Artigo Anterior

Taylor Hill: "A mulher mais confiante é a mais bonita"

Próximo Artigo

Joana Ribeiro: “O sonho, para mim, é fazer alguma coisa que fique.”

Entrevistas 20. 3. 2020

Filipa Veiga: "O yoga é para evoluirmos enquanto seres"

by Rui Matos

 

Se sempre esteve adiar começar a praticar yoga, este é o momento.

© Mirta Kokalj

Yoga, em sânscrito, significa conhecer-se completamente e estar em paz com o nosso eu interior. É uma liberdade de todo sofrimento, de todas as dúvidas e confusões. Uma união e conexão com o objetivo principal de nos conectarmos à nossa essência, através das respiração, da meditação e das posturas. É deixar de lado a nossa identificação com o ego e perceber que transcendemos todos os conceitos que a sociedade nos tenta incutir.

É certo que o yoga é uma modalidade mais interior do que exterior, mas os benefícios que a prática deste exercício nos fornece são incontáveis: flexibilidade, desenvolvimento muscular, reforço da coluna vertebral, redução da dor e redução das articulações são alguns dos vários exemplos. Ao nível interior, com o yoga vamos ficar mais conscientes da nossa respiração (consequentemente, vamos aprender a controlar os burburinhos da nossa cabeça), reduzir os níveis de ansiedade, vamos ficar mais relaxados e com muita paz interior. 

 

 
 
 
Ver esta publicação no Instagram

Uma publicação partilhada por Filipa Veiga (@filipaveigayoga) a

 

Filipa Veiga é professora de yoga e coach de ayurveda e a partir de hoje, 20 de março, vai partilhar na sua conta de Instagram, em @filipaveigayoga, os seus conhecimentos nesta modalidade. A yogi portuguesa mergulhou nesta filosofia em 2004, quando ainda era jornalista na S|C, e precisava de um escape do stress e adrenalina que a profissão exigia. Hoje, dedica-se a tempo inteiro ao yoga, dá aulas, organiza retiros espirituais e é ávida consumida de tudo aquilo que está relacionado com o bem-estar e crescimento interior. 

Antes de começarmos a praticar yoga, o que é que devemos saber sobre esta modalidade?

Na realidade, nada. Diria que apenas precisamos de estar abertos a uma nova experiência de coração aberto, sem expetativas, sem competições, sem ideias de um resultado. Crescemos a pensar que tudo o que fazemos é para atingir algo. É o nosso padrão de sociedade. O yoga vem destruir esta ideia e vem ensinar-nos a sermos apenas nós. Algo que a maioria nunca parou para refletir. O que, de facto, estamos aqui a fazer. A aprender a deixar fluir e acreditar nas leis divinas. A aprender que não controlamos nada. Este vírus veio provar o que os yogis dizem há milhares de anos. O yoga é para evoluirmos enquanto seres. Vivemos no nível material que é considerado menor na filosofia yogi.

Durante este período de quarentena, de que como é que o yoga nos pode ajudar a permanecermos mais calmos e com uma mente sã?

O yoga é uma prática com um único objetivo: criar e nutrir a acalmia da mente. Este objetivo é conseguido através de uma respiração consciente. Ficarmos no presente, sem pensarmos no futuro que, esse sim, cria ansiedade ou, no passado, que alimenta sentimentos depressivos. O presente é o presente da vida! É o centro, a equanimidade. O yoga é, então, a união entre o corpo e o espírito, onde não há separação. É sermos um e a natureza deu-nos todas as ferramentas, nós é que não as estamos a usar de tão ocupados que estamos na vida.  

Este é, então, o momento certo para integrar estas práticas. Os yogis sabem que nascemos com uma mente que cria pensamento atrás de pensamento e que precisamos de limpá-la e nutri-la com a respiração todos os dias para evoluir. Porque a nossa realidade são os nossos pensamentos. Se cultivamos pensamentos positivos, vemos a vida sempre de forma positiva e aceitamos os momentos "menos bons” como parte do processo para a aprendizagem, para a evolução. Sei que vamos crescer muito com o que estamos a enfrentar. Vamos passar a ouvir mais o nosso coração, a nossa intuição.

© Mirta Kokalj

Que conselhos dá a quem quer começar a praticar yoga em casa, mas nunca praticou antes?

Que procure um professor. Sei que agora é mais difícil, mas temos a sorte de poder usar as ferramentas tecnológicas, eu estou a dar aulas online todos os dias, privadas ou coletivas. E já não há desculpa de falta de tempo para cuidar de nós. Então vamos aproveitar, é uma oportunidade.

Há algum horário-chave para a prática deste exercício?

Sim na realidade os yogis chamam-lhe a hora néctar, aquela hora antes do nascer do dia, antes do acordar da natureza. É a hora propícia às práticas espirituais, e é entre as 4 e as 6 da manhã. Chama-se a hora Brahma muhurta, a hora de Brahma. Depois a energia começa a crescer e já não há a mesma serenidade. Mas entendo que para quem está a começar seja demais, então, costumo dizer que a melhor hora é a hora que podemos estar presentes na nossa prática, sem distúrbios nem ruídos exteriores. Porque o importante é praticar.

O que é que devemos comer antes de praticar yoga? Ou também o podemos fazer em jejum?

Devemos praticar em jejum. Ou, se já comeu, deve esperar duas horas entre a refeição e a prática, de forma a praticar de estômago vazio. As posturas são pensadas para a limpeza dos órgãos e em especial dos digestivos, então, devemos ter a barriga vazia para que essa limpeza, esse detox, possa acontecer de forma suave. Recomendo beber água morna de manhã com limão, eu bebo um smoothie se sei que ainda vou demorar uma hora até chegar ao tapete. 

© Mirta Kokalj

O que é que precisamos para começar a praticar este exercício em segurança? 

Ter o acompanhamento de um professor, falar sobre o seu estado físico e entregar-se porque só coisas boas vão acontecer! Uma coisa importante: o yoga não é uma prática intelectual e sim uma prática que se tem de experienciar no corpo para sentir e saber ensinar. Procure um professor experiente.

Quais são as posições-chave, ou aquelas que recomenda, para um iniciante deste exercício?

Fazer alguns Surya Namaskar, ou seja, umas saudações ao sol. É o início da prática, um agradecimento ao astro que nos dá vida. É uma forma muito bonita de começar o dia a agradecer. A Saudação ao Sol é como um ritual, não só o Sol que gera vida no nosso planeta, mas também desperta o nosso sol interno, a nossa luz. Esse ritual é composto de uma sequência de posturas que se conectam uma a uma ao ritmo da respiração. 

E já agora, quais as posições que recomenda para quem já pratica yoga?

Depende sempre há quanto tempo as pessoas praticam. Gosto muito de dar posturas que abram as ancas, pois abrindo as ancas abrimos a mente e libertamos emoções alojadas há bastante tempo na nossa zona pélvica. E dou muito enfoque também a posturas que abram o coração como a preparação para a ponte ou a ponte, que em sânscrito se chama Urdhva Dhanurasana. 

Depois as invertidas são posturas cheias de benefícios, mas devem ser efetuadas também com acompanhamento de um professor que pratique de forma regular e há bastantes anos. Boas práticas!

Artigos Relacionados

Compras 12. 2. 2020

Go green, or go home: 20 marcas de Beleza totalmente Vegan para comprar agora

Selecionámos 20 marcas de Beleza vegan que vão entrar diretamente na beauty shelf lá de casa.

Ler mais

Tendências 16. 9. 2019

Eco, Bio, Cruelty-free: uma especialista explica as diferenças

Eco. Bio. Orgânico. Clean. Vegan. Cruelty-free. As nomenclaturas do lado mais verde da cosmética multiplicaram-se ao ponto de serem confundidas. Cátia Curica, farmacêutica e proprietária da Organii, uma das primeiras lojas em Portugal especializadas em cosmética biológica, explica o que, afinal, tudo isto quer dizer.

Ler mais

Connected 21. 8. 2019

Porque é que os Millennials se sentem tão sozinhos?

Com a descoberta de que 30% dos Millennials se sentem sozinhos, a Vogue questiona o porquê da geração que cresceu com Friends ter mais em comum com Fleabag – “apenas uma rapariga, sem amigos e com um coração vazio” – e como será o futuro da amizade entre Millennials.

Ler mais

Tendências 18. 4. 2019

Esta é a história de um detox digital na primeira pessoa

É possível sobreviver dois dias sem telemóvel? Uma jornalista da Vogue embarcou num detox digital e voltou com a resposta.

Ler mais

Este website utiliza cookies. Saiba mais sobre a nossa política de cookies.   OK