Artigo Anterior

Decoro logo existo

Próximo Artigo

Os interiores dos anos 80

Tendências 21. 3. 2018

#poesia

by Irina Chitas

 

“A escrita é a minha primeira morada de silêncio”, disse Al Berto.

E se a poesia nos silencia os medos, as palavras gritam-nos o coração. Escrever é um ato de alívio e a poesia é um ato de amor que foi perdendo os seus acólitos para os consumos rápidos e fáceis dos novos tempos. Só que esta não é uma geração que se cala, e a poesia parece ter ganho novo fôlego fora das páginas físicas. Migrou para o Instagram, e a Vogue falou com os poetas dos hashtags que podem usar uma nova plataforma, mas que escrevem com a mesma vida de antes. 

Na Vogue Portugal de fevereiro, leia as entrevistas a alguns destes poetas.

Artigos Relacionados

Tendências 4. 10. 2017

AL BERTO

Vinte anos depois da morte, Alberto Pidwell Tavares chega às salas de cinema numa longa metragem assinada por Vicente Alves do Ó. Al Berto, o filme, é um contorno temporal da vida do poeta, logo após o regresso a Portugal, baseado em episódios reais, contados numa narrativa de proximidade.

Ler mais

Palavra da Vogue 29. 9. 2017

Poesia da cor

As baixas temperaturas despertam os sentidos de estilo que nos fazem querer voltar a agarrar o veludo com unhas e dentes.

Ler mais

Tendências 30. 7. 2017

Cinema: Paterson

Jim Jarmusch, o maestro dissidente do indie, está de regresso com uma ode aos versos do quotidiano e ao dia-a-dia da criação artística.

Ler mais

Palavra da Vogue 26. 6. 2017

Are there?

Sabemos que concordamos com a poesia feminista de Morgan Parker: é de ler de repente, de seguida, urgentemente, de uma ponta à outra. Ainda não sabemos se concordamos com o título.

Ler mais

Este website utiliza cookies. Saiba mais sobre a nossa política de cookies.   OK