Artigo Anterior

A ascensão de marcas de beleza de celebridades

Próximo Artigo

Belle du jour: Anne Hathaway

Tendências 8. 11. 2019

Bakuchiol: o que precisa de saber sobre a alternativa natural ao retinol

by Ellen Burney

 

Um potente derivado natural com todas as propriedades do retinol, mas nenhuma da irritabilidade. A Vogue conversou com especialistas sobre o seu novo ingrediente-herói favorito.

©Getty Images 

Talvez não tenha ouvido falar dele ainda (ou ter a certeza de como se pronuncia o seu nome), mas o bakuchiol está a criar um buzz na indústria da Beleza. Na sua essência, é um ingrediente que faz parte de novas alternativas ao retinol, sem a sensação de picada, a irritabilidade e a vermelhidão frequentemente associadas com o retinóides tradicionais. Graças às suas propriedades curativas, e como explica a terapeuta londrina Dija Ayodele, o bakuchiol tem uma longa tradição de uso na ayurvédica e na medicina chinesa - mas só agora é que a indústria ocidental está a pôr os olhos neste retinoide natural. 

O que é o bakuchiol e como funciona? 

"O bakuchiol é um composto que ocorre naturalmente nas sementes e folhas da planta psoralea corylifolia, no subcontinente indiano", explica Ayodele. "É um ingrediente que estimula a produção de colagénio, preservando por isso a força e a integridade da pele, e reduzindo linhas finas e rugas. Para além disso, tem-se vindo a provar que o bakuchiol reduz de formas significativa danos de pele como a hiperpigmentação." 

"É derivado do óleo de semente de bakuchi, que é frequentemente usado em medicamentos naturais devido às suas propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias", acrescenta David Delport, embaixador global da Ren Clean Skincare. "Nos cuidados de rosto, funciona como um análogo do retinoide - isto é, reproduz efeitos do retinol como estimular a renovação celular, combater as manchas e devolver densidade à pele." 

Como explica Delport, o efeito do bakuchiol na pele é muito semelhante àquele do retinol porque "estimula os recetores de retinoides, responsáveis pela síntese do colágenio tipo 1 na derme." "Para além disso, estimula ainda a renovação celular na epiderme, para uma superfície mais uniforme, oferecendo os resultados de um retinol sem irritar a pele." 

Bakuchiol vs retinol – qual a melhor opção? 

"Apesar da estrutura química do bakuchiol ser distinta daquela do retinol, esta parece atuar em mecanismos celulares e genes-alvo semelhantes, aumentando o processo de estimulação do colagénio, por exemplo", explica a dermatologista Justine Kluk.

Um estudo de 2018 publicado este ano no British Journal of Dermatology mostra que o bakuchiol é compatível com o retinol na sua capacidade de melhorar os sinais do envelhecimento e que o seu nível de tolerância é mais elevado. No decorrer de 12 semanas, foi pedido a 44 participantes que aplicassem ou um creme com 0,5% de bakuchiol duas vezes ao dia, ou um creme com 0,5% de retinol todas as noites. "Os investigadores concluiram que o retinol e o bakuchiol atuavam de forma similar nas rugas e na pigmentação, mas o uso do bakuchiol diminuia a escamação, a sensação de picada, ardor e comichão", diz Kluk. 

"Os seus resultados na saúde da pele têm sido comparados àqueles da vitamina A, em particular, que é considerada como o príncipio ativo de eleição no que diz respeito à remodelação do colagénio, à esfoliação, ao fortalecimento da pele e ao desvanecimento da hiperpigmentação", diz Ayodele. "O bakuchiol ainda é relativamente novo e, por isso, será necessário conduzir uma pesquisa mais extensiva nos próximos anos para suportar estes primeiros passos tão promissores", continua. "Para as mulheres negras, particularmente, que são muito cautelosas com ingredientes potentes como a vitamina A, que podem causar inflamação e hiperpigmentação pós-inflamatória quando usados em demasia, o bakuchiol é uma alternativa apoiada pela ciência." 

Que tipos de pele podem usar bakuchiol, e como é que se deve aplicar o mesmo? 

"A magia do bakuchiol é ser adequado para todos os tipos de pele: seca, sensível, oleosa ou mista. É uma solução gentil para qualquer pessoa que procure resultados anti-idade sem irritação", diz Delport. "Pode ser usado com vitamina C e ácidos em séruns ou cremes; não causa fotossensibilidade na pele e, por isso, também é seguro aplicá-lo de manhã", continua. Apesar disso, é importante manter o fator proteção por perto. "Continuo a recomendar o uso de um produto com proteção solar, todas as manhãs, visto que a exposição solar sem proteção adequada acelera significativamente o envelhecimento da pele e as hipóteses de cancro da pele", aconselha Kluk. 

Apesar do retinol não ser recomendado para mulheres grávidas ou em lactação, o bakuchiol não tem qualquer advertência. "É completamente seguro", diz Delport. "Mas para qualquer pessoa que seja particularmente cuidadosa, recomendamos sempre uma consulta com o médico." 

Lisa Franklin, fundadora da LF Pro-Effect Skincare, também recomenda evitar peels: "O bakuchiol é perfeitamente seguro e eficaz, e pode ser usado com outros ingredientes, mas teria cuidado com peelings com ácido devido à estimulação excissiva e à reatividade." 

Cinco produtos com bakuchiol para adicionar à sua rotina 

Artigos Relacionados

Palavra da Vogue 8. 10. 2019

Os conselhos das editoras de Beleza da Vogue para este outono

O outono chegou e os cuidados de beleza necessariamente mudaram. As editoras e diretoras de Beleza da Vogue em todo o mundo ensinam como fazer uma transição (suave) para a nova estação.

Ler mais

Tendências 16. 9. 2019

Eco, Bio, Cruelty-free: uma especialista explica as diferenças

Eco. Bio. Orgânico. Clean. Vegan. Cruelty-free. As nomenclaturas do lado mais verde da cosmética multiplicaram-se ao ponto de serem confundidas. Cátia Curica, farmacêutica e proprietária da Organii, uma das primeiras lojas em Portugal especializadas em cosmética biológica, explica o que, afinal, tudo isto quer dizer.

Ler mais

Tendências 20. 8. 2019

Uma especialista responde a todas as perguntas sobre escaldões

Há poucos tópicos dignos de consenso na comunidade de Beleza, mas a necessidade de SPF será certamente um deles. Dito isto, na probabilidade ínfima – assim esperemos – de ter de lidar com um escaldão, este é o guia que precisa de ler.

Ler mais

Tendências 17. 6. 2019

Rosto à prova de flacidez

Quando a pele não obedece aos nossos desejos e vontades e decide começar a descair, esbatendo as linhas que definem a juventude do nosso rosto, chama-se a isso flacidez, um dos principais efeitos do envelhecimento cutâneo. A Vogue investigou as causas e procurou soluções, para tentar voltar a pôr “tudo no sítio”, que não envolvem fita-cola.

Ler mais

Este website utiliza cookies. Saiba mais sobre a nossa política de cookies.   OK