Artigo Anterior

Prada: primavera/verão 2019

Próximo Artigo

Prada: primavera/verão 2019

Coleções 21. 9. 2018

Emporio Armani: primavera/verão 2019

by Mónica Bozinoski

 

Georgio Armani rumou a Linate, um dos principais aeroportos da cidade de Milão, para apresentar as propostas estivais de Emporio Armani.

©Imaxtree

Desde 1996, os passageiros que aterram nas pistas de Linate são confrontados com a grandiosidade do logótipo de Emporio Armani, que pousa como uma coroa de 22 anos no maior hangar daquele que é um dos principais aeroportos internacionais da capital italiana. Cinco anos antes de Giorgio Armani ter deixado a sua marca no conhecido Emporio Armani Hangar, criou os uniformes oficiais das hospedeiras de bordo da companhia aérea Alitalia, com uma assinatura fiel à sua paleta de cores neutra e silhuetas relaxadas. 

"Existe uma nova Emporio nos dias de hoje, e uma nova perpetiva comercial que me fez pensar, 'Porque não olhar para trás, para o tempo em que pusemos o logótipo aqui?'. Para mim, o passado está sempre presente", confessou Armani, citado pelo WWD. Naturalmente, a visão do criador resultou numa coleção estival com mais de 200 coordenados, apresentados no espaço do Emporio Armani Hangar. 

O voo primavera/verão 2019 da etiqueta italiana levantou com um tom desportivo: calções estilo boxer, vestidos com toque de parkas e tailoring em organza, coordenados com botas brancas até aos joelhos, marcaram as silhuetas iniciais de Armani para a próxima estação quente. Numa paleta de tons sóbrios, o criador italiano continuou com coordenados femininos, frescos e effortless - saias em linho, trenchcoats suaves, calças largas e casacos airosos -, materializados com delicadeza e fluidez. A surpresa - bem como a cor -, ficou reservada para as silhuetas finais. Nuances néon, do verde lima ao rosa vibrante, a par com tons de azul escuro, completaram as propostas de Armani, que incluiram pormenores como missangas, cristais e lantejoulas. 

"Pensei nas peças que os millennials realmente gostam de vestir, peças com um toque do passado, que lembram as silhuetas dos anos 70 e 80", explicou o criador italiano. "Tentei perceber aquilo que podia ser recuperado do passado - mas com um espírito moderno. Daí os casacos e sobretudos que são metade nylon, metade pele, com um acabamento em vinil para um toque desportivo. Mas, no geral, a coleção é muito mais elegante, e muito menos street", concluiu. 

 

Artigos Relacionados

Coleções 21. 9. 2018

Moschino: primavera/verão 2019

Jeremy Scott pegou no pior pesadelo de um criador e transformou-o no fio condutor das suas propostas estivais.

Ler mais

Coleções 20. 9. 2018

Vivetta: primavera/verão 2019

Borboletas, cisnes e motivos florais pintaram as propostas românticas da criadora italiana Vivetta Ponti.

Ler mais

Coleções 20. 9. 2018

Fendi: primavera/verão 2019

A coleção estival de Karl Lagerfeld para a Casa italiana provou que os calções de ciclismo, os tiny sunglasses e os coordenados com monogramas não nos vão deixar na próxima estação quente.

Ler mais

Coleções 20. 9. 2018

Moncler: primavera/verão 2019

Com um espírito disruptivo, que pretende repensar o modelo tradicional e bianual das Semanas de Moda, a apresentação da francesa Moncler transmitiu uma nova visão de originalidade, criatividade e inovação.

Ler mais

Este website utiliza cookies. Saiba mais sobre a nossa política de cookies.   OK