Moda   Coleções  

Fendi Couture: primavera/verão 2021

28 Jan 2021
By Rui Matos

Este era o momento mais aguardado da Semana de Moda de Alta-Costura. Kim Jones estreou-se nas coleções femininas e na Alta-Costura. A direção que tomou foi romântica e isso refletiu-se em cada proposta que pisou aquela passerelle.

Este era o momento mais aguardado da Semana de Moda de Alta-Costura. Kim Jones estreou-se nas coleções femininas e na Alta-Costura. A direção que tomou foi romântica e isso refletiu-se em cada proposta que pisou aquela passerelle.

Entre os meandros do prata, do rosa e do marfim, a estreia de Kim Jones na Alta-Costura foi uma masterclass de luxo, com uma viagem visual entre as linhas muito ténues que separam aquilo que é feminino e masculino. Foi Haute Couture no seu expoente máximo. Para construir a silhueta que esculpiu, Jones disse ter observado “aquilo que as mulheres que o rodeiam vestem. Tenho amigas que compram apenas roupa de Alta-Costura, não compram vestidos megalómanos. Compram peças de roupa que assentam que nem uma luva nos seus corpos,” confessou à Vogue Runway. No fundo, um dos pontos de partida para esta coleção foi criar uma coleção que conversasse com o tempo que estamos a viver.

Se há designers que quando entram numa maison histórica esquecem tudo aquilo que aquele nome representa, Kim Jones está longe de ser um membro dessa estripe. O diretor artístico das linhas femininas de pronto-a-vestir, Alta-Costura e fur da Fendi abraçou tudo aquilo que este nome representa: a família. Para começar Silvia Venturini Fendi, responsável pelos acessórios e coleções masculinas, e a sua filha Delfina Delettrez Fendi, diretora criativa de joias, tiveram um papel importante nesta coleção, não só atrás da cortina como na passerelle - Delfina desfilou um dos 19 looks apresentados na tarde de 27 de janeiro. Quem também fez parte da família Fendi foi Karl Lagerfeld, que liderou a direção criativa da casa durante 54 anos, e numa homenagem ao eterno Kaiser, Jones projetou um dos coordenados a partir de um esboço de Lagerfeld.

O início do desfile foi marcado pela leitura de trechos das cartas trocadas entre Virginia Woolf e Vita Sackville-West, as duas poetas que viveram uma história de amor proibida. Aliás, esta coleção é em parte inspirada em Orlando, o livro que Woolf editou em 1928, três anos depois fundação da Fendi. “Ambos [Fendi e Orlando] vêm do mesmo ponto histórico. Achei muito interessante como ainda hoje são modernos e relevantes,” confessou Jones ao WWD.

Com ajuda de Demi Moore, Kate Moss, Christy Turlington, Naomi Campbell, Bella Hadid, Cara Delevingne e Adwoa Aboah, Kim Jones mostrou-nos uma coleção muito romântica que navega entre tons suaves e silhuetas acentuadas, capas e vestidos transparentes, sem esquecer o rigor da alfaiataria. Sem fugir muito ao que Lagerfeld nos apresentou, o designer britânico deu um passo seguro mas acertado. 

Certamente, chegar ao ponto mais alto de uma carreira é um momento emocionante, até para quem já tem no currículo Louis Vuitton e Dior Homme, mas a Alta-Costura nunca passou pela cabeça de Kim Jones, aliás como o próprio admite à Vogue Runway: “Sempre pensei que trabalharia num banco, que seria casado e teria filhos.”

Veja ou reveja os principais desfiles da Semana de Moda de Alta-Costura na nossa categoria Coleções.

Rui Matos By Rui Matos

Relacionados


Atualidade  

Morreu Claude Montana, icónico designer dos anos 80

23 Feb 2024

Curiosidades   Atualidade  

Cisnes entre patos

23 Feb 2024

Moda   Street Style  

LFW | Models Off-Duty

23 Feb 2024

Beleza  

LFW outono/inverno 2024 | A beleza nos backstages

22 Feb 2024