Artigo Anterior

Armário, uma epopeia à Moda nacional

Próximo Artigo

Soraia Chaves: “Apresento-me como se fosse um enigma”

Entrevistas 29. 10. 2018

Jeanne Damas, uma parisiense em Edimburgo

by Rui Matos

 

Não é uma estranha no que diz respeito às redes sociais, nem na indústria da Moda. A influencer francesa é protagonista do mais recente episódio da série digital Mango Journeys, também conhecida como a oportunidade perfeita para falar com Jeanne Damas sobre viagens e estilo. 

Cabelo desalinhado, maquilhagem discreta, poucos acessórios, um rosto inconfundível e um estilo descontraído e prático, mas sempre cuidado. Não dispensa um bom croissant, uma soirée com os amigos e uma boa dose de fotografias da sua amiga de quatro patas, a gata Charlie. É consumidora ávida de livros, de flea markets e de móveis vintage. Jeanne Damas é uma das influenciadoras digitais do momento e de dia para dia prova que, mesmo sendo um cliché, o estilo parisiense está vivo e sem fim a vista. 

Tudo começou quando Jeanne partilhava fotografias dos amigos e da sua rotina enquanto adolescente. Tinha 13 anos, estudava e sempre se entusiasmou com a Moda. As fotografias que publicava no seu Tumblr começaram a chamar atenção da indústria e depressa transitou para as primeiras filas dos desfiles mais falados, colaborou com as marcas do momento e não há festa que não tenha o seu sobrenome na guestlist. Agora, aos 26 anos, tornou-se uma business woman quando lançou a própria marca, Rouje, cujo nome vem da sua paixão por batons vermelhos. Mas há mais. Em 2017, em colaboração com a jornalista Lauren Bastide, publicou À Paris, um livro que desvenda todos os segredos do je ne sais quoi parisiense. 

Recentemente, viajou até à capital escocesa para protagonizar o novo capítulo da Mango Journeys, a série digital que mostra uma cidade através do olhar de uma integrante do cobiçado hashtag #MangoGirls. Esta viagem de Jeanne Damas foi um bom motivo para por a conversa - e itinerários - em dia. 

Enquanto esteve em Edimburgo, qual foi a coisa mais interessante que descobriu?

Os pubs. São acolhedores, podes conversar com os teus amigos e com os locais. A arquitetura é muito fascinante, por momentos tens a sensação de que estás a andar noutro século. As pessoas são muito simpáticas, mesmo com um sotaque cerrado que se torna difícil de perceber. 

Quando viaja, quais são as cinco coisas que não podem faltar na sua mala?

A minha Olympus, um bom par de jeans, um wrap dress, dois ou três livros e os meus batons. 

Quais são as coisas que gostaria de levar de Edimburgo para Paris?

Na verdade já trouxe: um cachecol com padrão axadrezado que usei durante a sessão fotográfica. 

Sempre que faz uma viagem sente que o seu estilo muda, talvez para se adaptar ao sítio para onde vai, ou mantém-se fiel às escolhas que diariamente faz?

Nunca mudo o meu estilo, é intemporal e fácil. 

Começou a sua jornada na internet quando era adolescente e muitas coisas foram mudando ao logos dos anos. Sente que hoje há uma maior pressão para manter um determinado estilo de vida?

Eu não sinto nenhum tipo de pressão. Continuo a mesma pessoa e mantenho-me fiel a mim mesma e às coisas de que gosto. Acredito, sinceramente, que essa seja a chave para parte do meu sucesso. 

De influencer a business woman. Esta evolução foi assustadora para Jeanne?

Foi, sobretudo, muito orgânica. Sempre estive rodeada pelos meus amigos de infância e pela mesma equipa de trabalho. As pessoas com quem te dás são muito importantes para não tirares os pés do chão, conheço a maioria dos meus amigos há 23 anos. 

Com muitas tendências a surgirem na indústria, sente que tem mais cuidado quando chega a hora de comprar roupa?

Não me foco nas tendências. Opto sempre por peças clássicas e intemporais. 

Quais são as coisas que mais a inspiram?

Pessoas. Humanidade entre as pessoas. Estar focada naqueles que fazem o bem e que transmitem boas energias. 

 

Dos looks que usou durante a sessão fotográfica, qual considera "o" investimento?

Os wrap dresses são fáceis de usar e ficam bonitos em qualquer tipo de corpo. 

Ser uma #MangoGirl significa que o seu guarda-roupa está repleto de peças da marca. Há alguma que use vezes sem conta?

Um casaco de homem oversized.

Get the look

 

Artigos Relacionados

Pessoas 27. 6. 2018

As mulheres de Jacquemus

É o designer du jour: no Net-a-Porter esgota stock pouco tempo depois das suas coleções chegarem às prateleiras e já conquistou um lugar no guarda-roupa de nomes como Rihanna, Beyoncé, Selena Gomez, Kendall Jenner, entre muitas outras celebridades e it girls.

Ler mais

Pessoas 7. 2. 2018

Les French Girls

De tudo o que Paris já nos ofereceu, continuam a existir segredos bem guardados, que podem ser desvendados através de um clique. As it girls francesas são a glorificação e a personificação do tão aclamado parisian style.

Ler mais

Vídeos 7. 12. 2017

Online Girls #4 com Jeanne Damas

Aproveitámos a passagem pela capital de algumas das mais conhecidas influencers do momento, e desafiámos quatro delas a responder a uma série de perguntas difíceis. Jeanne Damas é a estrela do último episódio.

Ler mais

Notícias 13. 10. 2017

À Paris, por Jeanne Damas

O estilo descontraído, porém meticulosamente pensado ou a baguete na Birkin da Hermès. Estas são algumas das referências de estilo que associamos às it girls francesas. Em À Paris, Jeanne Damas desvenda muitas mais.

Ler mais

Este website utiliza cookies. Saiba mais sobre a nossa política de cookies.   OK