Artigo Anterior

Quem é que eu como primeiro?

Próximo Artigo

English version | Shocking pink

Tendências 31. 3. 2021

Pistácio: todos os benefícios do fruto seco do momento

by Mathilde Misciagna

 

Não é ouro branco nem amarelo. É verde.

© iStock

Pistácios estão para os iranianos como tremoços estão para os portugueses. Têm/temos que os ter sempre à mão. Foi assim que fiquei a conhecer o fruto seco do momento, através de uma amiga iraniana que se estabeleceu de malas e bagagens em Portugal. Sempre que regressava do Irão trazia consigo este misterioso fruto verde em diversos formatos. Estranha-se, depois entranha-se e no fim adora-se.

À medida que a popularidade do pistácio cresce e mais alimentos e bebidas à base deste fruto seco chegam ao mercado, importa compreender a que se deve tanto entusiasmo. E deve-se também à evolução da nossa cultura alimentar. Ao longo da última década, tornámo-nos cada vez mais focados em alimentos e bebidas de uma forma que nos leva a olhar para eles como muito mais do que meros “saciadores” de fome. As redes sociais também ampliaram o papel da comida nas nossas vidas, dado que todos, desde chefs conhecidos até aos que simplesmente gostam de cozinhar, partilham as suas habilidades culinárias.

Hoje, como comida e culinária são dois dos poucos prazeres reais que podemos desfrutar confortavelmente nas nossas casas, a alimentação ganhou um protagonismo ainda maior na nossa vida. Posto isto, além dos seus benefícios para a saúde, pegada hídrica e aparência, os pistácios têm um sabor agradável e funcionam como um excelente snack (saudável, saboroso e saciante). Há gelados, leites, donuts sobremesas e tantos outros pratos cujo pistácio é protagonista. Conheça alguns dos seus benefícios e no fim experimente a receita da autoria de Alessandria Lauria, aka The Pasta Queen. O resultado é absolutamente delicioso, palavra de quem meteu as mãos na massa (literalmente).

Estão cheios de nutrientes e são ricos em antioxidantes

O pistácio é um dos alimentos mais ricos em vitamina B6 que existe. A vitamina B6 é importante para várias funções corporais, incluindo a regulação do açúcar no sangue e a formação de hemoglobina, uma molécula que transporta oxigénio nas células vermelhas do sangue. Também são ricos em potássio, tanto que 28 gramas contêm mais potássio do que meia banana grande. Os antioxidantes, que o pistácio tem de sobra, são vitais para a nossa saúde. Previnem danos às células e desempenham um papel fundamental na redução do risco de doenças, como o cancro. Este fruto seco contém mais antioxidantes do que a maioria das outras nozes e sementes. Na verdade, apenas as nozes e as pecãs contêm mais. Curiosamente, os antioxidantes nos pistácios são muito acessíveis para o estômago. Portanto são mais propensos a serem absorvidos durante a digestão.

São baixos em calorias e contêm um elevado valor de proteína

Embora comer frutos secos tenha muitos benefícios para a saúde, costumam ser ricos em calorias. Felizmente, os pistácios estão entre os frutos de menor teor calórico. Em termos de proteína, esta corresponde a 20% do seu peso – perdendo apenas para as amêndoas.

Promovem bactérias saudáveis 

Os pistácios são ricos em fibra, sendo que uma porção contém 3 gramas. As fibras movem-se pelo sistema digestivo quase sempre sem serem digeridas, e alguns tipos de fibra são digeridos pelas bactérias boas no seu intestino, funcionando como probióticos. As bactérias intestinais fermentam então a fibra e convertem-na em ácidos gordos, que podem ter vários benefícios para a saúde, incluindo um risco reduzido de desenvolver distúrbios digestivos, cancro e doenças cardíacas. 

Podem ser desfrutados das mais variadas formas

Como lanche, guarnição de salada ou cobertura de pizza, ou mesmo em pães ou sobremesas. Além disso, como outras nozes, podem ser usados ​​para fazer pesto ou manteiga de pistácio. Pode até polvilhá-los no seu peixe assado ou adicioná-los à sua granola matinal. Por último, podem ser apreciados sozinhos como um lanche conveniente, saboroso e saudável.

Instagram @iamalessandralauria  

Esparguete com pesto de pistácio e tomates cereja frescos

Ingredientas:
Esparguete
1 dente de alho
80gr de tomates cereja frescos
Azeite Virgem extra
Um molho de salsa fresca
Sal e pimenta
1 malagueta pequena 

Para o pesto:
100gr de pistácios sem casca
70 gr de azeite virgem extra
Sal q.b.
30 gr de parmesão ralado
10 gr de manjericão fresco 

Método: 

Primeiro coloque os ingredientes do pesto numa liquidificadora (se a tiver) ou num recipiente onde os possa esmagar com a ajuda da varinha mágica. Reserve a mistura. À parte: corte os tomates cereja em duas partes iguais, esmague o dente de alho e a malagueta e coloque tudo numa frigideira com o azeite, a salsa e sal e pimenta q.b. Frite em lume médio até os tomates ficarem moles e criarem um molho. Ao mesmo tempo, ferva água numa panela e coza o esparguete seguindo as instruções de tempo da embalagem para que fique al dente. Retire a massa da panela 4 minutos antes do tempo indicado e coloque dentro de outra frigideira, com três colheres de água da cozedura da massa. Adicione à frigideira duas colheres de sopa do pesto que tinha reservado e envolva com mais parmesão ralado e os tomates cereja previamente preparados. Sirva com pedacinhos de pistácio partidos grosseiramente e um fio de azeite extra virgem ou picante.

Artigos Relacionados

Roteiro 31. 3. 2021

Uma mesa Páscoa gourmet: 7 opções em regime de take away

Não há Páscoa sem uma mesa recheada de boa comida e para que não precise de pôr a mão na massa este ano, deixamos aqui as sugestões premium que estão à distância de um clique.

Ler mais

Tendências 29. 3. 2021

Quem é que eu como primeiro?

O ovo ou a galinha? É uma adivinha um pouco mais traiçoeira que a outra, a original, porque nos obriga a pensar como se fôssemos crianças. Mas só aparentemente. Em quase todas as culturas, o ovo é primordial. Tanto na alimentação como na simbologia. Ou seja, um ovo é tão mais que apenas um ovo. Basta colocar a criatividade ao serviço da célula.

Ler mais

Tendências 2. 7. 2020

Um monstro na cozinha

As últimas semanas foram de confinamento. Um confinamento, sublinhe-se, demasiado intenso. Durante esse tempo, o monstro decidiu sair sorrateiramente de debaixo da cama e caminhar em pezinhos de lã até à cozinha. Chama-se frigorífico, tem fortes aliados no armário das bolachas e sem um exorcismo de exercício físico diário não vamos lá!

Ler mais