Spring cleaning


Com a primavera chegam as arrumações e corremos o risco de fazer da rotina um throwback às Donas de Casa Desesperadas. Ou não. Fomos perceber o que deitar fora, o que manter e o que fazer para evitar que a casa se torne numa versão (ainda mais) cool dos Grey Gardens
2017-03-20_16_38.49 tumblr_my2p41tepa1sqzp70o3_400.gif
© D.R.

Spring cleaning


Com a primavera chegam as arrumações e corremos o risco de fazer da rotina um throwback às Donas de Casa Desesperadas. Ou não. Fomos perceber o que deitar fora, o que manter e o que fazer para evitar que a casa se torne numa versão (ainda mais) cool dos Grey Gardens
20 Mar 2017 • 18 47 H

Quando crescemos, ensinam-nos que cada coisa tem o seu sítio. E que não devemos ter mais que aquilo que precisamos. E que o materialismo é uma coisa feia. E era fácil assimilar estas regras de ouro: ainda não tínhamos a noção do que são saldos, ainda não nos havíamos apaixonado pelas relíquias dos mercados de rua e ainda não tínhamos decidido que o nosso objetivo de vida era ter uma estante cheia de primeiras edições. De repente, a sala parece um anexo do Pavilhão Chinês. Foi por isso que quando Marie Kondo lançou Arrume a Sua Casa, Arrume a Sua Vida (que muito facilmente vendeu dois milhões de cópias) o mundo inteiro começou a livrar-se das suas coisas, coisinhas e coisitas e a adotar o método Konmari como um bote salva-vidas. No meio da sua agenda alucinante (mas muito, muito organizada), Kondo respondeu-nos a três perguntas capazes de salvar qualquer sanidade mental.


Se só pudesse dar um concelho a alguém sobre como organizar a sua casa, qual seria? E qual foi o melhor conselho que já recebeu?
De todos os seus pertences, fique apenas com aquilo que o faz feliz e que lhe desperte alegria. A maior premissa é que não é só reduzir o volume de coisas que se tem, mas tornar a vida mais feliz e preenchida. O melhor conselho que já recebi foi da minha avó - "Valoriza o que não pode ser visto do exterior". Ao organizar de forma bonita até o interior das minhas gavetas, senti que o meu coração também se organizava.


Na era da informação e das redes sociais, qual é a importância de organizar a casa, e organizar-se a si próprio?
Organizar é o processo de questionar se cada item que se possui desperta alegria ou não. Através deste processo, torna-se muito claro o que é importante para ti. Na era da informação e das redes sociais, podes ficar exausto pela quantidade de informação que recebes. É importante ter ferramentas para decidir que informação é benéfica para ti e a organização é uma maneira útil de polir estas ferramentas.

Livrarmo-nos de coisas que não precisamos é uma parte importante do processo. Mas por onde devemos começar? E de que é que nunca devemos abdicar?

A abordagem correta é arrumar por categoria, e eu recomendo começar pela roupa. Isto porque o critério para decidir o que manter e do que abdicar é perceber se nos desperta ou não alegria, e a roupa é ideal para praticar este princípio.
Não interessa o que os outros dizem, nunca abdiques daquilo que te faz feliz. É importante tomares decisões com base no teu próprio critério, e ignorar o que os outros pensam.

pub
Faltam 300 caracteres
pub
pub
topo