Moda   Coleções  

Lacoste: outono/inverno 2019

06 Mar 2019
By Sara Andrade

As propostas para o outono/inverno 2019 de Lacoste.

É a primeira mulher no lugar da direção criativa da Lacoste, marca que tem 85 anos de história, mas não foram os cromossomas que ditaram a sua nomeação para o cargo no leme artístico. Foi o talento de Louise Trotter. E se há algo que o prova, é esta coleção.

© ImaxTree

A estreia de Trotter para a Lacoste não poderia ter sido mais bem recebida: no Tennis Club de Paris, faziam-se wishlists para o outono/inverno 2019 que serviam os gostos dos mais sofisticados aos mais desportivos, reflexo da dicotomia harmoniosa que a própria coleção veiculava. Códigos da alfaiataria misturaram-se com elementos de modalidades como o ténis, acima de tudo, mas também do golfe, numa seleção de looks que, contou-nos a britânica, foram buscar a sua inspiração ao fundador da maison.

“René Lacoste foi a principal base desta coleção”,  esclareceu Louise à Vogue Portugal, apesar de nomes como a campeã de golfe Simone Thion de la Chaume, mulher de René, e Suzanne Lenglen, lenda do ténis no feminino e uma das melhores amigas de Lacoste, também terem dado um ar da sua graça nas silhuetas de Trotter. “Quando comecei a pesquisar a fundo nos arquivos da Casa, descobri algumas coisas sobre René e quis fazer jus a isso tudo. Ele costumava dizer que ‘ganhar por ganhar não é importante; importa ganhar com elegância´, e foi essa a ideia que quis materializar aqui.” E fê-lo: à elegância juntou a descontração para criar contrastes que se revelaram casamento feliz, tanto nas texturas como nas silhuetas. Saias plissadas viveram na perfeição com camisolas em lã oversized, sobretudos assertoados trouxeram ainda mais sofisticação aos polos, e as culottes estruturadas ganharam vibrações desportivas com listas laterais em pele.

Mas regressar ao passado foi só o ponto de partida para uma apresentação que olha para o futuro da marca - aliás, recuar no tempo só serviu para dar os passos - certeiros - em frente. “O espírito e abordagem de René Lacoste sempre foram pautados pela inovação, por isso nem estaria a fazer jus ao seu legado se não colocasse essa filosofia de evolução no design”, explicou-nos a criativa que sucede ao português Felipe Oliveira Baptista na direção artística da Lacoste. Com provas dadas na área, acumulando nomes no CV tão díspares como Whistles, Tommy Hilfiger, Calvin Klein e Joseph, colocou tudo o que aprendeu deste background numa série de silhuetas que primam pela mestria tanto dos acabamentos como no trabalho com materiais distintos. “Experimentei muito com os tecidos e drapeados até chegar a esta espécie de painéis nas culottes, por exemplo. E foi assim, muito da experimentação, que nasceu esta coleção.” 

Mas não foi só nas linhas que se aventurou em novidades. As cores e a reinterpretação do famoso crocodilo foram vertentes que também deram gozo a Louise explorar - e a Vogue conta tudo, em breve, nas páginas da revista. Até lá, fazemos a lista de compras para o inverno: basta fazer o add all desta galeria ao cesto de compras. E finalizar com checkout

Sara Andrade By Sara Andrade

Relacionados


Entrevistas  

Conheça Adrian Appiolaza, o novo diretor criativo da Moschino

21 Feb 2024

Moda   Coleções  

LFW outono/inverno 2024 | O 40º aniversário da Semana de Moda de Londres

21 Feb 2024

Atualidade   Notícias  

Rolex Awards for Enterprise: os cinco laureados de 2023

20 Feb 2024

Palavra da Vogue  

O que lhe reservam os astros para a semana de 20 a 26 de fevereiro

20 Feb 2024