Great Expectations

Update: Já foram revelados todos os modelos da coleção de sapatos de Sarah Jessica Parker.

Great Expectations

Update: Já foram revelados todos os modelos da coleção de sapatos de Sarah Jessica Parker.
28 Jan 2014 • 12 30 H



Num exclusivo à Lucky Magazine, Parker confessou que a experiência enquanto Carrie Bradshaw acabou por ser o motor de busca para a estética da marca. De facto, um dos primeiros pares a ser revelado (em pele envernizada) é uma referência inegável ao mito urbano que eram os mary jane da Manolo Blahnik, que Bradshaw encontrou no armário da Vogue. Disponíveis já a partir do fim deste mês no Nordstrom, a linha de sapatos a preços relativamente acessíveis vai de clássicos a alpercatas, e promete erguer-se a concorrente das etiquetas que tanto Carrie como Sarah tornaram populares.

 

Parker acrescentou também que “às vezes na Moda, pouco mais importa que o sapato”. Principalmente se for SJP. 

 

 

11 de julho de 2013: Para dar ainda mais razões de ser ao entusiasmo crescente, Sarah Jessica Parker revelou mais detalhes sobre a linha de sapatos, carteiras e casacos, prestes a ser lançada.



A primeira interrogação prendeu-se com o lançamento de mais uma marca para o mercado. Haveria necessidade de mais sapatos? Haveria necessidade de mais um nome de peso? Haveria necessidade de mais objetos de desejo? Mas o nome de Parker respondeu aos dilemas iniciais.

 

Como a atriz-mãe-ativista-produtora esclareceu ao WWD, durante anos passou de 18 a 20 horas diárias em cima de saltos altos quando estava no set, e a experiência de consumidora é um dos grandes pontos fortes de SJP. Saber quais os melhores materiais, formas, cortes e proporções para que a mulher possa correr nos sapatos são dados que só quem sentiu na pele (ou, neste caso, nos pés) os efeitos dos 10 cm pode oferecer. A partir daí, foi só pensar na mulher nova-iorquina cosmopolita: quais são os essenciais de quem se multiplica diariamente? Que peças contam uma história sem precisar de entrelinhas? Chegar ao trinómio sapatos-carteiras-casacos foi fácil. São os elementos exteriores que, em conjunto, comunicam uma identidade.

 

O passo seguinte foram os materiais. Não gostando de coisas demasiado brilhantes, que facilmente perdem o fator “chic”, Sara deu primazia à camurça e ao gorgorão, tecido que a transporta para uma infância de lenços no cabelo. As referências aos primeiros anos de existência também se centraram no bom gosto da mãe que, não tendo meios financeiros, “ia a vendas de igreja em bairros abastados e encontrava os fatos Louis Vuitton azul-marinhos que as famílias já não usavam e doavam para caridade”. Compreendendo o bom corte, a boa matéria-prima e a importância de uma boa base, estavam formadas as condições para que, passo a passo, SJP se tornasse num ícone.

 

 

 

2013-06-07: Foram precisos 15 anos, seis temporadas, dois filmes e uma vida inteira de entretantos para que Sarah Jessica Parker lançasse uma coleção de sapatos em nome próprio. Mas esse momento chegou.

 

E, claro, Manolo Blahnik está envolvido. Não diretamente, mas através de George Malkemus, CEO da marca, que se juntou a Parker nesta nova aventura.

 

Chama-se, simplesmente, SJP. E, tal como o nome, dispensa artifícios e explicações, aplicações e justificações. É uma linha de sapatos, carteiras e trench-coats que regressa ao básico e à qualidade, drenando inspiração de ícones como Charles Jourdan e Maud Frizon. “Estamos a misturar novas cores que as pessoas normalmente não usam, combinações muito bonitas que desejarias que existissem no teu armário”, revelou Sarah à edição americana da Vogue. “E em termos de carteiras, estamos a pensar no período de transição dos anos setenta para os anos oitenta, o que essas mulheres transportavam, retirando todas as aplicações e artimanhas e realmente dar destaque à carteira”.

 

Mas apesar do nome que a encabeça, estas criações não serão responsáveis pelo saldo negativo no cartão de crédito, que tantas vezes levou Carrie Bradshaw à bancarrota. À venda exclusivamente no Nordstrom (a partir do início do próximo ano), e fabricadas entre a Europa e Nova Iorque, as peças serão justas com o preço, para que o estilo não seja um objetivo inalcançável. Os sapatos custarão entre 200 e 300 dólares (aproximadamente entre 150 e 230 euros), e as carteiras ascenderão aos 700 (cerca de 535 euros).

“De uma maneira tonta, acho que isto é o que as pessoas mais esperavam de mim por causa de Carrie Bradshaw”. Era, sim. Mas agora, a espera acabou.

pub
Faltam 300 caracteres
pub
pub
topo