toussaint, que deu a este felino uma estética mais escultural - a designer incentivou a sua equipa de criadores a visitar os zoológicos em Paris para poderem desenhar as panteras em todas as suas posições. 

Desde a sua primeira aparição, numa joia de Jeanne Toussaint, a motivos inspirados pela art deco, passando pelas joias dos anos 80 e pelos designs mais contemporâneos, a coleção Panthère de Cartier tem sido reinterpretada pela Maison francesa assim como o tweed é pela Chanel. A inspiração e o ADN que a tornaram um ícone imortal permanecem intactos, mas o design foi-se moldando às tendências do agora. 

Em 2020, à vasta coleção junta-se La Panthère, uma nova pulseira em ouro amarelo, onyx, esmeraldas e diamantes, com a expressão felina a dar continuidade à feminlidade, à elegância e sensualidade que uma pantera exige. 

--

Cartier [Lisboa]Av. da Liberdade 240 A, 1250-148 LisboaT. 213 302 420

Rui Matos By Rui Matos

Relacionados


Agenda  

Lisbon Design Week 2024 | A semana dedicada ao design começa hoje

22 May 2024

Tendências  

Who let the baby bump out?

22 May 2024

Compras   Roteiro  

As melhores lojas vintage da Europa

22 May 2024

Moda  

For life

22 May 2024