Camille Charrière cria a derradeira coleção de festa

03 Nov 2022
By Vogue Portugal em colaboração com a Mango

A nova colaboração da Mango com a influencer é uma ode às noites imprevisíveis.

A nova colaboração da Mango com a influencer é uma ode às noites imprevisíveis.

Sobretudo branco com detalhe em pelo, aqui.

Desde 2017 que o nome de Camille Charrière se entrelaça com o da Mango. A relação entre a influencer britânica e francesa e a marca espanhola é uma combinação de sonho, saciando-nos a vontade de aprender o estilo de Charrière. Na última coleção resultante desta parceria o foco são as noites mágicas, onde o inesperado se torna a regra. Refletindo todas as infinitas possibilidades, as peças desenhadas por Camille são a mistura perfeita entre o seu estilo pessoal e os looks noturnos mais atrevidos. Em entrevista à Vogue Portugal a influencer detalha a experiência, que confessa ter sido o maior desafio da sua carreira.

A sua relação com a Mango remonta a 2017, o que, na Moda, é muito tempo. Porque decidiu levar a relação "para o próximo nível" e criar esta colecção cápsula agora?

Honestamente, tem sido o trabalho mais divertido e o mais difícil que alguma vez tive de fazer. Foi incrível e enriquecedor trabalhar com uma equipa deste tamanho e ver algo ganhar vida. Significou que estava a trabalhar com alguns dos criativos que, ao longo da minha carreira, sempre admirei: Felix Cooper, Sean Thompson, até o meu marido François Larpin. Pessoas cujo trabalho eu reconheço. Criar algo em conjunto, onde eu era a protagonista, mas complementada por todas as opiniões de todos os colaboradores e da equipa da Mango. Tem sido incrível trabalhar com esta equipa de pessoas, adorei cada segundo.

Como foi o processo criativo? Teve total liberdade para criar esta estética de festa?

O processo criativo foi muito simples. A equipa de design e eu demo-nos extremamente bem. Trocámos mood boards, juntamo-las e depois escolhemos o melhor das nossas ideias. Foi incrivelmente divertido. Falamos realmente a mesma língua e não houve discordância sobre o que queríamos fazer para esta colecção. Para ser honesta, não estava à espera que fosse tão fácil.

© Mango
© Mango

Vestido transparente, aqui.

Vimos algumas imagens da colecção e há muitos vestidos slip, minissaias, sandálias. É este o seu guarda-roupa ideal?

Não creio que seja um guarda-roupa ideal, creio que o guarda-roupa de todos é pessoal. Tentei colocar na coleção peças que eu realmente amei e que sinto que são intemporais e que uso regularmente. Também acrescentei uma ou duas peças que são mais divertidas e que vão realmente ser um destaque. Eu estou a pensar, por exemplo, no pequeno casaco branco com a parte superior de pele. É uma forma divertida e curiosa de acrescentar algo a um look. Ideal não sei, mas são todas as peças que eu quero vestir, sim.

Qual é a inspiração por detrás desta colecção? É errado dizer que o Y2K foi um forte influência?

Como influencer, tentei olhar para imagens icónicas dos anos 90 e 2000 e tentei descobrir peças que passassem o teste do tempo e que ainda hoje quereria usar. Queria trazer peças que tivessem aquela nostalgia e elementos divertidos que tínhamos quando nos vestíamos durante esses períodos. Penso que essas peças funcionam realmente numa noite fora quando nos estamos a divertir. Mas não creio que a coleção tenha mais influência do Y2K do que da década de 90. O que interessava era encontrar o equilíbrio certo.

© Mango
© Mango

Vestido slip, aqui.

Na sua opinião, quem vai ser o público-alvo para estas peças?

Não sei e isso é algo que estou entusiasmada para descobrir, porque quando se está a criar algo, está-se quase no vácuo. Está a fazer isto com a equipa e nem sequer sabe como o consumidor vai reagir. É muito difícil, mesmo agora, imaginar que isto vai acontecer na próxima semana, que esta colecção vai estar disponível para compra em lojas em todo o mundo. Nunca fiz nada desta dimensão. Para ser honesta, parece apenas surreal. Acho que ainda não processei completamente. Espero que as pessoas que vão às compras na Mango e os meus leitores que me seguem há anos fiquem contentes com o que vão encontrar nas lojas e mal posso esperar para ver como vão utilizar as peças que criámos.

Se tivesse de ter apenas uma peça da coleção, o que seria?

Se tivesse de ter apenas uma peça da coleção, penso que teria de ser o casaco de pele. Acho que é a cor perfeita, o fit perfeito, e não tenho nada parecido com isso no meu guarda-roupa atual. E foi por isso que o desenhei da forma como o fiz. Apenas penso que é uma peça muito fácil que pode ser usada de dia, de noite, sobre qualquer coisa, com calças de ganga, sobre um vestido, com um fato... é muito cool e mal posso esperar para tê-lo no meu guarda-roupa.

Por último, mas não menos importante: se esta colecção fosse uma canção, qual seria?

Murder on the dance floor, por Sophie Ellis-Bextor, claro.

© Mango
© Mango

Sobretudo de pelo, aqui.

Vogue Portugal em colaboração com a Mango By Vogue Portugal em colaboração com a Mango

Relacionados


Atualidade  

Morreu Claude Montana, icónico designer dos anos 80

23 Feb 2024

Curiosidades   Atualidade  

Cisnes entre patos

23 Feb 2024

Moda   Street Style  

LFW | Models Off-Duty

23 Feb 2024

Beleza  

LFW outono/inverno 2024 | A beleza nos backstages

22 Feb 2024