Artigo Anterior

Shoes: primavera/verão 2019

Próximo Artigo

Nuno Baltazar: primavera/verão 2019

Coleções 20. 10. 2018

Katty Xiomara: primavera/verão 2019

 

"É incrível como algo negativo foi capaz de gerar uma admirável qualidade artística.", afirma a designer em comunicado sobre a inspiração que a levou até ao processo de criação para a sua nova coleção denominada Bebold. Da produção artística dos anos do fascismo, Katty Xiomara criou um admirável mundo novo, composto por peças coloridas e gráficas, com influencias da tipografia antiga e contemporânea. 

 

©PortugalFashion

Silhuetas descontraídas e leves, tecidos frescos e cores vivas, com alguns apontamentos em tons pastel, saltam à vista na nova linha estival da criadora. "Esta nova coleção explora todos os detalhes característicos da marca, estampados vibrantes, contrastes de cor, aplicações e bordados, mas também os volumes, que são ondulado mas também retilíneos, refletindo o carater intrínseco do TIPO (letras). Além disso e porque a inspiração também recai em 3 mulheres diferentes, pensamos na diversidade da mulher, e como a forma de seu corpo pode influenciar no momento de escolher o que vestir.", afirmou. Com uma visão muito clara do que seria a primavera/verão da marca, o grande objetivo é apenas um: fazer com que a mulher se sinta segura ao ser inovadora. Sempre. 

Artigos Relacionados

Coleções 20. 10. 2018

Miguel Vieira: primavera/verão 2019

O criador português dá continuidade à celebração dos 30 anos de carreira com a nova coleção para a primavera 2019, inspirada na cor e no movimento Pop Art.

Ler mais

Coleções 19. 10. 2018

Carlos Gil: primavera/verão 2019

Sob o tema Aquarella, a próxima estação quente de Carlos Gil coloca a cor no centro de todas as atenções.

Ler mais

Coleções 19. 10. 2018

Estelita Mendonça: primavera/verão 2019

As silhuetas contemporâneas desfilaram em perfeita harmonia com a inspiração no streetwear.

Ler mais

Coleções 19. 10. 2018

Maria Gambina: primavera/verão 2019

Denominada Construção, a nova linha da criadora portuguesa traduz-se em peças versáteis e reversíveis, repletas de referências gráficas alusivas à sinalética das obras.

Ler mais

Este website utiliza cookies. Saiba mais sobre a nossa política de cookies.   OK