Entrevistas   Lifestyle  

To be Continued | Diz-me qual é a tua rotina...com Susana Minotti

22 Sep 2023
By Vogue Portugal

Back to Work Issue

... e dir-te-ei qual é a tua profissão. Ou, pelo menos, tentarei. O dia de uma modelo não é igual ao de uma atriz e esta, por sua vez, ocupará as suas vinte e quatro horas de forma bem diferente do que uma diretora de comunicação, uma influencer ou uma buyer. Se sempre quis saber em que é que os hábitos de outras pessoas diferem dos seus, aproveite esta rentrée para tomar notas.

Susana Minotti
Josui Yasuda (Mr.) from MRS / BUNKA PUBLISHING BUREAU

Confessa não ser a pessoa mais matinal do mundo, mas nem por isso deixa de atender a todos os compromissos que o seu cargo, Head of Interior Decoration Department da Minotti, icónica marca de design italiano, implica. Susana Minotti, membro da terceira geração da família Minotti, raramente tem dois dias iguais. É uma pessoa curiosa, altamente criativa, que respira o ADN da marca que representa. Fácil no trato (já nos cruzámos com ela mais do que uma vez), nota-se que gosta de “perder tempo” a ouvir os outros. Ou não fosse estar à mesa, em convívio, uma das suas atividades preferidas.

Como é que acordas de manhã? Ponho sempre o despertador no telemóvel, mas antes de ir dormir certifico-me de que as persianas não estão completamente fechadas para que a luz da manhã acompanhe o despertar. Não gosto de começar o dia na escuridão total e acredito que, ao fazê-lo, o corpo se habitua à ideia de acordar normalmente. 

A que horas? Durante a semana, acordo às seis. Aos domingos, se possível, não há despertador.

Qual é a primeira coisa que fazes quando acordas? Abraço o meu companheiro, bebo um copo de água e vou preparar-me enquanto começo a pensar nas coisas que tenho de fazer durante o dia e, talvez um pouco bizarro, passo em revista os sonhos que tive durante a noite para tentar compreender o seu significado e mensagem.

Normalmente saltas da cama ou precisas de ser arrastada para fora dos lençóis? Não sou uma pessoa propriamente matinal, por isso quero sempre adiar o despertador indefinidamente, mas adoro a luz - e a energia - da manhã, e cresci com o conceito de que “Deus ajuda quem cedo madruga”, e por isso tento aproveitar as horas entre o despertar e o início do dia de trabalho para arranjar tempo para mim própria, de modo a conseguir um bom equilíbrio.

Qual é a primeira coisa que fazes? Tento não ligar o telemóvel para me manter num estado recolhido até sair de casa, para não me distrair com as redes sociais e evitar entrar imediatamente num estado frenético.

Como é que defines o estado de espírito para o dia? Quando me levanto, faço algum exercício em casa ou uma corrida no bairro onde vivo, e depois pelo menos 15 minutos de meditação. E assim, preparo-me para ir trabalhar. Dificilmente acordo com fome, por isso o pequeno-almoço não faz parte dos meus hábitos, embora tente comer qualquer coisa leve antes de sair de casa. Por outro lado, durante o fim de semana ou nas férias, com mais tempo livre, delicio-me com bons pequenos-almoços em casa com bolos caseiros ou no meu café preferido, que também é uma livraria, com cappuccino e brioche. Já no carro, e uma vez que conduzo durante 30 minutos até chegar ao trabalho, ouço sempre podcasts sobre vários temas.

Tens uma rotina de beleza matinal? Para acelerar o processo, não me demoro em longas rotinas durante a semana, mas o creme de rosto e um pouco de maquilhagem não podem faltar.

Como é que escolhes o que vestir? Deixas tudo planeado na noite anterior? Normalmente abro o armário e deixo-me inspirar. Na maioria das vezes, tenho uma ideia da minha roupa na noite anterior, mas acabo por completá-la de manhã. Escolhi um estilo simples e prático para enfrentar o dia de trabalho com facilidade.

Como é o teu dia de trabalho típico? Começo a trabalhar às 8h30 e, assim que chego à empresa, é como mergulhar numa máquina de lavar! As atividades diárias variam entre e-mails e telefonemas, análises dos muitos projetos que abordo todos os dias com a equipa, reuniões internas e reuniões/almoços com clientes, revendedores e colaboradores que recebemos de todo o mundo no showroom da nossa empresa ou que encontramos à distância em plataformas digitais. Como também que estou envolvida em viagens de negócios na Europa e no estrangeiro, não há um dia típico...

A que horas regressas a casa? Diria que por volta das 20h30 nos dias normais de trabalho. Quando tenho jantares e compromissos noturnos, na maioria das vezes não passo por aqui e dirijo-me diretamente para o meu destino, quer seja um jantar de negócios, um aperitivo com amigos, um teatro ou um cinema.

Qual é a primeira coisa que fazes quando regressas a casa? Tiro os sapatos, ponho-me à vontade, ligo a música e, se me apetecer, bebo um copo de vinho enquanto cozinho.

Como é a tua hora de jantar? Não tenho, depende dos meus compromissos e da hora a que regresso do trabalho. Muitas vezes janto fora, mas tenho a sorte de ter um companheiro que, quando não está fora e trabalha em casa, nos prepara bons jantares e, nessas ocasiões, jantamos por volta das 21 horas.

Costumas cozinhar ou preferes encomendar? Gosto muito de cozinhar, mas faço-o sobretudo aos fins-de-semana, enquanto durante a semana opto por jantares mais simples e leves. No entanto, pelo menos uma vez por semana, encomendamos comida para levar e, quando o fazemos, preferimos a cozinha étnica (especialmente grega ou libanesa) ou a clássica pizza à fatia.

Gosta de jantar em silêncio, em frente à televisão, a conversar com os amigos ou a família...? Para mim, estar à mesa é sinónimo de convívio e, em parte por causa da cultura, em parte por falta de tempo, muitas das minhas reuniões sociais têm lugar à volta da mesa, por isso adoro uma boa companhia que combine com boa comida e bom vinho. Quer se trate de família ou de amigos, a mesa é sempre um lugar de encontro e de partilha. Desde que me lembro, no final do dia, reunimo-nos à volta de uma mesa para contarmos uns aos outros o que fizemos, para fazer planos e trocar ideias ou partilhar reflexões, e esta é uma tradição que só pode continuar. Mas, por vezes, estou sozinha em casa e permito-me um pequeno prazer culpado que, na verdade, me dá muita satisfação: jantar no sofá em frente a um filme ou a uma série de televisão (nesses casos, a entrega de comida também é obrigatória).

Depois do jantar, voltas ao trabalho, como e-mails, por exemplo? Tendo clientes e colaboradores de todo o mundo, ainda pode haver algumas trocas de mensagens à noite devido aos diferentes fusos horários, especialmente quando está em curso a construção de um novo showroom e é necessário dar respostas atempadas, mas só volto ao trabalho operacional na manhã seguinte, deixando-me espaço livre para explorações que alimentem a criatividade e tragam ideias e referências para os projetos que estou a seguir. Em geral, porém, a noite é dedicada aos meus entes queridos, às pequenas tarefas domésticas e ao lazer.

A que horas costumas deitar-te? Se dependesse de mim, nunca me deitaria e tenho tendência a adiar a hora de dormir, até porque é precisamente à noite que o meu nível de criatividade aumenta e que chegam as melhores ideias. Mas sou um animal noturno que teve de se auto-domesticar! Por isso, durante a semana, tento não passar da meia-noite para ter um número suficiente de horas de sono, reservando as madrugadas para o sábado à noite.

Artigo integrado no The Coming Back Issue Issue da Vogue Portugal, de setembro 2023.

Vogue Portugal By Vogue Portugal
All articles

Relacionados


Compras  

UV Ready: A melhor maquilhagem com proteção solar

19 Jul 2024

Guestlist  

Do tradicional ao intemporal, há uma carteira Viral para qualquer ocasião

19 Jul 2024

Moda  

Open Call | The Intimacy Of Being (Mis)Understood

19 Jul 2024

Moda  

Open Call | Never a Comeback

18 Jul 2024