Artigo Anterior

Como o espaço e o paraquedismo se tornaram as inspirações improváveis de Iris Van Herpen

Próximo Artigo

Schiaparelli: Alta-Costura, outono/inverno 2021 | O grandeur de Daniel Roseberry está melhor que nunca

Coleções 7. 7. 2021

Chanel: Alta-Costura, outono/inverno 2021

by Rui Matos

 

Depois de uma coleção cruise pintada a preto e branco, Virginie Viard está num mood mais colorido - e floral. 


© Cortesia Chanel

Um ano e meio depois, a maison francesa apresenta presencialmente uma coleção Alta-Costura, dest feita no Palais Galliera, enquanto o palco habitual de apresentações, a.k.a o Grand Palais, continua fechado para obras. Depois de uma coleção sóbria, em cor, a estação fria da haute couture da Chanel é uma explosão de cores, fortemente inspirado pelo trabalho de impressionistas como Manet, Marie Laurencin e Berthe Moriost. “Há vestidos inspirados na era impressionista, saias que parecem quadros e um longo vestido branco em cetim pontuado com arcos pretos como de Morisot,” explica Viard em comunicado. A ideia para esta coleção surge depois da atual diretora criativa ter encontrado fotografias antigas de Gabrielle Chanel.

“Adoro ver cor no cinzento do Inverno. Queria uma coleção particularmente colorida que fosse repleta de bordados, algo que aconchegasse a alma,” conta a designer. "Há vestidos bordados com lírios de água, um casaco num tweed preto feito de plumas com flores vermelhas e cor-de-rosa. Estava também a pensar em jardins ingleses. Gosto de misturar um toque de Inglaterra com um estilo muito francês. É como misturar o masculino e o feminino, que é o que eu também fiz com esta colecção. Essa reviravolta faz muito parte de quem eu sou.”