Artigo Anterior

Oi, garota!

Próximo Artigo

Coral draw

Palavra da Vogue 9. 7. 2018

100 ou sem pontos: tecnologia na ponta dos pés?

by Mónica Bozinoski

 

Se pensava que já tinha visto todas as criações bizarras que o mundo da Moda tinha para oferecer, sugerimos que pense outra vez.

©Instagram/@maisonmargiela

Realidade aumentada, Inteligência Artificial, matérias inovadoras e sustentáveis criadas em laboratórios ou 3D Printing - quando o tema é a relação entre Moda e Tecnologia, o espaço para pensar fora da caixa é verdadeiramente ilimitado. Nada de novo, na verdade, numa era era onde os epiosódios de Black Mirror são uma realidade cada vez mais próxima e a inovação tecnológica e a liberdade de criação conceitos cada vez mais sinónimos. Mas o que acontece quando esta relação é levada ao seu sentido mais literal?

Vamos por partes. Primeiro, feche os olhos e pense em Moda e Tecnologia de mãos dadas. Agora, troque as mãos pelos pés, e imagine como seria se Moda e Tecnologia andassem de pés dados. Confuso? Bizarro? Inconcebível? Nós também imaginávamos que sim - isto é, até pormos os olhos nas imagens do desfile de Alta-Costura outono/inverno 2018 de Maison Margiela. Apesar de sabermos que John Galliano quebra as barreiras do expectável a cada coleção que apresenta, nada nos podia preparar para uma das mais recentes criações do designer britânico. 

"Somos todos nómadas hoje e estamos agarrados aos nossos iPhones. Temos tudo nos nossos iPads. Somos nómadas. Movimentamo-nos em tribos. Por isso inventei esta palavra: nativos neo-digitais", confessou John Galliano no segundo episódio do podcast The Memory of ... With John Galliano, lançado pela Maison Margiela na plataforma iTunes. Com o espírito futurista a que já nos habituou, e inspirado na nossa dependência pela tecnologia, Galliano apresentou uma coleção com base na ideia de "glamour nómada", injetada com os mais diversos gadgets - entre eles, um coldre a segurar um telemóvel, preso ao tornozelo de algumas das modelos que, à medida que estas caminhavam, filmava a front row do desfile em tempo real. 

As inspirações claras que Galliano reservou para este acessório levantam as mais diversas questões. Será que esta criação vai abrir o caminho para uma nova tendência de tecnologia usável? Será que vamos ver mais acessórios como este no futuro? Ou será apenas uma crítica social à incapacidade de largarmos os nossos dispositivos tecnológicos e aos limites que estamos dispostos a percorrer para os ter sempre por perto?

Tal como a resposta à pergunta que nos trouxe até aqui, e porque a Moda é tão subjetiva quanto o olhar de quem a cria, de quem a vê, de quem a veste ou de quem a consome, tudo pode acontecer. 

100 ou sem pontos?

Artigos Relacionados

Palavra da Vogue 26. 6. 2018

100 ou sem pontos: Ugg-ly shoes?

Dão-se pelo nome de Fluff Yeah, estão disponíveis em quatro cores e são a mais recente criação a dividir a tabela de pontuações.

Ler mais

Palavra da Vogue 20. 6. 2018

100 ou sem pontos: uns ténis ou uns saltos altos?

No universo dos ugly shoes, só um pode ser considerado o mais feio. Talvez estejamos perante uma guerra de titãs, ou então são só as mentes criativas dos designers a dar um passo (muito) à frente.

Ler mais

Palavra da Vogue 27. 4. 2018

100 ou sem pontos: As luvas de borracha Calvin Klein

Será isto o próximo acessório de luxo ou apenas um par de luvas para limpar a casa a um sábado de manhã?

Ler mais

Palavra da Vogue 1. 4. 2018

100 ou sem pontos: os ténis Buffalo

O movimento vintage vai continuar a dominar. No último ciclo de Semanas de Moda, muitos foram os criadores que apresentaram reinterpretações de alguns clássicos - Junya Watanabe foi um deles.

Ler mais

Este website utiliza cookies. Saiba mais sobre a nossa política de cookies.   OK