Próximo Artigo

À procura da perfeição

Rosa é a cor mais quente

Guestlist 2. 6. 2017

by VOGUE PORTUGAL

 

Na noite dos Globos de Ouro, Ana Rita Clara pisou a passadeira vermelha de cabelo cor-de-rosa. O risco compensou. Semanas depois, levámos a apresentadora a desbravar a beleza de Lisboa e pedimos-lhe para nos contar tudo (e mais alguma coisa) sobre a mudança. Fotografia de Anna Balecho. Styling de Cláudia Barros.

Quando Ana Rita Clara chegou à GriffeHairstyle (o espaço da Rua das Flores voltou a abrir ao público depois da remodelação, mais cool que nunca), a meio de uma tarde quente de maio, o cabelo - que sabíamos cor-de-rosa - parecía-nos loiro. Enquanto sorria e se apresentava começámos a notar umas pinceladas de um pêssego suave e as ondas despenteadas revelaram, finalmente, o doce cor-de-rosa pelo qual tínhamos marcado encontro e que celebra o lançamento da linha ColorfulHair.

Clara é muito rápida de fotografar. Alegre e disponível, despachada e sem peneiras dá vida e voz a uma mudança que pode parecer, à primeira vista, "só cabelo". Mas a verdade é que quando se é figura pública, qualquer saída da rotina é alvo de escrutínio debaixo de uma lupa e é de louvar quem encolhe os ombros e faz o que lhe apetece. Conversámos com a apresentadora sobre isso - e alongámo-nos um pouco. Mas prometemos que vale a pena ler até ao fim.

Antes de mais, como encaraste este convite da L’Oréal Professionnel? Era algo que sempre desejaste fazer ou tiveste algum medo? Fiquei imediatamente entusiasmada! Foi um enorme desafio, claro, mas já estava a pensar em mudar a minha imagem há algum tempo e adorei a ideia de pintar o cabelo de cor-de-rosa e dar um novo corte ao meu cabelo. E com esta equipa fabulosa, avancei com confiança e sem medos!

Para uma figura pública, por vezes é difícil sair da zona de conforto. Como é que se lida com este escrutínio da opinião pública? Foi algo que pesou na tua decisão? A verdade é que as pessoas vão sempre ter uma opinião, faz parte do impacto. Independentemente disso, sou uma mulher confiante e bem resolvida e o sair da minha zona de conforto não me assusta. Os desafios que tenho agarrado ao longo dos tempos, o ter criado o meu Movimento para a Mudança "Changeit.world" traduz esse agarrar de desafios. E acredito que a nossa atitude interior e exterior deve acompanhar a nossa forma de estar na vida. Para além de tudo isso, eu adoro o meu cabelo e isso sim, é importante!

Esta é apenas uma cor temporária, por isso não chega a ser bem uma mudança - é uma espécie de experimentação. Sentes que seria algo com o qual te sentirias confortável de uma forma mais permanente? Ou preferias abordar este "risco" de uma forma mais dinâmica e, precisamente por não ser permanente, ser algo que te dá liberdade de experimentar mais coisas diferentes, mais vezes? O facto de ser uma cor temporária permitiu-me expressar o meu lado mais criativo de uma forma mais dinâmica e divertida! Acabei por me apaixonar pelo cor-de-rosa tipo algodão doce, mas como a cor vai saindo com as lavagens, num dia tenho o cabelo mais rosado, no seguinte está mais cor de pêssego e no outro dia até mais para o louro. E confesso que adoro acordar e ter um cabelo "diferente" todos os dias.

Sempre transmitiste uma imagem muito cuidada - às vezes tens vontade de quebrar um bocadinho a ideia que as 
pessoas têm de ti? Sim, claro. Fico feliz por me associarem a uma imagem cuidada e tenho orgulho nisso. Mas tenho muitas outra facetas para além desse lado. E tem sido fascinante poder  mostrar e provar que não tenho medo de mudar e mostrar o meu lado mais arrojado.

Desde que fizeste a coloração, que cuidados e rituais passaste a ter com o cabelo? Lavo o cabelo com o shampoo Profiber de L’Oréal Professionnel, coloco depois a máscara e, antes de secar, o sérum, tudo da mesma gama. O cabelo está fabuloso e não se preocupem porque o processo não danifica o cabelo.

E qual é o teu ritual diário de beleza? Felizmente tenho uma óptima genética e a minha pele reage muito bem aos produtos. E adoro manter a pele muito cuidada. Mantenho os mesmos rituais de sempre. Como sou maquilhada todos os dias, a limpeza e hidratação diária são fundamentais. Para além de uma esfoliação semanal do rosto e corpo e da máscara maravilhosa da Décleor. Para além disso, protejo sempre a pele do sol, bebo muita água, pratico desporto e reforço com antioxidantes e superalimentos. 

Quando escolheste a cor para esta mudança, procuraste algumas referências visuais e icónicas - de Moda, de Cinema - que te inspirassem e que quisesses transportar para o dia a dia? Fiz muita pesquisa no Pinterest, construí um moodboard para me inspirar diariamente e apaixonei-me quando vi a Natalie Portman no filme Closer - aquele bob cor-de-rosa é icónico.

Quanto ao estilo: tens referências ou musas às quais recorras? Mais do que recorrer, são fontes de novos olhares...Olivia Palermo, Coco Chanel, Yves Saint Laurent, Jane Birkin, Charlize Theron, Gwyneth Paltrow, Sophie Marceau, enfim são muitos. Sou fascinada pela elegância feminina e pela atitude forte. Sem dúvida que a beleza é um estado de alma, que se evidencia em tudo o que somos e naquilo que fazemos.

Que livro não te importarias de ter sempre na mesinha de cabeceira? A insustentável leveza do Ser, de Milan Kundera. Li na faculdade e nunca mais o larguei.

Que músicas é que te põem automaticamente a dançar? Amo música e não vivo sem ela. Neste momento, divido as atenções entre as do "Baby TV"( por causa do meu bebe Caetano) e The Weekend, The XX, Phoenix, The Kills, Beach House, Moulinex, e tantos outros...

Faz-nos um mini-roteiro por Lisboa. Quais são os teus lugares? O Chiado, sem dúvida e até já vivi por lá durante muito tempo, o restaurante Yakuza, que tem um sushi e atendimento marcantes, o Sky Bar, pela linda vista sobre a cidade, o jardim do Príncipe Real (e aproveitar as compras no mercadinho BIO aos sábados), um final de tarde no SPA do Four Seasons Ritz, uma visita ao Museu MAAT que é incrível e passagem pela galeria Underdogs, ou pelo LX Factory. E só faltam uma lindas flores no Mercado da Ribeira. Lisboa é maravilhosa e estas são apenas algumas sugestões. 

Tens um poema preferido? Qual? Entre outros, e porque falamos de força e mudança: "O Doce Sabor de Uma Mulher Deslumbrante", de Gabriel Garcia Márquez.

Que filme podes ver vezes sem conta, sem nunca te fartares? Adoro cinema. Tenho muitos filmes que me marcam e marcaram. E o meu lado de atriz está sempre à procura de novas histórias e personagens. Confesso que fiquei contagiada pelo filme Moonlight, uma verdadeira obra prima.

Qual foi a melhor peripécia que já te aconteceu em viagem? Perder as malas e ter de comprar tudo. Ou ter dois casamentos seguidos, um em Lisboa e no dia seguinte nos Açores e vestir-me na casa de banho do aeroporto. E tantas outras no programa de viagens que já apresentei.

Que artista emergente gostarias que toda a gente conhecesse? Já não é assim tão emergente, mas o Bordalo II merece toda a atenção nacional e internacional.

Que criador português é que te poderia rechear o armário? Filipe Faísca, Ricardo Preto, Pedro Pedro, Diogo Miranda, entre outros. Temos muito talento no nosso País. O meu closet será sempre muito pequeno para tanto talento.

O que é que te falta fazer? Falta-me ainda construir muito mais! Apresentar novos formatos de TV, consolidar o meu Movimento e projeto "Change IT", ser mais desafiada como atriz, viajar mais, desfrutar de cada segundo do crescimento do meu filho e em família. E sobretudo, continuar a ter este espírito inquieto e que tem sempre muito para dizer ao Mundo. E nunca ter medo de o fazer.


Falámos também com Helena Vaz Pereira, colaboradora frequente da Vogue, fundadora da GriffeHairstyle e a responsável por esta mudança da apresentadora e tirámos todas as dúvidas (e mais algumas) sobre o novo produto que já é um objeto de desejo.

Qual é a diferença entre a ColorfulHair da L'Oréal Professionnel as outras colorações temporárias? ColorfulHair é uma coloração temporária, apenas com pigmentos de tons mais irreverentes sem acréscimo de um revelador, saindo mais rapidamente com as lavagens. 

Em quantas lavagens sai? Dependendo do tom aplicado, tem durabilidade em média de 4 lavagens a 14 lavagens.

Quando a cor começa a desvanecer, devemos preocupar-nos que não fique bonita? Não é uma preocupação porque a coloração vais saindo gradualmente do cabelo de forma uniformeapenas o tom vai ficando mais claro. 

O que podemos fazer para evitar uma cor deslavada? Ao ficar desvanecida, pode-se voltar a reaplicar, reactivando assim de novo o pigmento.

Adapta-se a todos os tipos de cabelo? Adapta-se a todos os cabelos, sabendo que para tons mais pastel, deve-se pré-aclarar primeiro o cabelo.

Que cuidados de manutenção, dependendo do tipo de cabelo, deveremos ter? Para uma questão de maior durabilidade da cor, devemos usar como tratamento a linha de Série Expert Vitamino AOX, pelas propriedades antioxidantes e de proteção da cor. 

Há alguns truques de styling que realcem a cor? Devemos sempre ter o cabelo bem tratado e em termos de styling utilizar produtos para fornecer mais brilho (Ex: Liss Control Plus de Tecniart e Glow Stick de Tecniart). 

Que inspirações visuais podemos procurar para nos inspirarmos antes de aderir a este tipo de colorações? Atualmente as redes sociais e pesquisas em termos de coloração, estão "minadas" de looks com ColorfulHair, tendo assim uma fonte de inspiração enorme.

Artigos Relacionados

Pessoas 7. 11. 2017

Privado: Raquel Strada

Lançou um blogue, Blue Ginger, porque quer mostrar o labirinto dos bastidores da Moda. Mas o que nós queríamos mesmo era mostrar o labirinto dos seus bastidores.

Ler mais

Pessoas 28. 6. 2017

Privado: Monica Lafayette

Se tivéssemos que encontrar sinónimos para Lafayette, a lista discorreria mais ou menos assim: mãe, stylist, diretora criativa, a que tem o coração na boca, a que não tem medo de vestir o que quer que seja, a que se encontra algures entre um casaco maior que a vida de Maria Teresa Lucas ou um casaco em pele Vetements.

Ler mais

Pessoas 5. 1. 2017

Privado: Raquel Prates

A apresentadora, galerista, fundadora da 39A Concept Store e um poderio de mulher que nunca consegue ser oito – é sempre 80.

Ler mais

Pessoas 5. 8. 2016

Privado: Marta Gonçalves

No quarto de pé direito infinito, teto bordado a estuque e um minimalismo entre a estética nórdica e o amor nipónico, esperava-nos Marta Gonçalves.

Ler mais

Pessoas 7. 4. 2016

Privado: Jessica Athayde

Não há nada que tenha medo de dizer e, quando se encontra alguém de voz limpa e palavras cruas, conseguem-se as melhores respostas. Sobre tudo e sobre nada, estas são as de Jessica Athayde.

Ler mais

Este website utiliza cookies. Saiba mais sobre a nossa política de cookies.   OK