Artigo Anterior

To Be Continued | É Permitido Fumar

Próximo Artigo

O que é que a superlua rosa de abril tem reservado para nós?

Palavra da Vogue 14. 4. 2021

As 10 palavras sobre Moda sustentável que precisa de saber

by Emily Chan

 

Sabe detectar o greenwashing? Sabe a diferença entre compostável e biodegradável? O que é, na verdade, o microplástico? Neste artigo, decompomos a terminologia ecológica utilizada perlas marcas para que possa fazer escolhas informadas quando fizer as suas compras. 

Fotografia de Tierny Gearon

Mesmo que se tenha comprometido a que o seu guarda-roupa seja o mais ecológico possível, navegar no mundo da sustentabilidade pode ser avassalador, com novas terminologias e palavras científicas a surgirem todos os dias. Mas o que significam realmente estas palavras e o porque é que são importantes?

Ser um cliente informado significa que pode evitar o greenwashing e garantir que as marcas que escolhe estão realmente a tomar as medidas necessárias para ajudar a salvar o nosso planeta e apoiar as pessoas que fazem as nossas roupas. Felizmente, existem muitos recursos por aí para o orientar, incluindo o The Sustainable Fashion Glossary, criado pela Condé Nast em parceria com o London College of Fashion's Centre for Sustainable Fashion (CSF). "É vital que tenhamos clareza e compreensão na linguagem da Moda para falar sobre as crises ambientais, culturais e de saúde associadas aos nossos tempos", diz o Professor Dilys Williams, director do Centro para a Moda Sustentável, à Vogue. "O que [usamos] deve reflectir aquilo que defendemos e este glossário pode ajudar a tomar decisões sobre aquilo em que a Moda realmente consiste". 

Quer saber o que significa realmente transparência, ou a diferença entre biodegradável e compostável? Não se preocupe, aqui estão os termos essenciais que precisa de saber.

Compensação de carbono 

A Moda precisa de reduzir as suas emissões de CO2 e rapidamente, sendo a indústria responsável por 4%10% das emissões globais de gases com efeito de estufa todos os anos. É por isso que um número crescente de marcas começou a compensar as emissões de carbono: investir em projectos centrados na redução de emissões, tais como a restauração florestal. No entanto, a compensação de carbono (que frequentemente tem lugar em países em desenvolvimento) não é de modo algum uma solução perfeita, e não deve distrair-se da necessidade real das empresas lidarem directamente com a sua própria pegada de carbono. 

Microplásticos

Os microplásticos são pequenas partículas de plástico que estão a poluir cada vez mais o nosso planeta, sendo o vestuário sintético um dos principais culpados. De facto, as estimativas sugerem que cerca de 20% a 35% dos microplásticos a serem libertados nos nossos oceanos provêm dos têxteis, representando uma enorme ameaça para a vida marinha que os ingere. Felizmente, há coisas diárias que podemos fazer para ajudar a resolver o problema, incluindo evitar os sintéticos sempre que possível e usar um filtro de microplásticos, tal como um saco Guppyfriend ou uma Cora Ball, quando se lava a roupa.

Fibras naturais

As fibras naturais - que provêm de plantas ou animais - são geralmente consideradas mais sustentáveis que os sintéticos (que são derivados de combustíveis fósseis), e incluem algodão, linho e lã. Mas as fibras naturais ainda têm diferentes graus de impacto, com o algodão orgânico menos nocivo para o ambiente do que o algodão e o couro convencionais tendo uma maior pegada de carbono em comparação com o poliéster, por exemplo. Embora as próprias fibras naturais sejam biodegradáveis, os produtos químicos utilizados para as tratar no processo de fabrico podem não o ser.

Materiais biodegradáveis

Já deve ter visto um número crescente de produtos rotulados como biodegradáveis, quer se trate do vestuário em si ou da embalagem. E embora os materiais biodegradáveis se decomponham naturalmente através de microorganismos como bactérias e fungos, não há garantias: condições como a temperatura e os nutrientes afectarão a biodegradabilidade, assim como os corantes e as lavagens utilizadas para tratar os materiais. Vale a pena notar que a biodegradabilidade é diferente da compostável, sendo que esta última requer normalmente um processo gerido.

Greenwashing

À medida que os clientes se tornam cada vez mais conscientes das suas compras, o greenwashing - quando as marcas fazem afirmações falsas sobre as suas políticas ambientais - está também a aumentar. Isto inclui descrições de produtos como sendo sustentáveis, apenas porque contêm uma pequena quantidade de conteúdo reciclado. Para evitar o greenwashing, procure factos e números que sustentem as reivindicações da marca em questão.

Upcycling

À medida que as marcas se tornam mais conscientes do impacto das matérias-primas, o upcycling tornou-se uma tendência crescente na indústria, com marcas como Balenciaga, Miu Miu e Marni a fazer uso de materiais pré-existentes. Upcycling significa transformar materiais e produtos descartados em artigos de maior valor, enquanto que reciclagem significa normalmente transformar um produto descartado num artigo semelhante.

Biodiversidade

A biodiversidade é a variabilidade das espécies no nosso planeta e é de máxima importância - considerando o quão ligados estão os nossos ecossistemas. Um milhão de espécies está agora em risco de extinção, com a taxa de perda de biodiversidade estimada em 1.000 vezes a taxa natural. Considerando que a grande maioria dos materiais utilizados na Moda vêm da natureza (quer seja algodão cultivado nos campos ou viscose das árvores), a indústria está lentamente a acordar para o seu papel nesta matéria, com a Kering e a LVMH a anunciarem novas iniciativas destinadas a restaurar a biodiversidade ainda este ano.

Sobreconsumo

Com um espantoso número de 100 mil milhões de peças de roupa produzidas globalmente todos os anos, o sobreconsumo é um problema real. Dito de forma simples: temos mais peças de vestuário do que realmente precisamos e continuamos a fazer mais roupa do que o nosso planeta consegue suportar. De facto, estima-se que o número de vezes que uma peça de vestuário é usada diminuiu 36% nas últimas duas décadas, acabando frequentemente em aterros sanitários. É por isso que o mantra "compre menos e compre melhor" é mais importante do que nunca. 

Transparência

É necessária uma maior transparência por parte das marcas para que possamos saber se estão a cumprir os seus compromissos de sustentabilidade. Isto significa que as empresas divulgam informação através de cadeias de fornecimento inteiras, incluindo políticas sociais e ambientais. Embora o grupo Fashion Revolution produza um Índice Anual de Transparência da Moda, é importante lembrar que as marcas que são mais transparentes não são necessariamente mais sustentáveis.

Comércio ético

Embora as palavras "sustentável" e "ético" sejam por vezes utilizadas indistintamente, o comércio ético refere-se especificamente à forma como as pessoas ao longo da cadeia de fornecimento de Moda são tratadas - desde as que cultivam as matérias-primas até às que trabalham directamente para uma empresa. Para que uma marca funcione eticamente, os direitos dos trabalhadores - tais como horários máximos de trabalho, saúde e segurança, liberdade de associação e salários justos - devem ser respeitados.

Artigos Relacionados

Compras 9. 4. 2021

Desglobalização: de olhos postos nos pequenos negócios

O futuro das marcas de Moda não é a quantidade de produtos, mas a relevância das suas propostas.

Ler mais

Curiosidades 6. 4. 2021

Dia da Terra 2021: tudo o que precisa de saber

Milhões de pessoas em todo o mundo, no mês de abril, assinalam o Dia da Terra como forma de apoio ao meio ambiente - neste artigo reunimos tudo o que precisa de saber.

Ler mais

Tendências 24. 3. 2021

O problema das embalagens na Beleza

Na era do desperdício zero, todas as marcas podem e devem reformular-se, reposicionar-se e reinventar-se.

Ler mais