Artigo Anterior

Legally Blonde 3: tudo o que já sabemos sobre

Próximo Artigo

Como é que James Bidgood reinventou o imaginário queer

Tendências 31. 1. 2022

Euphoria: os filmes e séries que inspiraram este sucesso mundial

by Pedro Vasconcelos

 

De clássicos cinematográficos a triunfos da televisão norueguesa, estas são as obras que inspiraram Euphoria e a exploração do lado hedonista da vida adolescente. 

 Barbie Ferreira, Alexa Demie e Sydney Sweeney em Euphoria © Fotografia de Eddy Chen/HBO

Euphoria, o sucesso internacional emitido pela HBO e produzido pelo estúdio A24, não é a típica série de adolescentes que temos vindo a aceitar como norma. Fundamentalmente diferente de conceitos como o de Gossip Girl, que se estrutura em temas relativamente leves e uma abordagem mais soft, o drama protagonizado por Zendaya quebra o molde com a sua narrativa e estética descaradamente arrojada. Seguindo temas como uso de droga, agressão sexual e doenças mentais, a abordagem de Euphoria foi algo inédito na cultura popular. No entanto, não existe num vazio, segue uma linha de séries e filmes que procuram aprofundar o lado menos bonito do que é ser um adolescente na atualidade. A exploração do hedonismo entre estudantes do secundário é alvo da atenção de várias obras de qualidade, em baixo apresentamos as cinco que são mais relevantes, e que em muito inspiraram o ponto de vista de Euphoria. 

Euphoria (2012-2013)

Fun fact: Euphoria não é um original, mas sim um remake de uma série israelita com o mesmo nome. Foi em 2012 que se estreou e contou apenas com uma temporada de dez episódios. A série lida com os mesmos aspetos da vida de um grupo de adolescentes, mas sem o apelo estético tão característico da versão americana. O original conta a história de jovens que, sem qualquer tipo de supervisão adulta, se envolvem em problemas relacionados com drogas, álcool e sexo. Ao contrário da série atual, a sua contraparte israelita retrata a realidade dos anos 90, divergindo dos temas mais modernos aprofundados, como redes sociais. De certa forma ainda mais sórdido que a sua adaptação americana, a Euphoria do passado faz questão de nunca mostrar uma personagem adulta, de forma a esclarecer a ideia de que estes jovens estão de certa forma sozinhos no mundo. 

Skams (2015-2017)

Se procura algo que tenha a mesma violência de Euphoria mas sem a estética exagerada, repleta de glitter e iluminação dramática, a série norueguesa Skams é a resposta. Assumidamente minimalista e realista a série baseia-se num grupo de adolescentes em Oslo, e tem uma abordagem semelhante à de Euphoria, focando-se em cada personagem quase isoladamente. Skams leva esta abordagem a outro nível, com cada uma das suas temporadas a centrar-se à volta de um protagonista dentro do mesmo grupo, desta forma a cada temporada um novo tema torna-se central, desde transtornos mentais a abuso sexual. A série norueguesa é baseada numa escola privada, famosa pela presença dos membros da família real, e o seu nível inacreditável de sucesso criou sete adaptações internacionais.

Skins (2007-2013) 

A popularidade e influência de Skins em toda uma geração é inegável, uma série que foi a Euphoria de outros tempos. Com temas como suicídio ou abuso de estupefacientes de forma relativamente ancorada quando comparada com a série da HBO. Ao longo das suas sete temporadas a série acompanhou três grupos diferentes de jovens, uma estratégia narrativa que alcançou não só a manutenção da mesma idade dos protagonistas, como a introdução de novos problemas e assuntos a cada duas temporadas. A popularidade de Skins ainda se encontra em alta, não só pela geração que teve a sorte de a viver em tempo real, mas por toda uma nova geração TikTok que encontrou na série um interesse paralelo ao recente furor por Euphoria. 

Heathers (1989)

Um verdadeiro clássico de teen movies, Heathers é representativo do lado mais cómico de assuntos declaradamente pesados, como bullying e homicídio. Assemelha-se a Euphoria pelo seu foco na hierarquia social que é possível encontrar-se num liceu norte-americano, ainda que de forma mais camp. O filme foi feito quase como uma paródia aos filmes sobre adolescentes enjoativamente positivos, tendo sido de facto inspirado pelas obras primas de Stanley Kubrick. Focado num grupo de adolescentes populares, e na ameaça que estes enfrentam face a um assassino dedicado a acabar com a sua vida. O filme foi verdadeiramente revolucionário para o género onde se insere e inspirou mudança em todos os retratos de adolescentes nos media, da mesma forma que Euphoria o faz.  

Thirteen (2003)

Um filme repleto de controvérsia pelo seu retrato inacreditavelmente ousado da vida de um grupo de adolescentes de Los Angeles. A atriz principal, Nikki Reed, escreveu o guião em colaboração com a realizadora Catherine Hardwicke, responsável pelo primeiro filme da série Twilight, e baseou-se nas suas experiências ao crescer na cidade dos Anjos. Ilustrando uma realidade extremamente chocante, ainda que realista, a vida de adolescentes num centro cosmopolita, repleto de abuso de drogas e cenas de sexo entre menores. O filme é extremamente bem-sucedido por não embelezar temas mais pesados, retratando uma mensagem de advertência ao invés de algo puramente superficial e provocante. 

Keywords

lifestyle euphoria

Artigos Relacionados

Tendências 14. 1. 2022

Euphoria: o regresso do lado sombrio de ser adolescente

Dois anos e meio depois, Euphoria regressa ao pequeno ecrã. Chega com uma proposta mais sombria e explicita do que no capítulo anterior.

Ler mais

Agenda 24. 12. 2021

Euphoria: tudo o que sabemos sobre a nova temporada

Zendaya e Hunter Schafer voltam ao pequeno ecrã para nos continuar a contar a história do que é ser adolescente problemática e estar apaixonada.

Ler mais