Artigo Anterior

Viktor & Rolf: Alta-Costura, outono/inverno 2022

Próximo Artigo

Jean-Paul Gaultier: Alta-Costura, outono-inverno 2022

Coleções 6. 7. 2022

Balenciaga: Alta-Costura, outono/inverno 2022

by Mariana Silva

 

No dia 6 de julho, a Balenciaga apresentou a sua 51ª coleção de Alta-Costura - a segunda orientada por Demna Gvasalia. 


© Balenciaga

Não há como negar: o desfile de Alta-Costura da Balenciaga foi um momento memorável na redação da Vogue Portugal. Durante os pouco mais de quinze minutos que compuseram o desfile da casa espanhola, jornalistas, stylists e demais colaboradores encontravam-se colados ao ecrã, sustendo a respiração cada vez que um vestido oversize tentava passar por entre as portas apertadas do local que Demna Gvasalia adotou como passerelle. Mas valeu a pena, cada segundo de suspense valeu a pena.  

Comecemos por falar do inevitável. A apresentação assinada pela Balenciaga não foi apenas uma apresentação de peças de roupa, mas também uma apresentação de estrelas. Kim Kardashian, Nicole Kidman, Dua Lipa e Naomi Campbell foram alguns dos nomes sonantes que desfilaram pela marca espanhola - isto é, alguns dos nomes que conseguimos identificar. Num twist à la Demna, os primeiros looks monocromáticos, envoltos numa nuvem de cabedal preto, foram adornados com máscaras faciais (apelidadas pelo diretor criativo de “escudos faciais”) que escondiam, na totalidade, a identidade de quem as envergava. E esta foi apenas uma das formas através das quais a 51ª coleção de Alta-Costura da Balenciaga escolheu pautar-se pelo futurismo.

Num comunicado avançado pela marca, “mais de um quarto da coleção é feita com peças upcycled”. Muitas destas foram desconstruídas e integradas de forma inovadora nos conjuntos apresentados. Por exemplo, carteiras tornaram-se patchwork ao passo que velhas braceletes de relógio viraram novas pulseiras. Acessórios, como colunas que se transformaram em malas, e detalhes minuciosos, como penas bordadas, foram os grandes pontos de destaque da coleção assinada por Demna Gvasalia. Merece uma menção honrosa o vestido final, uma peça de cortar a respiração que, de acordo com a marca, demorou 7500 horas a bordar, contando com “70.000 cristais, 80.000 folhas de pratas e 200.000 lantejoulas”.

Artigos Relacionados

Coleções 6. 7. 2022

Giorgio Armani Privé: Alta-Costura, outono/inverno 2022

As propostas de Giorgio Armani Privé Alta-Costura para o outono/inverno 2022.

Ler mais

Coleções 5. 7. 2022

Ronald van der Kemp: Alta-Costura, outono/inverno 2022

As propostas de Ronald van der Kemp Alta-Costura para o outono/inverno 2022.

Ler mais

Coleções 5. 7. 2022

Stéphane Rolland: Alta-Costura, outono/inverno 2022

As propostas de Stéphane Rolland Alta-Costura para o outono/inverno 2022.

Ler mais

Coleções 5. 7. 2022

Chanel: Alta-Costura, outono/inverno 2022

Simplicidade com um twist: assim se definem as propostas de Chanel Alta-Costura para a estação fria de 2022.

Ler mais

Coleções 4. 7. 2022

Giambattista Valli: Alta-Costura, outono/inverno 2022

As propostas de Giambattista Valli Alta-Costura para o outono/inverno 2022.

Ler mais

Coleções 4. 7. 2022

Christian Dior: Alta-Costura, outono/inverno 2022

Numa colaboração com a artista ucraniana Olesia Trofymenko, a maison francesa apresentou uma coleção que se revela um grito de esperança.

Ler mais