Artigo Anterior

A coleção festiva da H&M é extravagante e circular

Próximo Artigo

Sete momentos de Moda do grande (e pequeno) ecrã de que todos falámos em 2021

Notícias 16. 12. 2021

Por uma Moda mais circular, a H&M quer reinventar o design

by Mariana Silva

 

Ella Soccorsi, designer da marca sueca, fala sobre a nova coleção Circular Design Story.

Circular Design Story © H&M

O futuro é circular. À velocidade a que produzimos e consumimos recursos, uma das nossas maiores apostas na minimização das consequências ambientais passa por aprender a reutilizar e reciclar materiais, produtos e, claro, peças de roupa. Quem o sabe é a H&M que, na sua mais recente coleção, colocou a valorização de uma moda mais circular no centro do processo criativo. A Vogue falou com Ella Soccorsi, concept designer da marca sueca, para descobrir mais sobre os bastidores de Circular Design Story e da utilização de uma ferramenta inovadora: o Circulator. 

Circular Design Story é a quarta coleção no seio do projeto H&M Innovation Stories, iniciado no começo de 2021. Como é que o público tem recebido esta iniciativa?

A resposta tanto a esta coleção em particular, como ao projeto Innovation Stories no geral, tem sido muito entusiasmante. Acredito que os consumidores estão verdadeiramente preocupados com os assuntos que rodeiam a sustentabilidade e estamos orgulhosos por ter criado uma coleção que os envolve num processo de reciclagem e circularidade. Queríamos que esta coleção sensibilizasse e despertasse uma conversa sobre o que vestimos e como tratamos a nossa roupa, que questionasse estereótipos quanto à aparência da moda sustentável - e é por isso que esta coleção é tão viva, ousada e alegre. 

Esta nova coleção também introduz uma nova ferramenta de design: o Circulator. Pode nos contar mais sobre o que é o Circulator e como foi integrado na criação da Circular Design Story?

O Circulator é uma ferramenta de design circular muito especial, desenvolvida pela H&M, que nos ajuda, tanto no nosso estúdio, como na totalidade da indústria, a garantir que as novas criações são produzidas tendo a circularidade e a reciclagem em mente. O guia foi desenvolvido de acordo com a visão de economia circular para a moda definida pela Ellen MacArthur Foundation e garante que as nossas equipas de design têm em mente a circularidade, a reciclagem e a vida de uma peça quando decidem sobre diversos aspetos de design - por exemplo, nesta coleção, o Circulator dava informações sobre o nosso foco em peças “mono-fibra”, salvaguardava um processo de reciclagem facilitado, e o uso de materiais como costuras solúveis e bordados autocolantes para ajudar na desconstrução da peça. É uma ferramenta essencial. E porque estamos comprometidos a liderar a mudança na indústria, iremos partilhá-la com outras marcas e empresas.

Circular Design Story © H&M

Há ainda outras formas através das quais a circularidade está presente nesta coleção. Os materiais foram uma parte muito importante. Que materiais foram escolhidos e como é que estes encorajam a circularidade? 

Na H&M procuramos sempre apoiar e promover aqueles que estão a derrubar barreiras no campo dos materiais e da sustentabilidade. Tentamos encontrar coisas novas, e também fomentar relações com as empresas que testam e produzem fibras e ferramentas inovadoras. E existem tecidos e técnicas maravilhosos nesta coleção. Alguns dos mais recentes incluem o REPREVE Our Oceans, uma coleção de fibras fabricadas a partir do desperdício de garrafas encontradas no mar. Este pode ser visto nos casacos de pelo falso, nos puffers, nos vestidos e nas calças. Igualmente novo é o Ambercycle Cycora, que usa peças de roupa antigas e desperdício de tecidos no fim de vida. Foi usado em peças como as calças pretas de mulher com detalhes em fio. Inspira-me muito o fio inteligente RESORTECS, que é a costura solúvel que mencionei acima. É incrível porque permite que as peças sejam facilmente desconstruídas e recicladas quando finalmente chegam ao fim do seu ciclo de vida. Nesta coleção, foi usado para prender lantejoulas e contas. Outro tecido especial é o Vegea, um material vegan feito de pele, caule e sementes de uvas, produzido no mesmo processo do vinho. Não é um material novo para nós, já o usamos antes, mas acho que é importante mostrar que ser sustentável também é ser consistente, e criar parcerias fortes e duradouras dentro da indústria.

E no que toca ao processo de design, cada peça foi criada para ser usada de diversas maneiras. Como é que isso foi conseguido?

A sustentabilidade e a circularidade também se relacionam com a forma como as peças são usadas e estamos a tentar encorajar as pessoas a pensar sobre o tempo em que vestem as suas roupas. Estar atento e ser consciente são as ideias principais. Acredito que se todos conseguirmos parar para pensar no que compramos, e porque é que o compramos, e também se estamos a usar as nossas peças até ao seu limite - usá-las, partilhá-las, arranjá-las, reciclá-las; isso é um ótimo passo. É por isso que me entusiasma saber que uma grande parte das peças desta coleção podem ser adaptadas, aumentando a sua usabilidade, porque sabemos que os consumidores se preocupam com questões como o desperdício e a circularidade e que, por isso, irão valorizar este aspeto. Gosto das camisas que assumem diferentes silhuetas graças ao uso de cintos de ajuste, e do vestido de gala rosa, que pode ser dividido em um top e uma saia. O top depois pode ser usado com calças de ganga, a saia com uma t-shirt, ou até podem ser usados em conjunto para um look mais elegante. Também gosto do cropped bra top, que tem diversos fechos nas costas, podendo ser ajustado para caber a diferentes tamanhos - ideal para emprestar a amigos, ou, com o tempo, até se o nosso corpo mudar. Por isso, com esta coleção, estamos a enfatizar o otimismo, mas estamos também a fazer uma declaração pragmática quanto à forma como as pessoas devem usar, cuidar e atender às suas roupas. É por isso que também incluímos peças feitas a partir de roupas antigas, dando um novo propósito a um conjunto de blazer femininos em colaboração com a I:CO. Há seis estilos no total; cada um único e representando um tributo às possibilidade que se abrem quando reciclamos. Por fim, e seguindo o ethos da circularidade, algumas peças exclusivas desta coleção vão poder ser alugadas em lojas H&M selecionadas nas cidades de Berlim, Estocolmo e Amsterdão.

 Circular Design Story © H&M

A Circular Design Story e, mais especificamente, o Circulator fazem parte do plano da H&M para se tornar Climate Positive até 2040. De que outras formas estão a trabalhar para atingir esse objetivo? 

A sustentabilidade é o futuro da moda e é o nosso foco central na H&M. A adoção de uma moda mais circular prende-se com garantir que uma peça de roupa, ou um produto, seja desenhado desde o começo com a circularidade em mente, tendo em conta tudo desde o tempo em que será usado, aos materiais e estratégias de design. Eu penso, e espero, que no futuro toda a indústria pense desta forma. Tentamos ser bastante abertos quanto à nossa estratégia de sustentabilidade, pois sabemos que a comunicação e a transparência são essenciais à mudança e temos de nos comprometer com alguns objetivos. Até 2025, queremos que todos os produtos da H&M sejam desenhados com recurso ao Circulator. Outra meta é garantir que estamos a usar 30% de materiais reciclados em toda a marca até 2025 e, em 2030, 100% materiais mais sustentáveis e reciclados. 

Artigos Relacionados

Compras 14. 12. 2021

O guia de compras eco-friendly para o Natal de 2021

Porque se é para consumir, que seja para o fazer de forma mais consciente.

Ler mais

Entrevistas 13. 12. 2021

Manu San Félix, o homem que mergulha por um universo subaquático melhor

Biólogo, mergulhador, fotógrafo e explorador da National Geographic, assim é Manu San Félix, o homem que dedica a sua vida ao universo subaquático.

Ler mais

Notícias 18. 11. 2021

A coleção festiva da H&M é extravagante e circular

A marca pretende colocar a circularidade no centro do processo criativo através de uma ferramenta inovadora.

Ler mais

Guestlist 12. 11. 2021

Sustentabilidade? Esta mala tem estofo para isso.

Literalmente: este exemplar resulta de uma parceria da Volvo com a 3.1 Phillip Lim e é uma peça criada com a “pele” que a marca de automóveis agora usa nos seus interiores.

Ler mais