Artigo Anterior

Project: Vogue Union | Luís Carvalho, entre o clássico e o casual

Próximo Artigo

Project: Vogue Union | Susana Bettencourt, a mestre tricotadeira do amanhã

Project Union 14. 7. 2020

Project: Vogue Union | Carlos Gil, a arquitetura da elegância

by Mónica Bozinoski

 

De Portugal para o mundo, os mais de vinte anos de carreira de Carlos Gil têm sido marcados pelo sonho de captar a beleza nas mais diversas formas, pelas peças impactantes e pelo espírito elegante.

Carlos Gil

Resumir uma carreira de 22 anos no mundo da Moda não é uma tarefa fácil, mas é assim que Carlos Gil começa por nos contar o seu percurso: nasceu em Nampula, no final da década de 60, e formou-se em Design de Moda, já em Portugal, em 1993. Estagiou numa empresa como designer para mulher, homem e criança no mercado interno e externo, foi professor de desenho no ensino secundário depois de ter concluído o curso, e inaugurou o seu primeiro atelier no Fundão, em 1998. Poucos anos depois, aquele que é um dos nomes incontornáveis no que à Moda nacional diz respeito cimenta a sua marca homónima e a sua primeira loja, que é ainda hoje o seu principal ponto de produção e venda.

Em 2009, Carlos Gil acrescenta mais um feito ao currículo com a primeira apresentação da marca no Portugal Fashion, iniciando aquilo que o próprio define como um “longo percurso no mundo dos desfiles”. Com um pé em Portugal e o outro "lá fora", o criador marca também presença na ModaLisboa e, em 2015, dá início à internacionalização da marca, participando em Semanas de Moda Internacionais e conquistando o mercado internacional. A sua mais recente morada além-fronteiras? Os Emirados Árabes Unidos, onde tem já um espaço físico. Brevemente, conta o designer, terá também uma loja online no Dubai. 

“Houve muitos momentos na minha carreira dos quais me orgulho.”

Ideal Nature, primavera/verão 2019 ©Fotografia de Inês Gonçalves; Cortesia do designer

“Houve muitos momentos na minha carreira dos quais me orgulho”, refere o criador, cujo trabalho tem vindo a ser reconhecido com as mais diversas distinções e nomeações. “O desafio da internacionalização foi algo que me marcou, pois foi um sucesso. O facto de ter sido aceite a nível comercial nos vários continentes, e agraciado pelo presidente da Câmara da Moda de Milão, e ainda por ter sido aplaudido de pé por pessoas que desconhecia, é muito gratificante! Sou muito feliz com os reconhecimentos que me têm sido dados até hoje. Estes são os momentos que me dão força para continuar a seguir a minha paixão.” 

Apesar desta paixão, e apesar de ser “uma pessoa de desafios”, Carlos Gil não esconde que os momentos mais gratificantes coexistem com aqueles em que a dúvida toma conta da certeza. “Quem não quer desistir quando algo se torna demasiado cansativo?", questiona o criador por e-mail. “Seria pretensioso da minha parte não admitir esse pensamento. Já cheguei a ter algumas ofertas para trabalhar noutras áreas e projetos, mas esta é a minha paixão, é o que me move. Desistir é difícil para quem ama o que faz.” 

Não é por acaso que dizemos que quem corre por gosto não cansa – e também não é por acaso que dizemos que quem corre por gosto vê sempre algo a melhorar. “Trabalho com muito rigor, mas nunca estou satisfeito por completo e acho que o meu trabalho nunca está finalizado”, diz o criador, que tantos designam como “perfecionista”, quando lhe perguntamos se refaria alguma das suas coleções. “Quando acabo de fazer algo gostaria de recomeçar. Acho sempre que consigo atingir mais e melhor.” 

“Já cheguei a ter algumas ofertas para trabalhar noutras áreas e projetos, mas esta é a minha paixão, é o que me move. Desistir é difícil para quem ama o que faz.” 

Coleção outono/inverno 2020 ©Cortesia do designer

Mesmo nos momentos mais desafiantes, atingir mais e melhor parece ser o mote de Carlos Gil. “Neste momento, e porque nos temos que adaptar às novas realidades, estamos a dar início à criação de uma loja online, com sede no Dubai”, conta à Vogue. E por falar em lojas, vamos à coleção primavera/verão 2020 que atualmente brota nos espaços do designer? “Ideal Nature foi inspirada numa mulher de causas, uma mulher que tem consciência da situação ambiental e do seu impacto. Tanto as peças como os padrões usados demonstram uma natureza idealizada, uma natureza que espelha o seu mundo”, explica o criador.

Já Mind Games, a coleção outono/inverno 2020, “foca-se no íntimo da mente da mulher e na sua procura do ser.” As peças, diz Carlos Gil, foram ordenadas no desfile de maneira a contar a história deste percurso, que começa com uma fase escura, passa por uma fase de experimentação e descobertas, e termina em paz. A escolha de padrões abstratos e cores, inspirados na minha impressão digital, ilustram precisamente essa ideia”. O resultado, como o próprio diz, é uma coleção que “representa o ADN da mulher Carlos Gil: determinada, elegante e sensual”. 

“A construção de um casaco, considero uma verdadeira arquitetura.”


E o ADN de Carlos Gil? Há alguma peça no seu portefólio que seja o melhor exemplo dele? “Não há nenhuma peça em específico que acho que me identifique. Mas acho que os casacos são o que melhor define a minha marca”, confessa o designer. “A construção de um casaco, considero uma verdadeira arquitetura. São peças em que reina a estrutura, a boa modelagem e a boa manipulação do tecido no corpo da mulher.” Para Carlos Gil, “estes elementos, aliados à confeção, são indispensáveis” - e como o próprio diz, “não há peça que melhor demonstre a sua qualidade que um casaco.” 

Outra coisa indispensável (e possível), diz Carlos Gil, é a união na indústria da Moda. “Existe uma falta de comunicação entre os setores, desde os fornecedores da matéria prima, à imprensa, aos criadores”, defende. “Se houvesse o interesse comum de um crescimento conjunto, o trabalho de todos seria muito mais gratificante, e poderíamos todos chegar mais longe.”

E porque a união é capaz de nos levar sempre mais longe, não podemos terminar sem perguntar (até porque, diz Carlos Gil, em 22 anos de carreira, “nunca houve nenhuma [pergunta] que ficasse por responder”): se fizesse uma colaboração com um colega designer português, com quem seria? “Seria gratificante colaborar com a Ana Salazar pela sua experiência, e um desafio com o David Ferreira, pela sua visão sobre a Moda.” 

Artigos Relacionados

Project Union 14. 5. 2020

Project: Vogue UNION

Todas as grandes missões têm nomes de código. Esta não é exceção.

Ler mais

Coleções 9. 3. 2020

Carlos Gil: outono/inverno 2020

Todas as propostas para o outono/inverno 2020 de Carlos Gil.

Ler mais

Coleções 14. 10. 2019

Carlos Gil: primavera/verão 2020

Todas as propostas para a primavera/verão 2020 de Carlos Gil.

Ler mais

Curiosidades 14. 5. 2018

A Moda nacional no palco da Eurovisão

Apesar da música O Jardim não se ter sagrado a vencedora do certame, a indústria portuguesa da Moda brilhou em palco e nas silhuetas das quatro apresentadoras.

Ler mais