Artigo Anterior

Villanelle, a personagem com mais estilo da televisão

Próximo Artigo

Viva a Liberdalarvidade

Tendências 9. 4. 2020

Como controlar a utilização das redes sociais em tempos de isolamento

by Ana Catarina Machado

 

Há uma nova Instagram Stories a cada cinco segundos, há um post novo a cada dois minutos, há informação, há desinformação. Por estes dias os feeds estão sobrecarregados e a pergunta que se levanta é: como é que podemos controlar o tempo que passamos agarrados ao telemóvel?

© Getty Images

Se antes de um isolamento social os smartphones já eram a extensão dos nossos braços, agora que estamos em casa torna-se difícil largar estes aparelhos. São um escape para o mundo exterior e uma maneira simples de combater o tédio. Mas passar demasiado tempo colado a um ecrã não é uma boa solução e é fundamental que cada pessoa saiba abrandar, gerindo o que quer ver, ler e ouvir. Não estamos a dizer que há a necessidade de dizer adeus às redes sociais, mas sim que pode (e deve) desligar-se por momentos do mundo digital.

Para ajudar, reunimos quatro sugestões para uma utilização mais moderada das redes sociais, que não só lhe prometem ajudar a melhorar a saúde mental e o bem-estar, como a estrututar melhor a produtividade do seu tempo.

Desligue as notificações

O tempo que passamos nas redes sociais é, inteiramente, uma questão de escolha pessoal. No entanto, há que fazer um balanço do que gostaríamos de consumir durante estes dias, em que recorremos mais vezes às redes sociais para combater o tédio e a solidão. Limitar o número de notificações que recebe pode ser um bom ponto de partida. Será que precisamos mesmo, mesmo, de receber um aviso sempre que alguém publica uma fotografia? O facto de desligar as notificações das aplicações ou recorrer ao botão de silêncio poderá ser uma forma mais moderada de controlar e a processar toda a informação que recebe diariamente. Parta sempre do princípio que o que não considera necessário, não precisa de perturbar o seu tempo.

Limite as páginas 

Quando se trata de informação, é importante saber escolher quais as páginas a seguir. Para isso, limite-se apenas a acompanhar cinco fontes nacionais e outras cinco internacionais, por exemplo. No que diz respeito às páginas de entretenimento e inspiração, sugerimos que procure acompanhar (mas de forma controlada) aquelas que a ajudem, de certa forma, a abstrair-se dos tempos atuais, mas que não se tornem num mecanismo para alimentar a dependência tecnológica. Lembre-se que, tudo na vida, precisa de equilíbrio.

Pausas

Embora o isolamento social possa causar uma sensação de solidão aos que trabalham e se mantêm por casa, esta condição joga frequentemente a favor da concentração e da produtividade de muitas pessoas. Contudo, é também no ambiente do nosso lar que, muitas das vezes, somos facilmente abstraídos pela necessidade que é ir ao telemóvel. Para combater esta tentação à qual muitos somos considerados culpados, é fundamental que estabeleça certas pausas ao longo do dia, para que também possa relaxar, informar-se e comunicar com outras pessoas.

O telemóvel não entra no quarto

A qualidade do sono de cada pessoa está diretamente ligada ao tempo em que a mesma passa ligada a um ecrã. Quem nunca acordou na manhã seguinte com uma dor de cabeça ou com um súbito cansaço que não conseguia explicar de onde vinha? Segundo um estudo realizado pela Royal Society for Public Health (RSPH), em 2017, a utilização das redes sociais pode estar diretamente ligada ao aumento das taxas de ansiedade e depressão entre os jovens. O mesmo estudo aconselha a um afastamento das redes sociais durante os períodos de isolamento. Por outras palavras, experimente deixar o scroll de lado e substituir as horas ao telemóvel à noite por passatempos alternativos que promovam o seu bem-estar e a sua saúde.

Artigos Relacionados

Curiosidades 13. 3. 2020

Como lidar com a solidão de ficar em casa

Desde reconfigurar o seu espaço até limpar o seu guarda-roupa, eis como pode olhar para o lado mais positivo nestes tempos que passará por casa.

Ler mais

Tendências 13. 2. 2020

Como é que a tecnologia transformou o amor

Nos últimos dez anos, apps como o Tinder, o Grindr e o Bumble, transformaram a maneira como conhecemos pessoas. Mas, pode o digital dating ser alguma vez comparado às relações que se formam offline?

Ler mais

Connected 10. 10. 2019

Cinco formas de criar bons hábitos digitais

A propósito do Dia Mundial da Saúde Mental, as autoras do livro Mixed Feelings: Exploring Modern Life and the Internet, One Discussion at a Time partilham cinco formas não radicais de quebrar a bolha digital, em prol da saúde mental.

Ler mais

Tendências 18. 4. 2019

Esta é a história de um detox digital na primeira pessoa

É possível sobreviver dois dias sem telemóvel? Uma jornalista da Vogue embarcou num detox digital e voltou com a resposta.

Ler mais

Este website utiliza cookies. Saiba mais sobre a nossa política de cookies.   OK