Atualidade   Vogue TV   Entrevistas   Vídeos  

Os discursos mais inspiradores dos Golden Globes

08 Jan 2018
By Ana Carvas

Oprah Winfrey, Nicole Kidman ou Reese Witherspoon foram algumas das mulheres que usaram o poder da palavra para inspirar o mundo.

Oprah Winfrey, Nicole Kidman ou Reese Witherspoon foram algumas das mulheres que usaram o poder da palavra para inspirar o mundo na 75ª edição dos Golden Globes.

©GettyImages

Depois da fase negra que se sentiu em Hollywood, com inúmeras denúncias de abuso e assédio sexual por parte de nomes mediáticos, como foi o caso do produtor Harvey Weinstein e do ator Kevin Spacey, a award season chegou para dar voz ao sexo feminino.

Marcado pelo movimento Time’s Up, contra o abuso e assédio de mulheres, os discursos do evento moveram-se em torno desta temática, que abrange não só a indústria do entretenimento, mas além dela.

“Dizer a verdade é a ferramenta mais poderosa que podemos ter”, afirma uma das mulheres mais influentes do mundo. O dom da palavra é uma característica inata de Oprah Winfrey, a apresentadora e atriz norte-americana que foi presenteada com o prémio de carreira Cecil B. DeMille. Ao longo do seu poderoso discurso, elogiou as mulheres por partilharem as suas histórias, e os homens que lutam arduamente para garantir que nunca ninguém tenha que voltar a dizer #metoo.

A atriz Reese Witherspoon subiu ao palco como produtora executiva da série Big Little Lies, vencedora do prémio para Melhor Minissérie. No seu discurso, reforçou a importância de quebrar o silêncio, de ser o exemplo de esperança para quem continua a sofrer de abuso e descriminação.

Barbra Streisand referiu no seu discurso uma importante questão de igualdade de género relativamente às nomeações na categoria para Melhor Realizador que, desde 1984, ano em que a atriz e realizadora venceu o prémio, foram sempre dirigidas ao sexo masculino.

Vencedora do prémio de Melhor Atriz em Minissérie, Nicole Kidman interpretava uma mulher vítima de violência doméstica. Ao receber o prémio, lembrou que é importante “não deixar a conversa morrer" e que assuntos como o abuso e violência contra as mulheres devem continuar a ser tema no grande e pequeno ecrã, até ao dia em que tais crimes deixem de acontecer.

 

Ana Carvas By Ana Carvas

Relacionados


Moda  

Open Call | É uma família portuguesa com certeza

14 Jun 2024

Compras   Moda   Tendências  

Trend Alert | Sportswear

13 Jun 2024

Moda   Entrevistas  

Moda, costume português | Ivan Garcia Hunga

13 Jun 2024

Entrevistas  

Hannah Mills, um role model dentro e fora dos oceanos

12 Jun 2024