Artigo Anterior

O que lhe reservam os astros para a semana de 19 a 25 de julho

Próximo Artigo

O que lhe reservam os astros para a semana de 26 a 1 de agosto

Palavra da Vogue 26. 7. 2022

#VogueBookClub: Essa Gente, de Chico Buarque

by Mariana Silva

 

O romance do autor brasileiro é uma homenagem nua e crua à escrita e ao ato de ser escritor. 

Em 2019, Chico Buarque foi premiado com a distinção mais alta da literatura de língua portuguesa, o Prémio Camões. Pouco tempo depois, o autor de sucessos literários como Estorvo (1991) e Budapeste (2003), lançaria aquele que é, até ao momento, um dos seus últimos romances publicados. E que bela demonstração do seu triunfo foi. Essa Gente (2019) não é o magnum opus de Chico Buarque (dizem os críticos, já que eu ainda não consegui riscar todos os seus títulos da minha lista), mas é, sem qualquer dúvida, uma obra que reforça a posição de Buarque no panorama da literatura em língua portuguesa.

O romance de 2019 segue o percurso de Manuel Duarte, um escritor que atingiu o pico da sua carreira literária nos anos 90. Agora, anos mais tarde, este vê-se preso numa vida pautada por problemas amorosos, financeiros e, claro (ou não seria esta uma homenagem ao lado bom e mau da escrita), criativos. Tocou-me particularmente a forma como a personagem principal depende de um dos antigos amores da sua vida, encontrando nesta a única crítica em que confia para avaliação dos seus textos. Buarque consegue descrever, de forma inigualável, esta dependência criativa mantida por quem passa a sua vida a produzir conteúdo para a apreciação dos outros; mas que, ainda assim, coloca a sua verdadeira confiança na opinião de uma só pessoa. É uma forma especial de amor.

A história desenrola-se de forma rápida e a escrita de Chico Buarque lê-se como se de uma pauta musical se tratasse. Há uma sonoridade que se destaca por entre as palavras escolhidas, ou até na própria forma como as suas frases são compostas. É impossível separar Buarque do seu papel enquanto músico, e até mesmo na escrita essa influência musical transparece.

Ao fim e ao cabo, não posso dizer que Essa Gente é um clássico a não perder. Mas se a obra me moldou enquanto ser que faz das palavras uma grande parte da sua vida? Isso não posso negar. 

Pontuação:

O Vogue Book Club é uma rubrica semanal. Neste espaço, um membro da equipa da Vogue Portugal propõe-se refletir, ou apenas comentar, um livro - seja uma novidade literária ou um clássico arrebatador. Pode participar nesta discussão através da hashtag #VogueBookClub.

Artigos Relacionados

Palavra da Vogue 28. 6. 2022

#VogueBookClub: Na Terra Somos Brevemente Magníficos, de Ocean Vuong

Ocean Vuong parte-nos o coração da melhor forma possível, através de uma narrativa complexa e linguagem poética.

Ler mais

Tendências 24. 6. 2022

Onde está o queer nos contos de fadas?

Entre comunidades ímpares de anões e bruxas que se transformam em dragões, o mundo dos contos de fadas rege-se pela representação do imaginário comum. Mas, mesmo neste mundo, sente-se a ausência estridente de personagens e narrativas LGBTQ+, ainda completamente inexistentes nestas fábulas fantásticas.

Ler mais

Palavra da Vogue 7. 6. 2022

#VogueBookClub: Uma viagem pela literatura LGBTQIA+

Ao longo dos quatro livros sugeridos exploram-se diferentes manifestações da identidade queer na história da humanidade.

Ler mais

Palavra da Vogue 19. 4. 2022

#VogueBookClub: Quatro livros para ler hoje (porque antes não podia)

Nada demonstra o poder da palavra tanto como os livros que são banidos, considerados demasiados perigosos para serem lidos.

Ler mais

Curiosidades 29. 3. 2022

Ways of seeing: o corpo como objeto

Onde todos veem um corpo, alguns veem um objeto.

Ler mais

Palavra da Vogue 8. 2. 2022

#VogueBookClub: O Filho de Mil Homens, de Valter Hugo Mãe

Há escritas que parecem demasiado simples para o desafio emocional que estamos prestes a enfrentar. Assim foi com O Filho de Mil Homens.

Ler mais