La Di Da, La Di Da


Estas são as incríveis mulheres de Woody Allen.

La Di Da, La Di Da


Estas são as incríveis mulheres de Woody Allen.
19 Out 2016 • 16 28 H



É fascinado pelo sexo feminino. Tanto que já confessou que tem perfeita noção que as suas mulheres são muito mais fortes que os seus homens. E é um facto que, com o passar dos anos – e com a exceção de Jasmine Francis, que valeu um Óscar a Cate Blanchett – as suas personagens de cromossoma XX têm perdido força, mas 45 anos de história cinematográfica servem de base mais que sólida para um realizador que escreve e dirige as filhas de Eva como ninguém.

Temos Mia Farrow, temos Diane Keaton, temos Gena Rowlands, temos Charlotte Rampling, temos Penelope Cruz e temos Blanchett: retratos tanto frágeis como fortes, tanto puros como sexuais, tanto complexos como reais. Há uma fascinação palpável, um carinho desmesurado, uma incompreensão deslumbrada de todas as polaridades que uma mulher emocionalmente instável consegue atingir. Allen segue-as com uma câmara um tanto ou quanto fetichista que se coloca numa órbita gravitacional de observação, e nunca de interferência. É por isso que este quadro da vulnerabilidade e poder, de pequenas (grandes) manias, de nuances e bipolaridades não se importa de cair redondo em clichés. Fá-lo com elegância e sensibilidade crua, como um cientista que não descansa enquanto não souber o "porquê", mas pára mesmo antes de encontrar a solução, imediatamente depois de nos apaixonarmos por Dorrie, por Cecilia, por Jasmine, por Maria Elena, por Nola ou por Annie – especialmente por Annie. E por Woody. 

pub
Faltam 300 caracteres
Maria Benvinda Ladeira Franco   16:49 - 11-05-2016
00
Mestre!
Faltam 300 caracteres
Bé Cardoso   16:48 - 11-05-2016
00
Mais uma vez...
Faltam 300 caracteres
Maria De Lurdes Duarte   16:35 - 11-05-2016
00
Gosto
Faltam 300 caracteres
pub
pub
topo