Artigo Anterior

#CNILux Dia 2: A linguagem de um vestuário de poder

Próximo Artigo

#CNILux Dia 2: A Natureza do Luxo

Notícias 20. 4. 2018

#CNILux Dia 2: Como a Lacoste elevou o jogo

by Alice Newbold

 

O Diretor Criativo da marca francesa, Felipe Oliveira Baptista, conversa com Suzy Menkes e Manuel Arnaut, Diretor da Vogue Arábia.

Manuel Arnaut, Diretor da Vogue Arábia, Felipe Oliveira Baptista, Diretor Criativo da Lacoste, e Suzy Menkes em conversa no palco da CNI Luxury Conference 2018, em Lisboa ©Indigital

A Lacoste encontrou o seu jogador de sonho quando apontou Felipe Oliveira Baptista como Diretor Criativo da marca, em 2010. Nascido em Portugal e baseado em Paris, Baptista estudou Design de Moda na Kingston University em Londres. Antes de fundar a sua própria marca em 2003 (que fechou em 2013 por decisão do designer, para canalizar todos os seus esforços na Lacoste), desenhou para a Max Mara e Cerruti. O seu dinamismo e energia resultaram numa reinterpretação dos elementos mais clássicos da marca - os pólos e o símbolo icónico do corcodilo - e tornam-nos novamente interessantes para o consumidor moderno. Na CNI Luxury Conference, conversou com Suzy Menkes e Manuel Arnaut, Diretor da Vogue Arábia, sobre o método por detrás da urbanização da marca de ténis francesa. 

Manuel Arnaut, Diretor da Vogue Arábia, e Felipe Oliveira Baptista, Diretor Criativo da Lacoste, na CNI Luxury Conference 2018, em Lisboa ©Indigital

"A Lacoste é uma marca de vestuário para te movimentares, um uniforme técnico para a vida", explicou Baptista. "Permiti-me a mim mesmo ter momentos para perpetuar esta ideia.". As colaborações são um elemento fundamental para isso. Em 2017, a aliança da Lacoste com a Supreme esgotou em 16 minutos, e abriu as portas para um novo público. A coleção Endangered Species, celebrada em 2018 com a International Union for Conservation of Nature, que viu a Lacoste abandonar, pela primeira vez na sua história de 85 anos, o logo de crocodilo a favor de motivos com animais em vias de extinção, foi uma sensação viral porque, na visão de Baptista, "mostrou que nos preocupamos". 

Apesar de viver em França há 20 anos, ter trabalhado em Itália e na Índia, e ter estudado em Londres, as suas raízes portuguesas continuam a ser uma inspiração, e acredita que existe uma ligação lusófona no mundo da Moda. "Os portugueses são discretos, e têm um espírito minimalista", confessou. "É algo especial. E consigo ver tudo isso refletido no meu trabalho.". 

"O diálogo é muito importante, e é por isso que tento manter uma mente aberta", continuou. "Não existem leis universais, e isso transporta-te de volta para as tuas crenças e os teus instintos.". A diversidade presenta na equipa de design é uma grande ajuda. "Temos 40 pessoas no estúdio, de dez nacionalidades diferentes", contou. "É um cenário muito interessante, e é assim que somos uma marca global.". 

Manuel Arnaut, Diretor da Vogue Arábia, Felipe Oliveira Baptista, Diretor Criativo da Lacoste, e Suzy Menkes em conversa no palco da CNI Luxury Conference 2018, em Lisboa ©Indigital

Artigos Relacionados

Notícias 20. 4. 2018

#CNILux Dia 2: A linguagem de um vestuário de poder

Hervé Pierre, couturier das Primeiras Damas dos Estados Unidos da América - incluindo Hillary Clinton, Laura Bush e Melania Trump - conversa com Suzy Menkes.

Ler mais

Notícias 20. 4. 2018

#CNILux Dia 2: A Linguagem da Beleza

Suzy Menkes explora o futuro da indústria cosmética com a ex-modelo e guru de skincare Marisa Berenson e com Simona Cattaneo, da Coty Luxury.

Ler mais

Suzy Menkes 20. 4. 2018

#CNILux Dia 2: Um vídeo exclusivo de Giambattista Valli em conversa com Suzy Menkes

Na véspera da abertura da sua primeira loja em Londres, Giambattista Valli conversa sobre "excelência", pronunciada de um modo francês.

Ler mais

Notícias 20. 4. 2018

#CNILux Dia 2: O futuro dos materiais

A futurista Sophie Hackford fala de uma nova visão do luxo, baseada na inovação, ao invés da tradição.

Ler mais

Este website utiliza cookies. Saiba mais sobre a nossa política de cookies.   OK