Beleza   Tendências  

Chanel Neapolis: tudo o que tem de saber

26 Jan 2018
By Irina Chitas

Se nos dissessem há uns meses que a Beleza tinha uma morada, era possível que revirássemos os olhos. Mas Lucia Pica fez-nos reconsiderar o movimento: agora, reviramos os olhos, sim, mas estão impecavelmente maquilhados com uma sombra verde.

Se nos dissessem há uns meses que a Beleza tinha uma morada, era possível que revirássemos os olhos. Mas Lucia Pica fez-nos reconsiderar o movimento: agora, reviramos os olhos, sim, mas estão impecavelmente maquilhados com uma sombra verde.

Era outubro quando voámos para Nápoles com a Chanel. O intuito não era só conhecer as propostas de maquilhagem para a primavera, mas palmilhar a cidade-mãe de Lucia Pica, Creative Make-up and Colour Director da Maison, ou seja, a culpada por andarmos nos últimos seis meses a redescobrir o poder de uma sombra vermelha.

Agora a conversa mudou de tom. Neapolis - New City é uma explosão de cor tal como a cidade que deu origem à inspiração é uma explosão de todos os sentidos. Enquanto serpenteávamos os jardins da Villa Lauro, com vista infinita para o mar e o adormecido e ameaçador Vesúvio, Pica contáva-nos que "a coleção de outono foi uma viagem a coisas que não conheço, foi sair de mim. Mas esta, de verão, é uma viagem às minhas memórias, à minha terra, aos lugares onde fui em pequena. Isto é uma carta de amor à cidade."

De facto, é mesmo difícil não nos apaixonarmos por Nápoles. E também é mesmo difícil não nos apaixonarmos pela coleção, o que acaba por ser exatamente a mesma coisa, quando Lucia explica o quanto há da essência da cidade nas pequenas caixinhas pretas. "É uma cidade muito anárquica, de muitos contrastes, e eu achei isso muito interessante para o ethos da Chanel."

E é. Só há nossa volta, a água profundamente azul dá de caras com a rocha vulcânica. A sumptuosa Villa tem toda a tinta das paredes a descascar. Todo o verde que nos abraça é mimado pela luz dourada do sol. "Tentei encontrar beleza na realidade das coisas. Temos de procurar o balanço entre o olhar moderno e a tradição clássica, isso ajuda a criar profundidade à história. O meu trabalho é pegar em elementos abstratos e traduzi-los em produtos que vão estar na cara das mulheres a enaltecer a sua Beleza."

Para além disso, Neapolis é extremamente divertida. Quando olhamos para o brilho da cor, e enquanto a experimentamos, é como se voltássemos a ser crianças, nos toucadores das nossas mães, a encher os olhos de azul, as bochechas de rosa, os lábios borrados de vermelho. Uma espécie de anos 80 2.0, em tons mais elegantes, mas frescos, e que nos conseguem quebrar a monotonia do eyeliner negro e da boca perfeitamente delineada.

Não é uma coleção para usar até à perfeição, é para misturar, borrar, beijar. É para não ter medo. É daquelas que, temos a certeza, nos vai ficar no necessaire para recorrer naquelas noites em que queremos dançar até cair. "O que mais gosto nesta coleção é que podes usá-la para mostrar o teu caráter", diz Lucia. Qualquer caráter que seja, vai ser mais brilhante.

Saiba mais sobre a viagem a Nápoles na Vogue Portugal de fevereiro.

Irina Chitas By Irina Chitas

Relacionados


Agenda  

Lisbon Design Week 2024 | A semana dedicada ao design começa hoje

22 May 2024

Tendências  

Who let the baby bump out?

22 May 2024

Compras   Roteiro  

As melhores lojas vintage da Europa

22 May 2024

Moda  

For life

22 May 2024