Moda   Notícias  

Alessandra Ambrosio fala na história da relojoaria suíça

07 Jun 2022
By Joana Rodrigues Stumpo

A exposição Her Time, que contou com a modelo brasileira na grande abertura, acompanha o legado dos relógios da Omega para mulheres.

© Omega
© Omega

Madrid, 1 de junho. As portas do número 14 da Calle de Larra, em Madrid, abriram-se para dar as boas-vindas aos primeiros visitantes da exposição Her Time. A Omega levou à capital espanhola uma coleção de peças históricas que revelam o enorme legado que a marca deixou na relojoaria feminina. São dezenas de relógios expostos no salão, começando com peças luxuosas dos finais do século XIX, passando por o que aparentam ser joias, mas que escondem pequenos relógios e terminando, claro, na coleção Constellation. Depois de ter sido exposta em inúmeras outras cidades, como Milão, Xangai, Paris e São Petersburgo, Her Time leva o portefólio histórico da Omega a Madrid, onde foi inaugurado pela embaixadora da marca, Alessandra Ambrosio.

Mini Trésor © Omega
Mini Trésor © Omega

A modelo, natural do Brasil, já desfilou nas passerelles da Chanel, Prada, Dior, já foi capa de inúmeras publicações de Moda, mas foi provavelmente graças a Victoria’s Secret que o seu nome se tornou conhecido - em 2004, tornou-se numa das cobiçadas Victoria’s Secret Angel. Mas agora, Alessandra Ambrosio levantou as asas e voou até Madrid, onde marcou presença na abertura da exposição Her Time. Envergando no pulso um exemplar dos novos De Ville Mini Trésor - que diz ser “um mini tesouro, tal como indica o nome, como uma peça de arte” -, a modelo falou na sua história com as peças da casa de relojoaria suíça, que lançou agora a coleção De Ville Mini Trésor e novas versões dos modelos Constellation (agora com cores vibrantes a cobrir o mostrador) e dos Seamaster Aqua Terra, também com toques coloridos que aludem à natureza, quer à água ou à terra. Aliás, Ambrosio fala na “ligação especial” que tem com este que foi o primeiro relógio da casa suíça para o qual fez uma campanha. “Com os novos relógios da Omega há tantas cores, são tão versáteis. Há muitas formas de brincar com eles”, diz a modelo. Os Mini Trésor com a pulseira em algodão vêm em três cores - cinzento, azul ou vermelho -, cada uma com um padrão diferente, existindo ainda uma versão com double strap. O modelo é lançado, ainda, em duas versões em ouro Moonshine.

Já o Seamaster Aqua Terra, que ocupa um lugar especial no coração de Alessandra Ambrosio, é lançado em cinco alternativas, com diferentes cores a cobrir o mostrador - azul, verde, cinzento, lavanda e rosa. Também foi agora apresentada a nova coleção Constellation, com variadas opções para mulher que combinam os diferentes tons metálicos de aço, ouro amarelo e ouro rosa. Estas últimas peças, que variam desde os 25 aos 29 milímetros de diâmetro, são ideais “para uma saída à noite ou um cocktail, algo mais especial”, explica a modelo. “Acho que fica muito bem com cores neutras, então podes deixar o relógio brilhar”. Escolher um favorito é, para Ambrosio, uma missão impossível, porque “depende sempre do evento, do meu mood”. Enquanto que o Seamaster seria algo para usar “num barco ou para ir à praia e combinar com um fato de banho”, o Constellation já é “um pouco mais formal”. Até mesmo em eventos de black-tie a modelo admite que é possível complementar um look com um relógio: “normalmente escolho algo um pouco mais pequeno com muitos diamantes, porque quanto mais diamantes melhor para uma red carpet. O Constellation é lindo ou mesmo um Seamaster com diamantes à volta, pode ser muito bonito e chique”. 

Constellation © Omega
Constellation © Omega

Mais do que uma questão de estilo, Alessandra Ambrosio fala na importância de escolher peças da melhor manufatura, enaltecendo os movimentos que dão vida a estes relógios: “Se olharem para alguns dos Omega, podem ver como funcionam. É [um processo] muito delicado e demora muito a montar um relógio. E se tomarem bem conta deles, vão durar décadas. Sei porque o meu filho já está a ver a minha coleção”. Numa altura em que já é raro olhar para o pulso para ver as horas, estas peças que outrora foram imprescindíveis correm o risco de perder o seu valor prático e Ambrosio parece concordar que “hoje em dia um relógio é mais um acessório de certa forma e é algo para o teu próprio prazer. Mas devo dizer que às vezes quando viajo o meu telemóvel não se ajusta ao fuso horário, então é sempre bom ter o meu relógio na hora certa”. A panóplia de peças luxuosas e versáteis é um produto da enorme história que a Omega tem em relojoaria feminina, que agora é colocada em exibição na exposição Her Time, patente em Madrid até ao próximo dia 11 de junho. Depois de mais de um século de manufatura, o resultado só pode ser um: “têm tantos modelos diferentes, para qualquer ocasião, por isso é ótimo ser colecionadora”, nas palavras de Alessandra Ambrosio. 

Joana Rodrigues Stumpo By Joana Rodrigues Stumpo

Relacionados


Moda  

Open Call | É uma família portuguesa com certeza

14 Jun 2024

Compras   Moda   Tendências  

Trend Alert | Sportswear

13 Jun 2024

Moda   Entrevistas  

Moda, costume português | Ivan Garcia Hunga

13 Jun 2024

Entrevistas  

Hannah Mills, um role model dentro e fora dos oceanos

12 Jun 2024