Lifestyle   Roteiro  

10 livros que são o espelho das palavras

11 Mar 2021
By Ana Murcho e Maria Nunes

Era uma vez um conjunto de poemas, imagens e palavras que, sem querer, ou talvez não, refletiam sentimentos, ansiedades e acontecimentos comuns à vida de qualquer um de nós. Da lista infinita chamada biblioteca universal, escolhemos os livros cujo denominador comum é esse objeto de fascínio, o espelho.

Era uma vez um conjunto de poemas, imagens e palavras que, sem querer, ou talvez não, refletiam sentimentos, ansiedades e acontecimentos comuns à vida de qualquer um de nós. Da lista infinita chamada biblioteca universal, escolhemos os livros cujo denominador comum é esse objeto de fascínio, o espelho.

DOUG AITKEN, de Daniel Birnbaum, Amanda Sharp e Jörg Heiser, Phaidon (2001) € 39,95.

Uma exploração do trabalho de Doug Aitken, um artista californiano especializado em vídeo e instalações. Neste livro é apresentada uma discussão sobre os métodos de trabalho de Aitken; um estudo da sua arte no contexto da filosofia contemporânea; um estudo do "eu estou em si" de Aitken; um conto escolhido por Aitken; e muito mais. 

HALL OF MIRRORS: ROY LICHTENSTEIN AND THE FACE OF PAINTING IN THE 1960S, de Graham Bader, October Books (2010), € 8.

Hall of Mirrors avança cronologicamente, começando com os estudos de Lichtenstein na Universidade Estadual de Ohio e no final dos anos 50 em direção ao pop, passando pelas suas telas seminais do início dos anos 1960, até às suas experimentações do final dos anos 60 em escultura, pintura, instalação e fotografia analógica. O livro termina com uma análise das pinturas do espelho de Lichtenstein de 1969 a 1972. Essas obras pouco discutidas, Bader argumenta, exemplificam a mudança de foco de Lichtenstein dos anos 60 para a experiência incorporada de seus próprios espectadores - e, portanto, culminam e concluem a sua prática da década.

THE MAGIC MIRROR OF M. C. ESCHER, de Bruno Ernst, Taschen (2018), € 15.

Muito antes das primeiras imagens 3D geradas por computador, M.C. Escher foi um mestre da terceira dimensão. A sua geometria e ilusões impossíveis, na fronteira entre o científico e o psicológico, são uma homenagem às possibilidades da mente humana. Esta coleção apresenta os principais trabalhos gráficos e ilustrações do artista em impressionantes reproduções de página inteira, com explicações detalhadas de cada problema matemático. 

SOBRE OS ESPELHOS E OUTROS ENSAIOS, de Umberto Eco, Relógio D’Água (2016), € 15,30.

Sobre os Espelhos e Outros Ensaios é uma antologia de textos ocasionais, escritos entre 1972 e 1985. Começaram por ser conferências, prefácios e debates, tendo em comum a questão da representação, da ilusão e da imagem. 

YAYOI KUSAMA: INFINITY MIRRORS, de Mika Yoshitake e Alexander Dumbadze, Prestel (2017), € 45,95.

A artista plástica japonesa de renome mundial Yayoi Kusama já trabalhou com pintura, escultura, arte performativa e instalação. Os icónicos Infinity Mirror Rooms de Kusama situam os espectadores em espaços caleidoscópicos cheios de luzes multicoloridas ou formas extravagantes. Essas instalações espelhadas refletem infinitamente, distorcendo salas para projetar a ilusão de espaço infinito. Ao longo dos anos, as obras passaram a simbolizar diferentes modalidades dentro dos vários contextos em que habitaram, desde a "auto-obliteração" de Kusama na era da Guerra do Vietnam até às suas aspirações mais harmoniosas no presente. Generosamente ilustrada, esta publicação convida os leitores a examinar o impacto desta instalação ao longo da carreira da artista. Ensaios, uma entrevista com a artista e uma cronologia académica completam o livro. 

BEYOND THE MIRROR, de Leif Sandberg, Setanta Books (2018), € 34.

Materializado após uma cirurgia, Ending foi um livro de Leif Sandberg (1943) aclamado pela crítica que tratou a proximidade com a morte. ‘Beyond the Mirror’ acontece após a morte, com a morte ainda de facto presente. O seu novo livro tem elementos biográficos, como fotos das várias passagens de Leif pelo Caminho de Santiago, fotos de família e íntimas e também um toque de ficção científica. Em comparação com o primeiro livro de Leif, Beyond the Mirror tem uma abordagem mais experimental à fotografia. Tentando fazer algo relacionado com outros mundos, o fotógrafo sentiu que era natural usar uma linguagem especial. - “Acredito que experienciamos apenas uma fração do que acontece à nossa volta e que existem muitos mundos que não conseguimos ver ou experienciar. Beyond the Mirror é uma fantasia à volta dessa temática.

I’LL BE YOUR MIRROR: THE COLLECTED LYRICS, de Lou Reed, Hachette Books (2020), € 39,95.

Um volume abrangente de letras de Lou Reed com novas introduções, agora atualizado num novo design de texto para incluir as letras do seu álbum final com os Metallica, Lulu. Através das suas muitas encarnações - do punk ao glam rocker, o trabalho de Lou Reed manteve uma vividez inegável e uma beleza crua. Começando com os seus tempos formativos no Velvet Underground e continuando através dos seus notáveis ​​álbuns a solo como Transformer, Berlin e Nova York, Doin 'The Things We Want To é crucial para uma apreciação de Lou Reed, não só como um músico underground aclamado, mas como um dos compositores mais visionários da era do rock’n'roll. Contendo um corpo de trabalho que se estende por mais de seis décadas, esta é uma homenagem às qualidades literárias de um original americano. 

MIRROR MIRROR, de Ryan McGinley, Rizzoli Electra (2018), € 54.

“Este livro contém fotos dos meus amigos. A maioria deles são artistas - bailarinos, arquitetos, fotógrafos, atores, pintores, músicos, designers de moda, coreógrafos, performers. Este projeto é sobre comunidade – a minha comunidade. Alguns são familiares, amigos de faculdade, cunhados, mães, tias, ex-modelos ou ex-namorados, muitos dos quais fotografei para outras séries do meu trabalho. Em vez de fotografá-los como fiz antes, pedi que se fotografassem nos seus próprios espaços, usando um conjunto de instruções escritas que criei para ajudar a orientar o processo.”

THE PICTURE OF DORIAN GREY, de Oscar Wilde, Penguin Books (2008), € 16,82.

Dorian Gray é um jovem invulgarmente belo por quem Basil Hallward, um pintor londrino, fica fascinado. Determinado a eternizar a beleza de Dorian numa tela, Basil convence-o a posar para ele. Numa dessas sessões, o jovem conhece Lorde Henry Wotton, um aristocrata cínico e hedonista, que o desperta para a beleza e o seduz para a sua visão do mundo, onde as únicas coisas que valem a pena perseguir são a beleza e o prazer. Horrorizado com o destino inevitável que o fará envelhecer e perder a sua beleza, Dorian comenta com os amigos que está disposto a tudo, até mesmo a vender a alma, para permanecer eternamente jovem e manter a sua beleza. Fortalecido pelo hedonismo, Dorian trata cruelmente a sua noiva, Sybil Vane, que se suicida com o desgosto. Ao saber do sucedido, o jovem começa a notar certas mudanças subtis na sua expressão no quadro, e constata que é o Dorian do quadro que envelhece e que sofre com a passagem dos anos, ao mesmo tempo que o Dorian real permanece com a juventude e beleza intacta. Um romance gótico de terror com um forte tema faustiano, O Retrato de Dorian Gray é considerado pela crítica como a melhor obra de Oscar Wilde.

PICASSO AND PHOTOGRAPHY: THE DARK MIRROR, de Anne Baldassari, Flammarion (1997), € 35

Até que ponto a fotografia influenciou a obra de Pablo Picasso é agora uma consideração importante na compreensão de toda a obra do artista. Vinculados a uma grande exposição, estes livros belíssimamente ilustrados apresentam uma visão única da relação de Picasso com as artes fotográficas. A presença no seu património pessoal de vários milhares de imagens fotográficas, doadas ao governo francês após a sua morte, motivou este estudo e é um poderoso testemunho da versatilidade e profundidade imaginativa do artista. A coleção apresentada aqui inclui retratos do século XIX, cartões postais com temas coloniais ou grupos étnicos em trajes regionais, bem como retratos, autorretratos e vistas de estúdio tiradas pelo próprio Picasso. Já na virada do século, todos eles contribuíram para a expressão figurativa do artista, bem como para suas principais interpretações cubistas.

Artigo originalmente publicado na edição de janeiro/fevereiro de 2021 da Vogue Portugal.

 

 

Ana Murcho e Maria Nunes By Ana Murcho e Maria Nunes

Relacionados


Agenda  

Lisbon Design Week 2024 | A semana dedicada ao design começa hoje

22 May 2024

Tendências  

Who let the baby bump out?

22 May 2024

Compras   Roteiro  

As melhores lojas vintage da Europa

22 May 2024

Moda  

For life

22 May 2024